Siga por e-mail

Seguidores

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Beltane



BELTANE


Beltane - Os amantes se enlaçam - 31 Outubro

Beltane ocorre no pico da Primavera. Este é o momento do ano em que a Terra se aquece no gentil abraço de calor do Sol e o Inverno é oficialmente e, finalmente, deixado para trás.
Beltane ocorre no dia 1º de maio no hemisfério Norte e no dia 31 de outubro no hemisfério Sul.


O Sol está rapidamente se aproximando do seu apogeu, que ocorre em Litha, e o seu calor ajuda as plantas e sementes a serem fertilizadas. Os animais brincam e se acasalam.

A Deusa e o Deus agora estão em plena vitalidade e amam-se com toda intensidade. O Deus (o Sol) tem crescido e caminhado para sua fase adulta e a Deusa está no ápice de sua beleza e feminilidade. Eles irão consumar o seu amor. A Sua paixão é evidente em toda a vida presente na Terra.

O Sabbat Beltane marca a união da Deusa e do Deus, representando a fertilidade dos animais e as colheitas do próximo ano.

É o simbolismo da união entre os princípios masculino e feminino da criação, a união dos meios de todos os poderes que trazem vida a todas as coisas. Em Beltane comemoramos a fertilidade, o amor que dá forças a tudo e o retorno do Sol com toda a sua intensidade.
A palavra Beltane vem do nome do Deus céltico “Bel”, que era o senhor da vida, da morte e do mundo dos espíritos. “Tinne” é uma palavra céltica que significa “fogo”. Assim, Beltane quer dizer “Fogo de Bel”.


A antiga tradição requeria que o fogo doméstico fosse apagado da casa toda nesse momento. Uma grande fogueira era feita com as nove árvores sagradas (freixo, bétula, teixo, aveleira, sorveira, salgueiro, pinheiro, espinheiro e carvalho) e então acesa pelos Druidas, sem o suo de pederneira ou aço, ao nascer da Lua, dando-se início à comemoração do Sabbat.

Entre os primeiros povos Pagãos era costume pular a fogueira da Beltane para se livrar de doenças e energias negativas, assegurar bons partos e pedir as bênçãos dos Deuses da fecundidade.

Cada família levava brasas desse fogo para sua casa. Isso simboliza a renovação da vida depois do Inverno frio. Levando as brasas do fogo sagrado e reacendendo o fogo doméstico, as pessoas compartilhavam do divino, representando uma bênção de esperança para um Verão próspero e fértil, com uma colheita abundante.

Beltane é o tempo de celebrar a vida em todas as formas. É o momento de dar boas-vindas ao Verão, momento de equilíbrio, no qual nos despedimos das chuvas, e as colinas e vegetações atingem tons dourados.

Entre os povos da Europa, os gados, que tinham ficado presos durante todo o Inverno, eram soltos nos pastos em Beltane, a festa que confirmava a promessa da Primavera e o aumento da luz do Sol.

Ao longo dos séculos da Europa céltica, muitos outros costumes foram associados a Beltane. Como nessa época do ano a Terra era muito fértil, a maioria das Tradições européias locais se preocupavam com a fertilidade das colheitas e animais. Beltane era celebrado com flores e uma grande festa pública. Um dos símbolos mais conhecidos associado com esse Sabbat é o Mastro de Beltane ou Maypole (Mastro de Maio, pois no hemisfério Sul Beltane é festejado no primeiro dia de maio). Feito do tronco de uma árvore forte e alta, normalmente o vidoeiro ou freixo era enfeitado com flores e tiras. Uma vez decorado era elevado freqüentemente na praça da aldeia, ponto focal das atividades da comunidade. Seu simbolismo era fálico em honra da fertilidade renovada da Terra.

Ainda hoje continuamos com a Tradição de elevar um grandioso Mastro para celebrar esse Sabbat. O Mastro simboliza o falo do Deus e ele sempre é ornado com uma coroa de flores, representando a vulva da Deusa e fitas multicoloridas. Cada participante pega uma fita e começam então a entrelaçar uma na outra até que todo o Mastro esteja revestido por elas. Ao dançarem e entrelaçarem as fitas no Mastro, estão representando a união da Deusa e do Deus. Na essência, os participantes estão realizando uma incrível união sexual no nível divino.

Um dos mais belos e antigos costumes associados com esse festival era o “Bringing in the May”. Os jovens das vilas e cidades iam até as florestas à meia-noite de Beltane para colher flores. Quando retornavam para a sua vila, paravam em cada casa e presenteavam seus moradores com as flores; então recebiam as melhores comidas e bebidas que os anfitriões podiam oferecer. Isto trazia boa sorte para os donos da casa e era um ato generoso que representava a bondade da Terra nessa época do ano.

Em Beltane o Grande Rito é realizado e possui um significado muito mais especial nesse Sabbat, pois representa o Casamento sagrado, a União Sexual da Deusa e do Deus que sustentará a Terra, dando uma colheita farta e abundante para todos nós nos meses vindouros. O Grande Rito é realizado simbolicamente, quando o Athame (símbolo fálico) é mergulhado no Cálice (símbolo do ventre da Deusa).

Na Europa Antiga, as pessoas celebravam Beltane unindo-se sexualmente em meio aos bosques. Todas as crianças concebidas por meio dessas uniões eram consideradas “bem-aventuradas” e filhos da Deusa e do Deus. Essas uniões em meio às árvores era um ato de Magia simpática e todos acreditavam que tinha um efeito positivo nos reinos animal, vegetal e humano.

Beltane é um Grande Sabbat e, por isso, uma fogueira é acesa de acordo com as Antigas Tradições. O Deus Bel é invocado e então todos pulam a fogueira para se livrar de má sorte, doenças, negatividade e para atrair a fertilidade para sua vida. O Fogo simboliza o Deus em seu total aspecto da Amante da Deusa.

Nesse dia celebramos a vida dançando em volta do Mastro de Beltane (Maypole), dando as boas-vindas ao Verão que se aproxima, pulando o Caldeirão para atrair fertilidade. Muitos casais pulam juntos o caldeirão, para conceber uma criança. A fertilidade sexual é invocada e celebrada como o meio pelo qual todos vêm para a Terra. Beltane é o dia da alegria, da felicidade e do riso. É a festa mais alegre dentre todas, pois celebra a vida em todas as suas manifestações.

É em Beltane que as sementes plantadas no Equinócio da Primavera começam a germinar e brotar. Magicamente falando, Beltane é o tempo de fertilizar, nutrir e encorajar aquilo que plantamos em Ostara, que são nada mais nada menos que os nossos próprios desejos.


Correspondências de Beltane

Cor: verde.

Nomes Alternativos: Rudemas, Vésperas de Maio, Giamonios.

Deuses: Deuses das florestas, fertilidade, sexualidade, êxtase. A Deusa, no seu aspecto de Fertilizadora, e o Deus, como Fecundador.

Ervas: cardo-santo, curry, narciso, coriandro, sangue-de-dragão, samambaia, urtiga, sementes de linho, espinheiro, manjerona, páprica, rabanete, cogumelo, amêndoa, rosas, folhas de sabugueiro, baunilha, ylang ylang.

Pedras: malaquita, quartzo rosa, esmeralda, berilo, turmalina, quartzo verde, amazonita, aventurina.

Atividades:

  • Pular a fogueira de Beltane;
  • Guardar as cinzas da Fogueira de Beltane para utilizar em encantamentos de fertilidade, para abençoar objetos e pessoas;
  • Dançar em volta do Mastro de Beltane;
  • Colher as primeiras ervas da estação;
  • Fazer um piquenique com a família;
  • Lavar a face no orvalho da manhã de Beltane. Segundo as Tradições desse Sabbat, isso traz beleza para quem o faz;
  • Fazer máscaras com folhas para representar o Green Man;
  • Colocar uma tira de tecido em uma árvore fazendo um pedido ao Povo das Fadas. Usar tiras nas cores: laranja para prosperidade, rosa para amor, verde para abundância, amarela para cura, vermelha para proteção, preto para afastar o mal;
  • Fazer uma oferenda ao Povo das Fadas;
  • Fazer guirlandas para serem usadas na cabeça como coroas. As das mulheres são feitas com flores multicoloridas e as dos homens com folhagens verdes;
  • Fazer um pacote de Beltane, com madeiras, para ser queimado;
  • Levar uma oferenda das flores ao Espírito da Primavera em um rio ou uma cachoeira.

Comidas e Bebidas Sagradas: bolo de cereais, saladas, tortas, bolos, todas as frutas, vinho, sucos.

Fazendo o Mastro de Beltane (Maypole)

O Mastro de Beltane (Maypole) é um dos símbolos mais conhecidos de Beltane. Ele representa a união do Deus (o Mastro) e da Deusa (coroa de flores no topo). Tradicionalmente é enfeitado com fitas multicoloridas, entrelaçadas ao mastro durante uma dança, representando o enlace da Deusa com o Deus. Durante o entrelace das fitas tecemos a teia da nossa vida, mentalizando nossos desejos, fazendo nossos pedidos e projetando nosso futuro ao Universo.

Para fazer o Mastro de Beltane você vai precisar de:





  • Um tronco fino de uma árvore com mais ou menos 2 metros de altura;

  • Fitas multicoloridas, com 10 cm de largura, na mesma quantidade de participantes da cerimônia de Sabbat;

  • Pregos e martelo;

  • Uma coroa de flores coloridas.

Comece a pregar as fitas em uma das extremidades do tronco. Posicione a coroa de flores na extremidade que você pregou as fitas de modo que os pregos sejam ocultados pelas flores. Prenda as fitas no tronco com um elástico para que elas não embaracem. Então, na sua cerimônia de Sabbat, erga o Mastro de forma ritualística. Para isso proceda da seguinte forma:

Num dado momento de sua cerimônia, as mulheres começam a cavar um buraco no solo, para que o mastro seja fixado. Os homens presentes à cerimônia dão três voltas ao redor do Círculo Mágico, sempre no sentido horário, enquanto dos cantam:



Beltane, Beltane, Beltane que chegou.


É o Sabbat da fertilidade e do amor.

Ao final da terceira volta, as fitas são soltas e o mastro fixado no buraco cavado pelas mulheres. Começa então o entrelaçamento das fitas enquanto o cântico continua. Ao final do entrelaçamento, o mastro é retirado do buraco. Todos seguram o tronco entrelaçado, dando várias voltas juntos pelo Círculo, enquanto continuam cantando:



Beltane, Beltane, Beltane que chegou.


É o Sabbat da fertilidade e do amor.

O Mastro é levado até a fogueira e depositado nas chamas. A festa continua e os participantes prosseguem cantando cânticos sagrados e dançando em volta da Fogueira de Beltane.

Observação: Essa descrição se aplica a um, ritual feito com muitas pessoas e ao ar livre. A confecção, o erguer do Mastro de Beltane em locais fechados e seu uso em rituais solitários podem ser adaptados. Um pequeno Mastro simbólico pode ser feito com gravetos e pequenas fitas de cetim e queimado no interior de um caldeirão ao fim da cerimônia. Use sua criatividade e intuição sempre.


Fazendo o Pacote de Beltane

Muitos costumes dos povos antigos tiveram de ser adaptados às celebrações de Sabbat e hoje várias Tradições tornaram-se simbólicas, devido à realidade moderna de indisponibilidade de espaços ao ar livre, entre outras coisas.

Um dos costumes que muitas vezes tem de ser adaptado, principalmente por aqueles que realizam seus rituais em locais fechados e solitariamente, é a realização da Fogueira de Beltane, que antigamente era feita com as nove árvores sagradas dos celtas: freixo, bétula, teixo, aveleira, sorveira, salgueiro, pinheiro, espinheiro e carvalho.

Hoje muitos Pagãos utilizam o Pacote de Beltane, feito com nove galhos de árvores encontrados em locais diferentes, como substituto e representante da Antiga Fogueira feita com o tronco das nove árvores sagradas.

Durante o decorrer do ano, adquira os nove galhos que farão parte de seu Pacote de Beltane. Esses galhos devem ser colhidos em lugares que tenham um significado particular para você ou onde ocorrerem acontecimentos importantes em sua vida durante o ano, até que chegue Beltane. Você pode estar andando pela rua e pegar um galho que chame sua atenção no chão; numa viagem colher um galho de uma árvore que lhe pareça especial, ou simplesmente recolher um galho de árvore que serviu de sombra ao beijar a pessoa amada. O importante é que esses galhos sejam retirados de locais diferentes, em ocasiões diferentes e lhe sejam especiais por motivos diferentes.

Quando chegar Beltane, junte os nove galhos recolhidos, dê um laço com uma linha fita verde e enfeite com folhagens e flores. Seu Pacote de Beltane está pronto.

Durante a celebração de seu Rito de Sabbat, queime o Pacote nas chamas de seu Caldeirão ou sobre a Fogueira de Beltane, como oferenda aos Deuses e Espíritos da Natureza.

Ao depositar o seu Pacote nas chamas, diga o seguinte encantamento:

Pacote de Beltane queime nas chamas.
Enfeitado com flores para a coroada Dama
Esta é a minha oferta aos Espíritos da Natureza
Queime no fogo, com rapidez e presteza.

Mais curiosidades sobre Beltane



Beltane, Beltain ou Bealtaine é um festival Celta, ainda comemorada nos dias atuais, reconhecido nas comemorações da Festa da Primavera, mas que originalmente marcava o verão. Devemos, entretanto, deixar claro que há uma grande discrepância entre as comemorações contemporâneas (que primam a sensualidade humana) e a comemoração em tempos remotos (que tinham um enfoque maior na fertilidade da Terra). O Beltane é o mais alegre dos Festivais Celtas, onde os participantes dançam, e se alegram nas voltas da fogueira.


Oposto ao festival Samhain, o Beltane é um festival da fertilidade, simbolizando a união entre as energias masculina e feminina, a fertlidade da Terra e os fogos do Deus Celta Bellenos, e toda sua energia e luz.

Durante o Festival, eram acesas fogueiras nos topos dos montes e lugares considerados sagrados, sendo um ritual importante nas terras Celtas. E como tradição, as pessoas queimavam oferendas como, por exemplo, totens ou animais para que o poder do fogo fosse passado ao rebanho e, pulavam as fogueiras para que se enchessem das mesmas energias poderosas.

Representa o início do Verão e marca a morte do Inverno, sendo comemorado com danças e banquetes.

Ocorre em 1 de maio no Hemisfério Norte e 1 de novembro no Hemisfério Sul.

Na obra " As Brumas de Avalon" de Marion Zimmer Bradley,é relatada a festividade, mas deve se lembrar que em épocas remotas a sexualidade dispunha de um lugar de destaque e nada pudorado, pois como mencionam-se em muitos textos, é a celebração da Fertilidade.

A Fertilidade nesta celebração consta como o desabrochar da Primavera, com o abrir das flores, as sementes e a vida da prole considerada no Reino Animal. Uma Festa que deve ser regada de muita alegria, com danças, coroas de flores e um banquete que valoriza os alimentos da época e principalmente a fogueira, ou algo representando o fogo. Para que possamos deixar que este elemento livre-nos das doenças e que reinicie a vida, na forma primordial, simples e pura.

Muitos grupos que seguem a espiritualidade céltica ainda celebram este Festival, assim como o outro


Referências e curiosidades culturais:


- No Brasil, próximo ao dia de Santo Antônio recolhe-se um enorme tronco de árvore que é conduzido ao pé da serra do Araripe até a Igreja da cidade e enquanto ele passa, as mulheres solteiras tocam o tronco para “casar logo”. Todo o Cariri esta presente, por uma questão de tradição.

- Nos países nórdicos é um ritual de passagem do jovem Deus para a idade adulta. Nesta data são celebrados rituais de fertilidade e imensas fogueiras são acesas. As fogueiras de Beltane simbolizam o calor da paixão e a intensidade da interação entre a Deusa e o Deus, e a crescente fecundidade da Terra. Outras fontes indicam que a tônica real da celebração comemorada seria o sacrifício de Odin.
- Nas Terras Altas da Escócia, os bolos de Beltane são usados para adivinhação, sendo atirados pedaços deles na fogueira como oferenda aos espíritos e deidades protetores.

- No dia de Beltane o sol está astrologicamente no signo de Tauros, o Touro, que marca a "morte" do Inverno, o "nascimento" da Primavera e o começo da estação do plantio.

- Antigamente os jovens das vilas iam até as florestas à meia-noite de Beltane para colher flores, presenteando na volta seus parentes com elas e então recebiam deles as melhores comidas e bebidas; ato que representava generosidade e assim trazia boa sorte.



- Floralia: antigo festival romano dedicado a Flora (deusa sagrada das flores); anteriormente dedicado a Plutão (deus romano do Submundo – corresponde ao Hades grego). No primeiro dia de maio os antigos romanos queimavam olíbano e selo-de-salomão e penduravam guirlandas de flores diante de seus altares em honra aos espíritos guardiões que olhavam e protegiam suas famílias e suas casas.


- Esse foi um dos primeiro feriados a ser destruído pelos Cristãos, que viam nas celebrações sexuais somente o pecado, e as entendiam como ofensa a seu Deus.
Assim, as fogueiras de Beltane e o Maypole tornaram-se as fogueiras e mastros das festas dos santos "casamenteiros" cristãos, e o mês de Maio foi consagrado à Virgem Maria e tido como benévolo aos casamentos.


- É costume em Wicca jamais se casar em Maio, pois esse mês é dedicado ao casamento do Deus e da Deusa.

- Na Europa Antiga, nesses ritos homens e mulher uniam-se em plenos bosques e as crianças que fossem concebidas nesta noite eram consideradas abençoadas, tornando-se geralmente sacerdotisas e magos. Devemos ter discernimento aqui e perceber que naqueles tempos o sexo não era considerado algo pecaminoso ou “vergonhoso” e sim um ato sagrado e abençoado! As mulheres não eram reprimidas por um machismo hipócrita como o que conhecemos hoje e eram livres, e não havia o moralismo na qual precisamos enfrentar em um mundo que, ironicamente, se auto-denomina avançado. Nesta noite então, celebrava-se a festa para o Gamo Rei, e à própria fertilidade da Deusa; um ritual de fertilidade e fecundidade que celebrava a própria vida.

- Hoje mais conhecido como Festa da Primavera ou May Day (dia de Maio) foi, como muitos costumes pagãos, adaptado ao cristianismo, acabou sendo absorvida como a Festa Junina que conhecemos hoje. Trazidas pela cultura cristã européia, onde encontramos o costume de pular fogueira, tranças e fitas coloridas, o mastro de São João (originado no mastro de Beltane), as danças (quadrilha) e até mesmo a celebração do casamento sagrado ("casamento na roça"). Originalmente as Festas Juninas vieram como uma celebração da Primavera e no Brasil estão relacionadas à colheita, também associadas ao próximo Sabbath Midsummer ou Litha – meio de Verão.






O Deus Cornífero é o nosso Deus, ou princípio masculino, e assim o chamamos independente do aspecto¹ ou panteão apresentados. Sendo ele o consorte e filho da deusa (ciclo) é reverenciado (assim como Ela) desde os primórdios como o Deus das florestas. Representado, já em pinturas rupestres do período paleolítico com chifres de cervo ou alce, pois ele é protetor das caçadas e, mais tarde, quando as pessoas começaram a se tornar mais sedentárias começaram a represetá-lo também com chifres de touro ou bode (fazendo relação a domesticação destes animais). Sendo o próprio princípio masculino é o senhor da fertilidade e virilidade. É o princício ativo, o caçador das florestas, o Homem Verde, Senhor dos Animais e senhor do submundo. Ele é o pai céu enquanto a deusa é a mãe terra, e a nós ele se mostra através do sol, pois sem o céu não existiria vida e ele proporciona o calor necessário para fecundar a fértil mãe terra (mesmo sendo senhora da criação, sem o auxilio de seu oposto não se pode gerar e, novamente, podemos perceber a expressão do equilíbrio necessário). Em função disto está relacionado também as colheitas e seu ciclo de renascimento e morte na qual celebramos ao longo do ano, representa o próprio ciclo da vida em si e os ritos solares são os eventos em que há uma celebração em virtude da percepção e interação com o seu poder que age sobre todas as coisas.
Assim como nossa Mãe aparece em várias culturas e religiões ao redor do mundo apresentando vários aspectos e faces nosso Deus se apresenta em diversas divindades. Em relação a Deuses Associados a Beltane, ou seja, em seus aspecto de fertilidade, podemos citar como referências principais:




- Jack in The Green ou o Green Man é uma figura que representa a abundância e a estação em questão e, na época medieval na Inglaterra, acabou sendo incorporado nas procissões onde um homem vestido de Jack ficava em uma gaiola decorada com azevinho e fitas coloridas. Era uma divindade cornuda das florestas.




- Belenos: é um dos principais deuses da mitologia celta e o mais associado a Beltane pois o próprio nome do ritual deriva do seu próprio; Deus Celta do Sol e do fogo para os irlandeses, Deus da ciência, cura, fontes térmicas, fogo, sucesso, prosperidade, colheita e à vegetação. Seu nome significa "brilhante", adorado principalmente ao norte da Itália e na costa mediterrânea da Gália.
- Na mitologia nórdica temos os deuses Frey e Freya, irmãos e símbolos de fertilidade que, segundo Loki (Deus das trapaças) mantinham relações como homem e mulher. (algumas fontes indicam que este tipo de relação era comum para os Deuses Vanires (Deuses da fertilidade)).
O Ritual da Caçada


Os camponeses iam para os bosques de carvalhos à noite e acendiam enormes fogueiras para a Deusa. Fazia-se então um ritual representando a noite de núpcias dos Deuses onde o rapaz personificava o Deus e a virgem, a Deusa. O rapaz vestia a pele de um Gamo (mamífero ruminante semelhante ao veado) e desafiava um gamo verdadeiro, o líder da manada, até que um deles fosse morto. O rapaz, vencendo a batalha, seria escolhido como Rei e representação do Deus¹ (o Gamo Rei; os galhos eram considerados sinônimos de força e honra). Passaria então a noite com a donzela que representaria a Deusa a fim de conceber um herdeiro que. Um dia, o filho deveria disputar com o pai pelo trono (O Gamo Novo e o Gamo Velho), e caso não fosse preciso escolher um rei, a luta com o gamo é a apenas representada ritualisticamente.
Rituais semelhantes a este, envolvendo a idéia da caça, aconteciam por toda a Europa e, segundo a mitologia Celta, em Beltane, a Deusa se transforma em um Cervo Branco e corre pela mata enquanto o jovem Deus é o Cacador Alado. Ao ser perseguido por ele pela floresta, o Cervo Branco transforma-se em uma linda mulher e Eles finalmente se unem.
Então, para retomar esta simbologia das caçadas, ainda hoje fazemos rituais onde as mulheres fogem pelo mato representando a Deusa e os homens vão a sua busca representando o Deus.
¹ No romance As Brumas de Avalon o Rei Arthur passa por esta prova em uma noite de Beltane.

Hoje em dia comemoram Beltane ainda como antigamente, vejam essas fotos de rituais recentes.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.