Siga por e-mail

Seguidores

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Sabbat Lugnasadh ou Lammas

Senhor do Milho

A Festa da Colheita

Lughnasadh era tipicamente uma festa agrícola, onde se agradecia pela primeira colheita do ano. Lugh é o Deus Sol.

Pão de Lammas

Na Cultura Celta, ele é o maior dos guerreiros, que derrotou os Gigantes, que exigiam sacrifícios humanos do povo. A tradição pede que sejam feitos bonecos com espigas de milho ou ramos de trigo representando os Deuses, que nesse festival são chamados Senhor e Senhora do Milho.

Nessa data deve-se agradecer a tudo o que colhemos durante o ano, sejam coisas boas ou más, pois até mesmo os problemas são veículos para a nossa evolução.

O outro nome deste Sabbat é Lammas, que significa “A Massa de Lugh”. Isso se deve ao costume de se colher os primeiros grãos e fazer um pão que era dividido entre todos. Os celtas faziam um pão comunitário, que era consagrado junto com o vinho e repartido dentro do círculo.

Os pães da primeira colheita

O primeiro gole de vinho e o primeiro pedaço de pão devem ser jogados dentro do Caldeirão, para serem queimados juntamente com papéis, onde serão escritos os agradecimentos, e grãos de cereais.

O boneco representando o Deus do Milho também é queimado, para nos lembrar de que devemos nos livrar de tudo o que é antigo e desgastado para que possamos colher uma nova vida.

Este é o primeiro dos três Sabaths da colheita. O Deus já dominou o mundo das trevas, e agora passará por leves mudanças, seu poder declinando subtilmente com o passar dos dias. Por isso, o honramos, e agradecemos pela energia dispensada sobre as colheitas.

Para adornar o Altar podem colocar entre outras coisas alguns pães ou fatias de pães diferentes, juntamente com porções de cereais e sementes, numa cesta de vime ou fibra natural.


NOME:
Lughnasadh é também conhecido como Lammas (Lê-se "lamas") ou Festival da Primeira Colheita. Dia sagrado no paganismo, em especial na religião Wicca. Celebrado no dia 2 de Fevereiro no hemisfério Sul e no dia 1º de Agosto no hemisfério Norte.

• Lughnasad= pronuncia-se Lunasá.
• Lammas= pronuncia-se Lamas.

SIMBOLISMO:
• Esse sabá, que ocorre entre o Solstício de Verão (Litha) e o Equinócio de Outono (Mabon), marca o fim do Verão e o início da época da colheita, uma época de agradecimento aos Deuses por tudo o que colhemos. Agradece-se ao que foi bom e também ao que pareceu ruim, pois na religião Wicca crê-se que tudo o que acontece na vida faz parte no caminho evolutivo de cada um.
• O nome Lughnasadh veio duma festa agrícola típica dos Céltico. Uma festa da colheita em honra ao deus céltico do Sol: Lugh (o maior guerreiro dentre os celtas, pois derrotou os gigantes que exigiam sacrifícios humanos).
• Já o nome Lammas significa "A Massa de Lugh", que representa o alimento (geralmente pão ou bolo ou qualquer outra massa) feito com os grãos, que representam a colheita, e repartido (como alimento sagrado) entre os membros do coven ou da família ou mesmo entre amigos.

COSTUMES E TRADIÇÕES
Além da tradicional "Massa de Lugh", segundo a tradição da religião Wicca, nessa época são feitos bonecos de palha (de milho ou trigo) representando os Deuses, chamados de Senhor e Senhora do Milho. Esses bonecos são tidos como amuletos de proteção durante todo o ano, até o próximo Lammas, onde são queimadas na fogueira ou no caldeirão.
Na fogueira, os bonecos de milho do ano passado, juntamente com papéis contendo agradecimentos aos Deuses, são queimados; isso ocorre como uma maneira de lembrar aos wiccanos de que devemos queimar o passado e utilizá-lo como combustível para o nosso futuro.
As noites já começaram a ficar mais longas, desde o Solstício de Verão; aproximando-se a época da partida do Deus para a Terra do Verão, deixando a sua própria semente no ventre da Deusa, de onde renascerá (mantendo o eterno ciclo do nascer-morrer-renascer).

CORRESPONDÊNCIAS
Em cada um dos 8 sabás da Roda do Ano na religião Wicca existem correspondências específicas para a composição dos rituais baseadas nos simbolismos de cada época.
Nomes Alternativos: Lughnashad, Elembrios, Harvest Tide, Teltain, Lughnasa, Lunasa ou Laa Luanys.

Ervas ritualísticas tradicionais: flores da acácia, aloé, talo de milho, ciclame, feno grego, olíbano, urze, malva-rosa, murta, folhas do carvalho, girassol e trigo, peônia, flor de trevo, heliotrópio, verbena, murta, rosa, girassol, musgo irlandês, trigo, salga, centeio, aveia, cevada, arroz, alho, cebola, manjericão, menta, babosa, acácia, folha de maçã, folha de framboesa, folha de morango, folha de uva, azevinho, confrei, calêndula, vinheiro, hera, avelã, espinheiro-preto, sabugueiro.

Plantas e frutos: Flores da acácia, aloés, olíbano, nozes, cerejas, arroz, cevada, urze, murta, girassol, milho, aveia, trigo, amoras, maçãs, além de todos os grãos e frutos maduros da estação.

Brasil:
Frutas do verão: Abacaxi, Banana-prata, Coco verde, Figo, Jabuticaba, Jaca, Kiwi, Laranja pera, Laranja seleta, Mamão Havaí, Manga, Melancia, Melão, Nectarina, Pêssego, Romã, Uva Itália.

Verduras e legumes da época: Alho, Batata, Catalonia, Milho verde, Salsão, Vagem.

Comidas típicas: Pães caseiros, bolos de cevada, cordeiro assado, além de tortas e outros pratos feitos a partir dos frutos da estação. Os alimentos pagãos tradicionais do Sabbat Lammas são pães caseiros (trigo, aveia e, especialmente, milho), nozes, cerejas silvestres, maçãs, arroz, tortas de cereja, vinho de sabugueiro, cerveja e chá de olmo.

Bebidas típicas: Vinhos, cervejas, chás e sidras, além de sucos e outras bebidas preparadas a partir dos frutos da estação.

Incensos: acácia, aloés, olíbano, rosa e sândalo.

Cores: laranja e amarela. marrom, laranja, vermelho, amarelo.

Pedras: aventurina, citrino, peridoto e sardônia., olho-de-gato, topázio dourado, obsidiana, ágata, musgosa, rodocrosita, quartzo claro, mármore, ardósia, granito, seixos de rio.

Deuses geralmente representados: Lugh, Baco, Apolo, Rá, Ceres, Deméter, Mani, Urihi, Kupeirup, Iaçá, Danu, Gaia, Pele, Brigid, Uzume, e os demais deuses e deusas da colheita, fartura e proteção.

O RITUAL DE LAMMAS

Material necessário para a realização do Sabbat:

· Ramos de trigo

· Pães de vários tipos

· Cálice com vinho

· Velas amarelas

· Frutas como melão, bananas e abacaxi

· Incenso de sândalo

· Caldeirão

· Álcool

· Papéis com pedidos escritos

· Bastão

PROCEDIMENTO

Coloque o caldeirão ao centro do local onde você vai realizar o rito. Espalhe as velas por todo o cômodo. Coloque as frutas, os pães, os ramos de trigo e algumas velas sobre o altar. Acenda os incensos e lance o Círculo Mágico de forma usual. Despeje o álcool no interior do caldeirão e acenda-o. Então diga:

“Que neste dia sagrado, onde Lugh é homenageado os meus (nossos) anseios e desejos se realizem”

Pegue o bastão, toque o chão e depois o eleve aos céus girando no sentido horário dizendo:

“Que as sementes germinem, que o solo se fortaleça e torne-se fértil. Que a vida seja festejada e louvada pelo nome de Lugh, o Deus Sol, o iluminado e encantado”

Comece a girar o bastão em torno do caldeirão no sentido horário, com o papel dos pedidos em suas mãos. Imagine a concretização dos seus objetivos e acredite que todos os pedidos que foram escritos no papel se realizarão. Se mais pessoas estiverem presentes, peça para que façam o mesmo. Quando sentir que sua consciência encontra-se alterada e que do seu interior brota um profundo entusiasmo, jogue os papéis com os pedidos no caldeirão, dizendo:

“Nesse fogo, possam os meus desejos se elevar. O fogo é símbolo da transmutação e da purificação. Que através de seu poder tudo em minha (nossa) vida seja ativado para o meu bem e de todos da Terra!

Olhe profundamente no fogo que arde no caldeirão, mentalizando com profundidade tudo aquilo que você quer. Pegue o cálice com o vinho, eleve-a aos céus, dizendo:

“Oh, Poderoso Lugh, que esta libação seja feita em sua homenagem”

Tome um pouco do vinho e derrame-o sobre o chão. Vá até o Altar, eleve o bastão e toque-o nos pães e frutas. Reparta os pães e divida entre todos os presentes, se houverem. Caso contrário coma um pouco da alimentação, meditando sobre o significado do ritual. Destrace o Círculo Mágico, agradecendo aos Deuses.

P.S.: os ramos de trigo devem ser oferecidos às pessoas queridas, para que sirvam de amuleto. Oriente-as a guardá-los na carteira

O Lammas foi o primeiro Sabbat que comemorei, e ainda tenho ótimas lembranças dele, por isso resolve continuar a postagem dando umas receitas para complementar o seu Sabbat deLughnashad.

O “PÃO DE LAMMAS”

No ritual de Lammas é costume fazer o pão de Lammas como forma de agradecimento a tudo que a natureza nos deu durante o ano. Você pode até pensar da seguinte forma: “eu não planto absolutamente nada, apenas vou ao supermercado e compro”. Mesmo assim você compra algo que a natureza forneceu a todos nós de alguma forma, não é mesmo? Então, nada mais sensato que agradecer.

O Pão de Lammas é uma antiga tradição. Não se sabe ao certo quando começou, já que tudo está envolto em lendas e sempre há quem aumente ou exclua algum detalhe. Mas a lenda diz que as famílias se reúnem para celebrar e para tal fim, cada um trás um dos ingredientes e uma erva que representará a colheita.

É muito importante que a erva seja fresca e não desidratada. Então vamos à receita:

Ingredientes:

· 04 tabletes de fermento de pão;

· 01 xícara de leite;

· 01 colher de açúcar;

· 01 quilo de trigo;

· 04 colheres de sopa de margarina;

· 03 ovos;

· ervas frescas.

Procedimento:

Comece misturando o leite, o fermento e os ovos em uma vasilha. Acrescente um pouco de farinha, sendo uma quantidade suficiente para fazer um mingau. Reserve, cobrindo a vasilha com um pano. Deixe crescer em um local “aquecido” por aproximadamente 30 minutos.

Observação. O tempo varia dependendo do lugar. Se for usado uma estufa o tempo será menor. Se for ao ar livre, dependerá exclusivamente da temperatura do lugar. O importante é que a massa inicial cresça, dobrando de volume.

Após a massa crescer, você deve preparar a mesa e chamar todos que vão participar da confecção da massa. Peça para que todos se sentem e então traga a massa para a mesa. Comece adicionando trigo, quantidade suficiente para sovar a massa e a margarina. Em seguida, peça para que cada um adicione suas ervas. Eu geralmente uso: hortelã menta, salsinha, orégano, manjericão, manjerona.

Agora começa a parte mais importante, onde todos vão sovar a massa. Não pode esquecer-se de estar com as mãos limpas, tanto quanto os pensamentos. Toda a nossa energia irá para a massa que deve ser bem sovada. Inicialmente a massa gruda nas mãos e depois começa a tomar definição de massa de pão, aos poucos vai soltando das mãos. Adicione o trigo enquanto for suficiente.

A massa estará pronta quando está mudar de cor. Inicialmente ela tem uma tonalidade escura, mas aos poucos começa a ficar mais clara, um tom de creme brilhante, muito bonito.

Separe em partes iguais aos participantes da mesa, sendo que cada um deve preparar o seu próprio pão, sempre no formato desejado. O melhor é o redondo para representar a terra, o sol, a lua. Mas não é obrigatório, fica a critério.

Deixe a massa crescer até dobrar de tamanho e em seguida leve ao forno pré-aquecido. Quando tirar do forno, leve a mesa ou para o seu ritual seguido de uma bela xícara de chá quente e não se esqueça de agradecer a natureza antes de comer e dividir entre seus familiares.

Um pedaço desse pão pode ser colocado dentro das “latas” de arroz ou feijão para que nunca falte alimento em sua casa. É uma tradição antiga e olha que funciona…

Ps. A Su fez a receita do domingo passado e disse para a Lu que adicionou umas coisinhas a mais e que ficou delicioso. Bem, a Lu disse que a cozinha é isso, uma arte pessoal onde os ingredientes são nossos e a combinação depende do nosso paladar e da maneira como tratamos os elementos que estão a nossa disposição. Ela mesma nunca segue receitas e sempre tem dificuldade em fornecer receitas. Sempre usa a quantidade necessária o que não significa exatamente um quilo ou uma xícara.

BONECA DE LINHA

Como o ritual de Lammas celebra a Primeira Colheita, um dos costumes é a confecção da “Boneca do Milho”. Eu vou ensinar aqui hoje um modelinho bem simples que é feito a partir de lã e que eu encontrei aqui. O procedimento é bem simples e dá pra você usar o mesmo processo na hora de fazer com as palhas do milho.

Passos:

Decida o tamanho da sua boneca. O quão grande ou pequena você a quer? Escolha um pedaço de papelão que seja mais ou menos desta altura. O cartão do exemplo, uma velha prancheta de notas, tem 14 cm de altura.

Escolha uma linha macia e enrole ao redor do papelão, finalizando com um nó para segurar tudo junto.

Continue a enrolar a linha. Você vai precisar de pelo menos 100 voltas para uma boa boneca. Quanto mais voltas, mais espessa será a boneca. Na última volta, faça um laço para prender a ponta.

Passe uma linha entre as voltas e o papelão. Puxe para cima e amarre com um nó bem apertado. Isto vai ajudar a manter as tiras de linha juntas no centro do papelão. Para fazer um lacinho, use um pedaço de linha de cor diferente.

Remova a linha do papelão. Amarre um pedaço de linha com um nó bem apertado onde você gostaria de colocar o pescoço. Não se preocupe se ficar muito grande ou pequena você pode ajustar depois.

Separe o corpo em três partes: as duas de fora devem ser menores que a do meio, e devem ter a mesma espessura. Elas serão os braços da boneca. Amarre uma corda onde você gostaria de colocar a cintura na seção do meio.

Amarre a ponta dos braços nos pulsos e corte o excesso de linha.

Corte as voltas do corpo para fazer uma saia. Se quiser, você pode fazer pernas ao invés de saia separando a parte do meio em duas a partir da cintura, e amarrando como fez nos braços.

Dica:

· Bonecas de palha de milho são feitas de maneira similar, só que com palha de milho no lugar de linha.

· Para fazer uma boneca de linha gigante, use um esfregão de corda ao invés de linha. Retire o esfregão da peça de plástico que segura as linhas, dobre no meio e amarre para fazer a cabeça.

· Para desperdiçar menos linha, após amarrar a linha em cima do cartão, corte os laços do outro lado antes de separa-la em braços e pernas. Isto reduz a quantidade de linha desperdiçada ao cortar e acertar as pontas após terem sido separadas em braços e pernas.

· Tente algumas variações, como um laço de fita ou usar duas cores de linha sucessivamente.

O ALTAR DE LAMMAS

No altar, tradicionalmente são organizados com representações dos Quatro Elementos (terra, fogo, água e ar) e das Divindades.

A decoração do altar fica sempre a crédito da nossa própria imaginação e criatividade. Não há exatamente um procedimento a ser seguido, basta você sentir-se confortável e conhecer bem o ritual que irá praticar. Lembre-se que é através do seu altar que irá homenagear ou simplesmente agradecer aos Deuses…

Em Lammas por exemplo, vamos agradecer a Primeira Colheita, é um momento de festejarmos os alimentos que vão diariamente a nossa mesa. Também é um momento de reflexão pois o Deus Lugh sacrificou-se para que a vida tivesse continuidade. Mais uma vez a Roda do Ano seguiu seu curso natural e somos felizes por isso…

Portanto, levemos para o nosso altar as frutas e legumes que são colhidos na Primeira Colheita como forma de agradecimento. O caldeirão para representar o ventre da Deusa e a própria Terra. As sementes que nos é entregue pela Deusa, ela garantirá a nós a continuidade da Vida…

Também podemos adornar o altar com velas nas cores desse ritual (marrons e laranjas) – representando os elementos: incenso de sândalo (ar) um pires com sal (terra) um cálice com água (água) e uma vela (fogo)…

Ramos de trigo representando a colheita, pão de Lammas representando todos os elementos e o Pentagrama representando o homem diante do universo.

Abaixo, algumas fotografias de Altar de Lammas para que você possa ter uma ideia do que fazer na hora de preparar o seu altar.

imageimage

image

image

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Xamanismo

O xamanismo é uma filosofia de vida muito antiga, que visa o reencontro do homem com os ensinamentos e fluxo da natureza e com seu próprio mundo interior.

Sua origem é um conjunto de ensinamentos milenares que, através da tradição de tribos indígenas do mundo todo, foram sendo passadas até os dias de hoje.

Esses ensinamentos são baseados na observação da natureza e seus sinais: sol, lua, Terra, Água, Fogo, Ar, Animais, Plantas, Vento, Ciclos, etc...

Pode-se considerar o xamanismo como a verdadeira arte de viver.

Ao observarem o ciclo da natureza e suas manifestações, os antigos xamãs puderam perceber sua conexão com o todo . Desta forma, e se abriram para o aprendizado daquilo quem realmente somos e tornaram-se capazes de elevar a consciência e se relacionar com outras realidades e dimensões, assim como manter plena e perfeita harmonia com a natureza, possibilitando a total integração de seus corpos físico, mental, emocional e espiritual.

A prática do xamanismo utiliza-se do trabalho com: ervas, direções sagradas, rituais, jornadas xamanicas, contato com natureza e seres espirituais, ritmos, danças e movimentos corporais, elementos básicos da natureza (água, terra, ar, fogo, cristais, pedras, argila, etc...), cirurgias espirituais e técnicas de cura e purificação dos corpos físico, emocional, mental e espiritual, entre outras coisas.

Atualmente, esta havendo um resgate dos conhecimentos do xamanismo a fim de aplicá-los no dia a dia, buscando elevar a consciência e alcançar novamente o equilibrio.

O xamanismo tem como objetivos básicos: reconectar o ser com sua sabedoria interior, conexão com a multidimensionalidade do ser humano, ancoragem do poder pessoal, conexão com seres espirituais, limpeza dos corpos físico e sutis, limpeza e harmonização de ambientes, harmonização plena do ser, conscientização do aspecto espiritual de cada um e de sua inter relação com a natureza e com o planeta a que pertence, ativação das habilidades de coragem, força e sabedoria para lidar com questões generalizadas , curas e prevenção de distúrbios e doenças.

O conceito básico da cura xamanica é que " Ninguém cura o outro. A cura está dentro de cada um".

Os profissionais do ADONAI – Espaço Terapêutico de Práticas Holísticas e Conciência Ascencional tem formação em Xamanismo Norte Americano, relaizado com índios das tribos Cherokees, Lakotas, Dakotas, Sioux e Apaches.

“Percebendo que os corpos visíveis são somente símbolos de forças invisíveis os anciãos trabalham o poder divino através da manifestação dos reinos da natureza... A era de ouro reconhece as coisas vivas de um ponto de vista que Deus pode ser perfeitamente compreendido através da suprema manifestação de sua força de trabalho : a Natureza. Cada criatura existente manifesta um aspecto da inteligência e poder do Grande e Eterno criador..."

Quem pratica a Magia certamente já se deparou com o xamanismo e com a cultura celta. Mas provavelmente nunca os colocou juntos numa mesma frase, porque aparentemente uma coisa não tem nada a ver com a outra.

O escritor e pesquisador John Matthews (uma das maiores autoridades em Mitologia Celta) também pensava assim - até que suas pesquisas o levaram a desenterrar a ponte entre essas duas tradições.

"O xamanismo celta se perdeu por volta do século 6 d.C., provavelmente pelo advento do cristianismo, numa época em que tudo que era relacionado ao paganismo estava desaparecendo ou tendo que se esconder".

Matthews sustenta, no entanto, que muitos dos primeiros exploradores cristãos eram xamãs, apesar de não se chamarem assim. O xamanismo celta entrou então na clandestinidade, ressurgindo séculos mais tarde em práticas espirituais como o witchcraft (wicca), ou bruxaria.

"O xamanismo é a prática espiritual mais antiga. Numa certa época, era praticado no mundo inteiro", afirma Matthews.

"E quase todas as religiões têm elementos xamãnicos, ainda que estes não apareçam com freqüência". O principal destes elementos que definem o xamanismo é a crença de que tudo é sagrado e divino.

"O xamã se torna um com a natureza, com o planeta, e se comunica com os espíritos dos animais e de todas as coisas que crescem". E isto, diz Matthews, é a linha mestra de todo o xamanismo - seja ele norte americano, siberiano, brasileiro, celta.

É o que ele chama de "core shamanism", as principais práticas que estão presentes no xamanismo de qualquer cultura.

E o centro do trabalho do xamã é a jornada. Os toques de tambor transportam o "viajante" a um transe onde ele encontra os animais de poder, guias e espíritos que o levarão ao que é preciso ver, descobrir ou curar. É uma jornada para dentro, mas não exclusivamente interior. Matthews explica que acessamos um mundo espiritual que está fora de nós, ainda que o vejamos sob o filtro da nossa própria história.

"Com a jornada xamãnica, convidamos este mundo, que está fora de nós, para que entre". O que encontraremos nessa viagem depende da cultura de cada um, do contexto e da necessidade psicológica e espiritual

Chakra

A palavra “chakra” vem do Sânscrito e significa “roda de luz”, "roda da lei", "roda da vida" ou "morte". Chakras são pontos de energia de diferentes vibrações, representando diferentes aspectos do corpo, da alma e do espírito. Simbolizam a lei da natureza, estando em constante movimento. Eles estão localizados ao longo da coluna vertebral do corpo humano.

Alguns clarividentes conseguem enxergar cada um desses pontos, com sua forma e cor específica. Através da Radiestesia e outras formas de tratamentos alternativos, pôde-se constatar que a maioria das doenças são decorrentes do desequilíbrio dos chakras ou da entrada de energia negativa nesses pontos vitais.

Os chakras harmonizados nada mais são do que o equilíbrio entre as polaridades Yin (feminino, frio e úmido) e Yang (masculino, quente e seco). O esquema dos sete chakras é o mais usado nas terapias alternativas. Entretanto, existem inúmeros outros chakras menores, atuando num esquema dinâmico de intercâmbio energético.

Sua função é de receber e transmitir energia para as áreas afetadas do corpo físico, trazendo o equilíbrio. Trabalhando com os chakras, é possível unir todos os aspectos de nossas vidas, incluindo os aspectos físicos, materias, espirituais, sexuais e etc.

Os chakras são centros de conjunção de energias que circulam ao longo de uma espécie de "sistema nervoso subtil" que se chama Nadis. É por eles que circula a energia vital: PRANA

Os chakras criam-se no ponto de intersecção dos Nadis. É nestes centros de força que se encontram o plano terrestre e o plano cósmico. Apresentam-se sob a forma de um cone (funil) e a raiz dos sete chakras principais está conectada ao canal central (o canal Sushumna), com uma parte nas costas, que recebe a energia, e a parte da frente, que a emite. Quando se trata um chakra desperta-se a Kundalini.

É através destes centros de energia que os seres humanos recebem e transmitem. Os chakras alimentam o corpo físico e todos os corpos subtis, alimentam-se de tudo o que, no universo, é energia.

Todos os nossos estados de consciência são condicionados pelo estado energético dos nossos chakras.

No corpo físico, encontra-se sete chakras principais, sendo três mestres e quatro maiores. Sabemos que existe trezentos chakras menores espalhados pelo corpo físico. Também há muitos chakras que se encontram fora do corpo. Quando todos os chakras estão abertos e balanceados, a energia nos permite comunicar com os espíritos do Universo.

Os chakras são divididos da seguinte maneira:

- - Os três chakras localizados na cabeça e na região da garganta, são governados pela razão.

- - Os chakras que estão localizados na frente do corpo, são governados pela emoção.

- - Os chakras que estão localizados na parte de trás do corpo, são governados pelo desejo

Sonhos

Sonhos

Há uma vantagem em procurar recordar os seus sonhos. Eles lhe dirão muita coisa sobre você mesmo. Analisando seus sonhos, estará mais habilitado a apreciar os fatores subconscientes que podem estar perturbando sua vida e fazendo com que você se sinta infeliz. Após ter descoberto o que lhe está trazendo infelicidade, você terá mais possibilidade de êxito (...)

As séries dos chamados "sonhos maus", nos quais você comete atos anti-sociais, significam que você tem tendências destrutivas. É preciso estar em guarda contra o pensamento negativo habitual, principalmente se for dirigir contra indivíduos. Mais cedo ou mais tarde, rancores contra a sociedade, ódio àqueles que nos cercam, desenfreadas fantasias sexuais ou criminais engendram vergonha e ódio contra nós mesmos. Isso, por sua vez, ocasiona doença emocional.

Se você sonha freqüentemente com cenas da infância, isso provavelmente indica que se está refugiando demais no passado. Ser-lhe-á mais compensador preocupar-se com o presente e com o futuro. O passado é como a água que já passou sob a ponte. Você não pode reviver o dia de ontem; o que importa é o que você faz hoje, amanhã e no futuro próximo. Diz a Dra. Camila M. Anderson, em seu livro Beyond Freud ("Para além de Freud"): "A pessoa que está emocionalmente atada ao passado não pode gozar de uma vida realmente feliz".

Um sonho que se repete por muitos anos demonstra a existência de algum conflito enraizado, capaz de influenciar toda a sua personalidade.

Quem sonha constantemente que está ligado a personagens famosos ou que descobriu a cura para o câncer ou para a loucura ou, ainda que ficou multimilionário, está supercompensando algum profundo complexo de inferioridade.

Muitas pessoas sonham, com freqüência, que estão caindo. A repetição desses sonhos pode significar a tentação de tomar algum mau caminho. Indica submissão aos próprios impulsos. Constantes sonhos em que você se encontra em situações perigosas ou frustrantes indicam ansiedade e medo, podendo ser fruto de experiências reais tidas no passado, quando a sua vida esteve ameaçada por algum acidente grave ou doença grave. Anos depois de haver terminado a guerra, os soldados freqüentemente sonham com batalhas. Tais sonhos são também conhecidos como "sonhos do eco".

Sonho Lúcido é definido como sonhar enquanto você sabe que está sonhando. O termo foi inventado por Frederik Van Eeden usando a palavra "lúcido" no sentido de claridade mental. A Lucidez usualmente começa no meio de sonhos quando o sonhador compreende que as experiências que estão ocorrendo não existem na realidade física, mas são fruto da criação de um sonho.

Basicamente seu corpo está 'adormecido' e sua mente está 'acordada'. Sonhar é uma capacidade natural - nós todos sonhamos todas as noites. Você pode ter escutado algumas pessoas que dizem que não sonham - elas sonham sim - elas somente não recordam dos sonhos quando elas acordam. Se você tem tempo, esforço e paciência, você pode aprender a recordar seus sonhos.

E uma vez que você pode fazer isto, sonhos lúcidos são um caminho excelente para explorar o mundo dos sonhos.Enquanto a definição básica de Sonho Lúcido está meramente na capacidade de compreender que se está sonhando, esta definição pode ser dividida em dois tipos de Sonhos Lúcidos. Esses dois tipos são "alto nível de lucidez" e "baixo nível de lucidez."

Um sonhador lúcido que está sonhando com um alto nível de lucidez sabe que toda existência experimentada é fruto da criação da sua mente. Este sonhador está atento que ele ou ela está realmente na cama, adormecido e que não pode sofrer nenhum prejuízo físico como um resultado do sonho.

Sonhando no baixo nível de lucidez, o sonhador não está completamente atento que seu ambiente é unicamente uma criação da sua mente. Isto permite ao sonhador fazer atividades tal como voar, ou fazer o que é mais interessante para ele no momento. Entretanto, o sonhador vê ameaças físicas e outros caracteres do sonho como sendo completamente reais. Enquanto sonha neste baixo nível, o sonhador é usualmente desprevenido que o seu corpo físico está realmente adormecido e em cama.

Você deve estar se perguntando. "Para qual propósito servem os Sonhos Lúcidos?

Os Sonhos Lúcidos podem ajudar as pessoas a achar seu caminho em suas vidas. O livro"Exploring..." contém muitos exemplos de maneiras através das quais algumas pessoas têm usado os sonhos lúcidos para se prepararem para algum aspecto de suas atividades cotidianas.

Algumas das aplicações relatadas: campo de provas (tentar novos comportamentos, ou praticá-los, e afiar habilidades atléticas), resolução criativa de problemas, inspiração artística, superação de problemas de ordem sexual e social, aceitação da perda de alguém querido, e restabelecimento dasaúde física.

Se a possibilidade de acelerar a saúde física, sugerida pelo que contam os sonhadores lúcidos, for confirmada pelas pesquisas, isto será uma razão tremendamente importante para se desenvolver habilidades com o sonhar lúcido.

O Poder dos Banhos Mágicos

Banhos
Em todas as tradições místico-esotéricas, os banhos são indicados como poderosos auxiliares nos processos de cura e equilíbrio de energia do nosso corpo. Ajudam a relaxar e são verdadeiros calmantes. A água é fundamental em nossa vida, combinada com as plantas e ervas medicinais de forma correta torna-se um perfeito tratamento terapêutico para a nossa saúde.
A tribo dos Caudes que vivia no litoral do Golfo Pérsico e se tornou parte do Império da Babilônia já utilizava esse método em seus antigos banhos públicos, os Caudes foram os precursores das famosas Termas (em Latim: Thermae).
Para os romanos os banhos públicos tinham diversas finalidades, entre elas, a higiene corporal e principalmente a terapia pela água com as suas propriedades medicinais. As Termas direcionadas ao Imperador Diocleciano foram as
maiores termas imperiais e mantiveram-se funcionando até o século VI, elas eram orientadas a sudeste, para permitir que a energia solar aquecesse o caldarium (banhos de água quente) sem impedir o frigidarium (banhos de água fria).
Os Japoneses também têm a sua tradição em relação à água com os seus banhos de "Ofurô" - um tipo de banheira criada no Japão caracterizada pelo seu formato profundo e curto, permitindo ao seu usuário tomar banho com o corpo em posição fetal - o suficiente para que a água cubra os ombros de uma pessoa sentada e o seu objetivo não é lavar o corpo, os banhos de imersão no ofurô constituem autênticos rituais.
Desde às épocas mais remota os banhos são considerados veículos de purificação do corpo e da mente. Segundo o Terapeuta Antroposófico Marcio Passos, nos banhos de imersão as ervas e as flores agem sutilmente, através da água, purificando e harmonizando, trabalham as energias negativas como cansaço, stress, irritação, etc...
O banho equilibra a aura, relaxa, acalma e também energiza, uma nova energia trazida pelas sustância naturais puras, pelos cristais, os óleos essenciais...Há uma renovação, um sentir-se mais leve, um grande bem estar, mas lembre-se que para os banhos de imersão necessitamos de plantas puras, naturais, pois elas entram em contato direto com a pele.
As plantas tem substâncias fitoterápicas que durante o banho entram pelos poros e atuam no organismo. Além disso, as emanações energéticas das plantas medicinais e aromáticas atuam no campo áurico, trazendo um grande benefício durante os banhos de imersão. Com ervas e flores colhidas na hora a energia vital das plantas está toda presente.

Tome nota:

Banhos de imersão: A água deve estar morna e o banho deve durar uns 25 minutos. O banho pode ser repetido três vezes por semana durante um mês. Após este período mudar a erva utilizada. Procure usar nos banhos óleos aromáticos.
Essências perfumadas e óleos essenciais obtidos de flores, folhas e cascas têm propriedades terapêuticas que relaxam e afastam energias negativas. Os aromas também proporcionam bem-estar, despertando lembranças, sensações agradáveis e relaxantes...então o que você está esperando? Experimente edescubra o poder das ervas.
Aqui encontram-se algumas dicas para que você reponha as suas energias, relaxe e harmonize-se consigo mesmo...

O banho feito com lírios brancos e rosas brancas, por exemplo, acalma e restaura a paz espiritual.

Usando a Camomila - é excelente, contém azulina que é um ótimo calmante para a pele. Os resultados desse banho você nota imediatamente, pois ele dá profunda sensação de repouso e faz uma limpeza completa em sua pele. Para aproveitá-lo ainda mais, umedeça dois chumaços de algodão na água do banho e coloque-os sobre os olhos; eles ficarão claros e brilhantes.

Cavalinha/Alecrim - Usado para proteger a pele de insetos.

Sabugueiro - no banho é um poderoso calmante e muito recomendado para a insônia. Possui qualidades clareadores para a pele. Usar em infusão bem concentrada.

Confrei - utilizada para uso medicinal torna-se essencial para o banho, tem o poder de soldar ossos fraturados, indicada também nos casos inflamatórios, inchaços e queimaduras.

Calêndula - além de calmante, é utilizada no banho para tratamento de varizes e veias dilatadas.

Amora - em infusão no banho, dá novo brilho e viço na pele.

Hortelã - Perfeita para tonificar os músculos e renovar as energias. Além disso, a hortelã contribui para amaciar a pele e tem um excelente efeito desodorizante.

Orégano - Você conhece mais como tempero, mas ele também é ótimo para banhos. Indicado para aliviar dores musculares e reumáticas.

Alfazema - O banho de alfazema tem uma grande vantagem, pois você já sai dele suavemente perfumada. Para hidratar o corpo, pingue na água do banho 5 ou 6 gotas de óleo de amêndoa doce.

Sálvia - Erva de efeito antiinflamatório , que ajuda a combater cravos e espinhas. O banho de sálvia é recomendado especialmente para quem tem pele oleosa.

Flor de Laranjeira - O banho com esta erva dá uma gostosa sensação de frescor e descanso. A flor de laranjeira é também adstringente e fecha os poros excessivamente dilatados.

Melissa - Também conhecida como erva-cidreira, proporciona um banho repousante e perfumado. Tomado antes de dormir, garante um sono tranqüilo. Alivia o cansaço e a tensão do dia.

Banhos com Mel - ajudam adoçar o temperamento e com camomila propiciam bons sonhos.

Banho de Harmonização
Leve ao fogo uma panela com 1 litro de água e assim que começar a ferver, adicione as pétalas de 7 rosas brancas e 1 punhado de açúcar. Mexa bem a mistura com uma colher de pau, retire do fogo e acrescente 7 gotas de essência de lavanda e deixe esfriar até o líquido ficar morno.
Tome seu banho habitual e, antes de encerrá-lo, despeje lentamente do pescoço para baixo a poção recém-preparada e, ao mesmo tempo, vá mentalizando que todas as energias negativas estão sendo eliminadas, levadas para fora de seu corpo e de sua aura.
Vista roupas claras e acenda uma vela branca num lugar alto e mantenha ao lado um copo de água com açúcar. As pétalas que sobraram do banho devem ser deixadas num jardim florido no dia seguinte ao banho.
Banho para Energias Positivas
Quando sentir que colocaram olho gordo em você, faça este banho para se livrar das energias negativas. Primeiro, junte as ervas arruda, catinga-de-mulata, guiné e alecrim e acrescente um pouco de sal grosso.
Ferva tudo ligeiramente, coe e coloque num balde com 3 litros de água. Banhe-se do pescoço aos pés, mas antes tome um banho normal.

Banho de Relaxamento
Durante uma segunda-feira de Lua Minguante, junte as seguintes ervas: sabugueiro, kitoco, rabo-de-tatu, piteira imperial, zanga, angélica, alumã e brio-de-estudante. Coloque todas em 3 litros de água já fervida. Deixe um pouco de molho, retire do fogo e depois coe.
Quando a água estiver morna, despeje o preparado do pescoço parta baixo. Aproveite para preenche a cabeça com pensamentos positivos e relaxar todos os músculos tensos.
Tente esquecer os problemas e sentir corpo e a cabeça leves, como se você estivesse flutuando. Ao sair do banho. não se enxugue com uma toalha. Espere o corpo secar naturalmente. Antes de sair para a rua, faça uma oração invocando seu anjo da guarda, para que ele acompanhe e auxilie você em todos os momentos.

Banho Espiritual
Em uma jarra de vidro limpa misture: 1 xícara de água do mar ou de água morna mineral,1 colher de sopa de sal grosso, 1 xícara de vinagre de maçã.
Coloque essa mistura na banheira com água pela metade e banhe-se por 5 Minutos com um mínimo de três imersões completas. Reze para a libertação de qualquer energia negativa a seu redor ou para se libertar de qualquer influência negativa ou preocupação que possa sentir.
Banho da Prosperidade
Misture: 1 xícara de chá de canela moída em, 4 xícaras de chá de salsa.
Divida a mistura em 5 partes iguais. Tome 5 banhos nos 5 primeiros dias da semana. Se tiver banheira, fique em imersão na água por 8 min., pedindo melhora financeira. Mas não exija nada, confie na sabedoria e generosidade do universo. Durante o banho, afunde 5 vezes. Enxugue-se normalmente e boa sorte.

Água do Banho do Amor
Misture dentro de um pires feito de barro: Água da fonte descansada sob a primeira fase da Lua crescente e da Lua cheia. Uma porção de alfazema, alecrim e rosas vermelhas.
Use sempre depois do banho ou durante, se possível junto com a pessoa amada, é uma água muito poderosa e pode usar numa poção, receita ou no que sua intuição lhe desejar!
Água Após o Banho
Misture: 2 colheres sálvia trituradas, 1 copo de álcool de cereais, Deixe ficar por um mês e depois passe por uma peneira. Junte 5 gotas de alfazema. Use sempre após o banho.

Colônia de Alecrim
Misture em 1\2 litro de álcool de cereais: 2 gotas de essência de alecrim, 2 gotas de bergamota, 2 de cidra, 2 gotas de essência flor de laranjeira. Deixe ficar pelo menos por 7 dias consecutivos, e coloque em um vidro. Use-o em momentos de bem estar, como em uma festa por exemplo.
As ervas geralmente são encontradas em farmácias ou em casas de produtos naturais.


Preparação dos Banhos
Em todos os banhos, onde se usam as ervas, devemos nos preocupar com alguns detalhes. Leia com atenção as indicações a seguir para ter a certeza de um banho eficaz.
A colheita deve ser feita em fases lunares positivas. Ex: Crescente, cheia...
Ao adentrar numa mata para colher ervas ou mesmo num jardim, saudamos sempre os deuses responsável pelas folhas (no Candomblé é um Orixá, mas pode ser considerado como um ser encantado, com responsabilidades e atuações limitadas).
Antes de colhermos as ervas, toquemos levemente a terra, para que descarreguemos nossas mãos de qualquer carga negativa, que é levada para o solo. 
Normalmente usamos folhas, flores, frutos, pequenos caules, cascas, sementes e raízes para os banhos, embora dificilmente usamos as raízes de uma planta, pois estaríamos matando-a.
Colocar as ervas colhidas em sacos plásticos, já que são elementos isolantes, pois até chegarmos em casa, estaremos passando por vários ambientes.
Lavar as ervas em água limpa e corrente.
Os banhos ritualísticos, devem ser feitos com ervas frescas, isto é, não se demorar muito para usá-las, pois a energia contida nelas, vai se dispersando e perde-se o efeito do banho.
A quantidade de ervas, que irão compor o banho , são 1 ou 3 ou 5 ou 7 ervas diferentes e afins com o tipo de banho. Por exemplo, num banho de defesa, usamos três tipo  de ervas (guiné, arruda e alecrim).
Não usar aqueles banhos preparados e vendidos em casas de artigos religiosos, já que normalmente as ervas já estão secas, não se sabe a procedência nem a qualidade das ervas, nem se sabe em que lua foi colhida, além de não ter serventia alguma, é apenas sugestivo o efeito.
Alguns banhos, são feitos com água fria.
Banhos feitos com água quente, devem ser feitos por meio da abafação e não fervimento da água e ervas, isto é, esquenta-se a água, até quase ferver, apague o fogo, deposite as ervas e abafe com uma tampa, mantenha esta imersão por uns 10 minutos antes de usar. Alguns dizem que a água quente não é eficiente para um banho, mas esquecem que o elemento Fogo, também faz parte dos rituais. A água aquecida “agita” a mistura, liberando o prana das ervas.
Acender uma vela para a Deusa e manter-se em meditação e concentração, já que se está realizando um ritual.
Os banhos não devem ser feitos nas horas abertas do dia (06 horas, 12 horas ou meio-dia, 18 horas e 24 horas ou meia-noite), pois as horas abertas são horas “livres” onde todo o tipo de energia “corre”.
Não se enxugar, esfregando a toalha no corpo, apenas, retire o excesso de umidade, já que o esfregar cria cargas elétricas (estática) que podem anular parte ou todo o banho.
Embora todo o corpo será banhado, a parte da frente do corpo é que devemos dar maior atenção, já que estão as “portas” dos chacras, além da parte frontal possuir uma maior polaridade positiva, que tem propriedades elétricas de atrair as energias negativas e que são eliminadas com o banho, recebendo carga positiva e aceleradora.
Após o banho, é importante saber desfazer-se dos restos das ervas. Aquilo que ficou sobre o nosso corpo, nós retiramos e juntamos com o que ficou no chão. Colocamos tudo num saco plástico e despachamos aquilo que é biodegradável, em água corrente.


Alguns banhos:

Banho de Rosas Brancas

O banho de rosas brancas é perfeito para ser tomado logo após o banho de sal grosso. Sua principal função é a vitalização. Por isso é ideal após uma boa limpeza.
É também um dos únicos banhos indicados para serem tomados desde a cabeça. Além de vitalizar e repor as energias, é um excelente para o fortalecimento da aura, traz tranquilidade, facilita a paz interior e a conexão com a Divindade.





Banho incentivador de prosperidade financeira
Faça-o sempre que estiver precisando de sorte nos negócios
Ingredientes:
1 ramo de salsa;
1 colher (sopa) de canela em pó;
1 noz moscada ralada;
1 colher (chá) de mel;
1 colher (chá) de gengibre ralado
Prepare o chá de forma tradicional. Deixe amornar e depois coe. Tome seu
banho normalmente e depois jogue lentamente essa mistura sobre o corpo.
Seque-se sem o auxílio da toalha.
Banho Libertador de Tensões
Faça-o sempre que estiver tão envolvida com as preocupações do dia-a-dia
que não consegue resolver os problemas.
Ingredientes:
1 banheira;
2 xícaras de farinha de centeio;
10 gotas de alfazema
Encha completamente a banheira com água e acrescente os ingredientes. Deixe que a água atinja uma temperatura agradável a sua pele e se deixe relaxar por, pelo menos, 30 minutos.

Em todas as tradições místico-esotéricas, os banhos são indicados como poderosos auxiliares nos processos de cura e equilíbrio de energia do nosso corpo. O banho feito com lírios brancos e rosas brancas, por exemplo, acalma e restaura a paz espiritual.
Banhos com mel ajudaram adoçar o temperamento e com camomila propiciam bons sonhos.
Para o cansaço e a tensão do dia, faça um escalda-pés com melissa e se sentirá relaxado.
Banho espiritual:
Em uma jarra de vidro limpa misture:
1 xícara de água do mar ou de água morna mineral.
1 colher de sopa de sal grosso.
1 xícara de vinagre de maçã.
Coloque essa mistura na banheira com água pela metade e banhe-se por 5
Minutos com um mínimo de três imersões completas. Reze para a libertação de qualquer energia negativa a seu redor ou para se libertar de qualquer influência negativa ou preocupação que possa sentir.
Banho da prosperidade
Misture:
1 xícara de chá de canela moída em
4 xícaras de chá de salsa.
Divida a mistura em 5 partes iguais.
Tome 5 banhos nos 5 primeiros dias da semana. Se tiver banheira, fique em imersão na água por 8min, pedindo melhora financeira.
Mas não exija nada, confie na sabedoria e generosidade do universo.
Durante o banho, afunde 5 vezes.
Enxugue-se normalmente e boa sorte.


Água do banho do Amor
Misture dentro de um pires feito de barro
Água da fonte, descansada sob a primeira fase da Lua crescente e da Lua cheia.
Uma porção de alfazema, alecrim e rosas vermelhas.
Use sempre depois do banho ou durante, se possível junto com a pessoa amada, é uma água muito poderosa e pode usar numa poção, receita ou no que sua intuição lhe desejar!

PARA ATRAIR O AMOR: 2 litros de leite 4 colheres de mel 1 maçã vermelha ralada 2 pauzinhos de canela Ferva o leite e acrescente os demais ingredientes. Deixe esfriar. Coe e use após o banho higiênico, da cabeça aos pés. Cubra a cabeça com uma toalha e vista-se sem enxugar-se, ou coloque um roupão.
PARA PAIXÃO: 1 maçã vermelha ralada 1 maço de salsa fresca 4 litros de água mineral 4 colheres de mel de flor de laranjeira No primeiro dia da lua cheia, coloque a água numa vasilha grande e acrescente os demais ingredientes. Coloque a vasilha num local onde possa receber o frescor da noite e a luz da lua cheia. Na manhã seguinte, coe a mistura e utilize-a, após o banho habitual, da cabeça aos pés. Cubra a cabeça com uma toalha e vista-se sem enxugar-se, ou coloque um roupão. Os homens devem retirar a salsa e utilizar o banho apenas com os outros ingredientes.
PARA FARTURA E PROSPERIDADE: 4 litros de água mineral 6 paus de canela pequenos 1 colher de chá de noz moscada ralada 6 folhas de louro 1 colher de sopa de erva-doce ou funcho 6 moedas douradas ou uma peça de ouro Pétalas de rosa amarela Num dia de lua cheia, ferva a água e acrescente os demais ingredientes, exceto as pétalas da rosa amarela. Coe. Guarde as peças de ouro e as moedas. Deixe esfriar e antes de utilizá-lo, acrescente as pétalas de rosa. Tome o seu banho habitual e utilize a mistura derramando-a generosamente da cabeça aos pés. Cubra a cabeça com uma toalha e vista-se sem enxugar-se, ou coloque um roupão.
PARA SORTE E HARMONIZAÇÃO: 4 litros de água mineral 2 colheres de sopa de óleo de amêndoa para o corpo 10 gotas de essência de rosas Pétalas de rosa branca, lírio e angélica 1 quartzo branco bruto 1 quartzo rosa bruto 1 citrino bruto 1 ametista Numa noite de lua crescente, coloque todos os ingredientes numa vasilha grande e deixe-a num local onde possa receber o frescor da noite e a luz da lua. Na manhã seguinte, após o banho higiênico, banhe-se na mistura, comprimindo as pétalas de rosa sobre a pele do corpo. Não se enxugue. Vista-se com um roupão e enrole uma toalha nos cabelos. Vista-se com roupas claras.
PARA PROTEÇÃO ESPIRITUAL: 10 ramos de alecrim fresco, sem os galhos 30 gotas de essência de verbena 1 punhado de sal grosso 4 litros de água mineral Ferva a água, desligue a chama e coloque os ramos de alecrim e o sal grosso. Deixe esfriar. Macere o alecrim com as mãos, como quem esfrega uma roupa. Antes de utilizar o banho, acrescente as gotas de verbena. Banhe-se do pescoço para baixo e deixe a água secar naturalmente ou use um roupão. Duas horas depois, tome uma chuveirada, se estiver sentindo um sono anormal.
PARA AFASTAR MAU OLHADO OU QUEBRANTO: 3 litros de água mineral 1 garrafa de cerveja clara Misture a cerveja com a água e banhe-se da cabeça aos pés, após o banho higiênico. Enrole uma toalha na cabeça e vista-se sem enxugar-se.
PARA RETIRAR A NEGATIVIDADE:4 litros de água mineral 2 punhados de sal grosso 2 dentes de alho roxo cortados em cruz 5 galhos de arruda macho 5 galhos de arruda fêmea Ferva a água com os dentes de alho cortados. Quando a água estiver morna, acrescente a arruda, tratando de macerá-la, até que esteja totalmente desfeita. Misture o sal. Deixe esfriar e coe. Use do pescoço para baixo, após o banho habitual. Passadas duas horas, tome uma chuveirada de água morna ou fria. Faça na lua minguante.
BANHO DE DESCARREGO: – 3 rosas brancas – 3 punhados de erva-doce – 21 cravos da índia – 1 punhado de girassol – Danda da costa (é uma erva encontrada em casas de umbanda) – 7 folhas de louro – 1 copo de guaraná de garrafa Ferva todas as ervas por 20 min e, depois, acrescente 1 copo de guaraná (refrigerante). Deixe dar uma amornada e jogue da cabeça aos pés.
BANHO PARA ABRIR CAMINHOS: Pau d’alho (erva encontrada em casas de umbanda) – Semente de girassol Ferva tudo junto por 20 min. Espere amornar e jogue da cabeça aos pés.
BANHO PARA ACALMAR: – Melissa Ferva por 20 minutos. Espere amornar e jogue da cabeça aos pés.
BANHO PARA DOR DE CABEÇA: – Água de coco – Folhas de elevante (erva encontrada em casas de umbanda) Ferva por 20 minutos. Espere amornar e jogue da cabeça aos pés.
BANHO AFRODISÍACO: Antes de um encontro amoroso ou sexual, ou também para atrair uma pessoa, podemos tomar o seguinte banho, carregando-nos com uma forte aura sedutora: Coloque em um balde ou bacia água quente (sem estar fervida) e coloque as seguintes essências; dez gotas de ylang-ylang (óleos essenciais), dez gotas de sândalo*, dez gotas de essências de rosas*, dez gotas de almíscar* e um punhado de cravo. Depois de tomado o seu banho normal, pegue o balde e com a ajuda de uma caneca, vá molhando novamente o seu corpo com essa água. Comece pela cabeça e vá molhando todo o restante do corpo. Feito isso, seque-se naturalmente, sem auxílio da toalha. Quando já estiver seco, coloque mais algumas gotas de almíscar nas palmas das mãos e acaricie o seu corpo todo.
BANHO DE ATRAÇÃO: Este é para eliminar do seu corpo as impurezas que afastam os bons fluidos. Assim, você ficará pronta para atrair somente coisas boas e, principalmente, a pessoa que quer conquistar. O banho deve ser tomado em uma quarta-feira, menos em noite de Lua Minguante. O preparado é feito com as seguintes plantas: folhas de malva rosa, colônia, cravo branco, eucalipto, girassol, mil homens e manacá, junte as ervas em um mesmo recipiente, cozinhe com água, coe e deixe esfriar Quando o preparado estiver numa temperatura que a pele aceite, derrame-o pelo corpo e deixe secar sem enxugar com a toalha. Esse banho deve ser tomado somente na hora de dormir. Depois dele, você estará com o corpo todo protegido e pronta para atrair a pessoa amada.
SORTE: Se você estiver sentindo falta dessa energia tão necessária à vida, faça este banho especial para ajudar no trabalho e também no amor. Separe erva-de-bicho, folha da fortuna, arruda-macho, arruda-fêmea, levante, quebra-tudo, guiné e espada-de-são-jorge. Coloque todas as ervas para ferver em 3 litros de água, abafe por 3 minutos e coe. Assim que esfriar, despeje algumas gotas da colônia de sua preferência e tome o banho em uma terça-feira à noite, durante a fase da Lua Crescente.
ENERGIAS POSITIVAS: Quando sentir que colocaram olho gordo em você, faça este banho para se livrar das energias negativas. Primeiro, junte as ervas arruda, catinga-de-mulata, guiné e alecrim e acrescente um pouco de sal grosso. Ferva tudo ligeiramente, coe e coloque num balde com 3 litros de água. Banhe-se do pescoço aos pés, mas antes tome um banho normal.
PURIFICAÇÃO: Se você quiser mandar as energias negativas para bem longe, faça este banho em uma quinta-feira de Lua Crescente, de preferência, à noite. junte as seguintes ervas: alecrim do campo, palma-de-santa-rita, rosas vermelhas, espada-de-são-jorge, louros verdes e erva-de-santa-bárbara. Coloque todas para ferver em 3 litros de água e, depois, coe o preparado. Separe as ervas e coloque-as ao sol. Após tomar um banho normal, despeje a mistura sobre seu corpo. Queime as ervas secas em um braseiro, juntamente com incenso de benjoim ou mirra. Enquanto as ervas queimam, diga as seguinte palavras: “Fogo de Deus, fogo celestial, fogo sagrado, que toda a impureza seja queimada e destruída em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, que a Santa Divina Trindade. Queimei, destruí e reduzi ao nada todas as más influências, assim como todo o mal”.
RELAXAMENTO: Durante uma segunda-feira de Lua Minguante, junte as seguintes ervas: sabugueiro, kitoco, rabo-de-tatu, piteira imperial, zanga, angélica, alumã e brio-de-estudante. Coloque todas em 3 litros de água já fervida. Deixe um pouco de molho, retire do fogo e depois coe. Quando a água estiver morna, despeje o preparado do pescoço parta baixo. Aproveite para preenche a cabeça com pensamentos positivos e relaxar todos os músculos tensos. Tente esquecer os problemas e sentir corpo e a cabeça leves, como se você estivesse flutuando. Ao sair do banho. não se enxugue com uma toalha. Espere o corpo secar naturalmente. Antes de sair para a rua, faça uma oração invocando seu anjo da guarda, para que ele acompanhe e auxilie você em todos os momentos.
INVEJA: Junte alguns ramos de rosas brancas, arruda e ferva em 3 litros de água. Deixe descansar e esquente de novo. Depois, passe tudo por uma peneira fina. Faça esse banho em uma segunda-feira de Lua Minguante.
BANHO DE CARINHO (quando se está carente): Punhado de camomila · Punhado de Erva doce · Alecrim · Tomilho · Cravo e canela
BANHO DE SEDUÇÃO E SEXUALIDADE: · 2 maçãs sem casca picadas · 2 peras sem casca picada · 4 gomos de uvas · 4 cerejas · 4 amoras · 4 morangos Colocar as frutas na banheira e colocar 1 litro de champagne rosé e salpicar com pétalas de rosas.





Banhos de Ervas

Você chega em casa após um dia de trabalho estafante. Se não se cuidar bem, o cansaço, somado à poluição, pode lhe trazer sérias consequências.
Reserve-se o direito de relaxar e de cuidar de si mesma. Dê-se de presente banhos relaxantes, revigorantes, grandes auxiliares nos cuidados da sua beleza.
Banhos de erva são um grande aliado, mas que sejam de pelo menos uma hora, para que você aproveite ao máximo seus efeitos benéficos.
As ervas são encontradas em farmácias ou em casas de produtos naturais. Faça uma infusão com 3 colheres (sopa) da erva escolhida em 2 copos de água. Coe e acrescente a infusão à água do banho.
CAMOMILA - Os resultados desse banho você nota imediatamente, pois ele dá profunda sensação de repouso e faz uma limpeza completa em sua pele. Para aproveitá-lo ainda mais, umedeça dois chumaços de algodão na água do banho e coloque-os sobre os olhos; eles ficarão claros e brilhantes.
HORTELÃ - Perfeita para tonificar os músculos e renovar as energias. Além disso, a hortelã contribui para amaciar a pele e tem um excelente efeito desodorizante.
ORÉGANO - Você conhece mais como tempero, mas ele também é ótimo para banhos. Indicado para aliviar dores musculares e reumáticas.
ALFAZEMA - O banho de alfazema tem uma grande vantagem, pois você já sai dele suavemente perfumada. Para hidratar o corpo, pingue na água do banho 5 ou 6 gotas de óleo de amêndoa doce.
SÁLVIA - Erva de efeito anti-inflamatório rio , que ajuda a combater cravos e espinhas. O banho de sálvia é recomendado especialmente para quem tem pele oleosa.
FLOR DE LARANJEIRA - O banho com esta erva dá uma gostosa sensação de frescor e descanso. A flor de laranjeira é também adstringente e fecha os poros excessivamente dilatados.
MELISSA - Também conhecida como erva-cidreira, proporciona um banho repousante e perfumado. Tomado antes de dormir, garante um sono tranquilo.
Banho de Ervas - in natura
Neste banho, não utilizamos os óleos essenciais, mas sim uma generosa porção de ervas medicinais, óleos vegetais ricos em vitamina E e ainda pitadas de sais marinhos.
Na gravidez, as transformações naturais do corpo podem ser aliviadas por alguns cuidados especiais.
O banho de imersão durante este período, realizado semanalmente, garante o bem-estar da gestante. Indicado também àqueles que têm sensibilidade com os aromas.
Indicações:
Todo o tipo de pele. Estresse, má circulação, dores musculares. E fortalecimento dos tecidos.
Efeitos:
estimula a circulação;
regenera, tonifica, nutre e amacia a cútis;
relaxa, elimina a sensação de peso nas pernas;
alivia estresse e dores musculares.
Complemente e amplie os resultados obtidos nesse banho com uma massagem terapêutica.
 

Dicas Importantes
Os banhos devem ser acompanhados de preces pessoais espontâneas e sinceras. Peça. Converse com os Deuses.
As flores e ervas frescas não devem ser fervidas. O valor energético das mesmas se perderá.
Caso não consiga flores e ervas frescas, você pode usá-las secas.
Neste caso, poderá colocá-las em água fervente e abafá-las. Evite fervê-las.
Se estiver sentindo frio, acrescente ao banho, já preparado, uma quantidade de água mineral quente.
Os resíduos dos banhos devem ser devolvidos à natureza. Coloque os resíduos num jardim ou no mar. Não se joga no lixo flores e ervas utilizadas em banhos energéticos, pois, se forem devolvidas à natureza, servirão como adubo.
Na verdade não existe mal algum em jogar uma mistura de sal grosso e água na cabeça. Afinal de contas, nós não tiramos a cabeça para entrar no mar, onde há maior concentração de sal que nos banhos de limpeza energética. O que causa desconforto e cansaço é manter o sal no corpo por muito tempo. Por isso, três horas após um banho com sal grosso, banhe-se apenas com água, caso use o banho da cabeça aos pés.

Banhos preparados com ervas como arruda, comigo-ninguém-pode, espada-
de-são-jorge e pára-raios não devem tocar a cabeça. Podem causar cansaço, letargia, dores e insônia. Evite-as.