Siga por e-mail

Seguidores

sábado, 4 de fevereiro de 2012

LIVRO DAS SOMBRAS



Antes de aprender qualquer outra coisa sobre Bruxaria e correr para a loja esotérica mais próxima, sugiro que você começe a organizar um Livro das Sombras. A Bruxaria não possui nenhum livro sagrado como costumam ter as outras religiões. Cada coven ou grupo de bruxas que trabalham em conjunto tem o seu próprio Livro das Sombras, e cada bruxa do coven, assim como cada bruxa solitária, também tem seu próprio livro.

Convém que você registre as suas impressões, os seus sonhos, as suas preferências e aversões e o que você quer e não quer. Você pode mudar de idéia posteriormente sobre qualquer aspecto da Arte, e de certo mudará - provavelmente mais de uma vez -, mas por hora, esse é o ponto de partida.
O seu Livro das Sombras será seu instrumento mágico e ritualístico mais útil e pessoal que você terá nos seus primeiros anos como bruxa.
Nele, você registrará os seus pensamentos, os seus feitiços, as receitas de suas poções, instruções sobre festivais, textos ritualísticos, sonhos, resultados de divinações e simplesmente qualquer coisa que, a seu ver, possa integrar a Bruxaria a todos os aspectos de sua vida.
Se mais tarde você passar a fazer parte de um coven ou a ter um ou mais professores, eles podem consentir que você copie parte do conteúdo do Livro das Sombras deles no seu próprio livro.
O seu livro não precisa ser necessariamente bonito, mas se a beleza for importante para você, saiba que pode encontrar nas papelarias lindos diários e outros tipos de brochura. Penso que personalizar seu livro dá a ele uma identidade.
Ninguém sabe ao certo quando começou a prática de manter o Livro das Sombras, mas é possível que ela derive da magia cerimonial ou de outras formas praticadas durante a Idade Média, pelas classes superiores, cultas e letradas. Essas pessoas chamavam os seus livros de grimórios, uma palavra de etmologia incerta, mas que possivelmente é um termo francês arcaico que descreve a mudança de uma substância a outra. Segundo outra teoria, a palavra varia de um termo do inglês normando arcaico que pode ter dado origem às palavras "gramática" e "glamour".
O nome Livro das Sombras partiu da idéia de que os rituais e feitiços consistem apenas em formas-pensamento, ocultos nos recônditos sombrios da mente, não inteiramente formados até que uma bruxa os realize.
Uma outra teoria diz que, durante o período de histeria provocada pela caça às bruxas, estas se reuniam na escuridão da noite, esgueirando-se nas sombras do luar até o seu ponto de encontro. A teoria que atribui a origem do termo à idéia das formas-pensamento faz mais sentido, pois mais uma vez, estamos falando da vida e das crenças de pessoas pobres e iliteradas.
ESCREVA COM SEU PRÓPRIO PUNHO
Para tirar o máximo proveito do seu Livro das Sombras, é preciso que você mesma o escreva. As palavras que você anota ficam mais vivas na sua memória do que aquelas que você simplesmente pronuncia em voz alta. Escrever é um processo lento, e ao fazer anotações, você percebe que os conceitos começam a ficar mais claros naturalmente e novas perguntas começam a pipocar em sua cabeça, norteando seu crescimento espiritual. Se você não pretende tirar o máximo proveito do ato de escrever, então é melhor refletir melhor sobre o seu interesse pela Arte, pois a maior parte dela consiste apenas em puro esforço, e o seu domínio requer um investimento significativo de tempo e energia pessoal.
Fotocopiar informações ou baixá-las pela Internet não são formas de se manter um Livro das Sombras. Escreva você mesma para conseguir se beneficiar ao máximo do seu livro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.