Siga por e-mail

Seguidores

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Ostara


OSTARA

Ostara - A Terra Desperta - 21 de Setembro

Ostara é o primeiro dia da Primavera. É o momento do ano em que o Sol está diretamente acima do equador, fazendo com que noite e dia tenham igual duração. Nesse dia, escuridão e luz são precisamente iguais; então, esse Sabbat traz os sentimentos de equilíbrio e interação. Desse dia em diante o dia dominará a noite, ou seja, os dias serão maiores que as noites e a Terra explodirá com vida.

Ostara é celebrado no hemisfério Norte por volta de 21 de março e no hemisfério Sul por volta de 22 de setembro. Este é o tempo em que as sementes são plantas e começam o seu processo de crescimento. Ostara é tido como um momento de união e amor entre a Deusa (Lua) e o Deus (Sol), pois é um período de igualdade e equilíbrio entre as forças da Natureza, e isso indica também que é o momento ideal para fortalecer a energia de complementaridade entre homem e mulher.

Segundo as crenças Wiccanas, em Ostara o Deus (Sol) cresceu, tornando-se um jovem adulto. Ele está passando pela puberdade e suas forças são refletidas na vitalidade e no crescimento das plantas. Ele está crescendo novamente. Com a vitalidade crescente dele vem o calor da Primavera e o futuro plantio das futuras colheitas. A Deusa não é tida mais como a Mãe nutridora, mas como uma bonita Virgem da Primavera. Assim como em relação à Natureza esse é o momento de plantar, essa também é a hora de cultivarmos nossas “sementes” (metas e objetivos). É o período de celebrar as mudanças de nosso corpo, pois nessa estação do ano ficamos mais ativos, dormimos menos, comemos menos e gastamos mais tempo ao ar livre.

Nesse dia, os antigos Pagãos de Europa acendiam Fogueiras nos cumes de montanhas, pois acreditavam que o brilho do fogo seria capaz de tornar a terra frutífera e manter suas casas em segurança. O fogo aceso também simbolizava iluminar os caminhos para que o Sol pudesse retornar à Terra.

A Deusa reverenciada nesse dia é Eostre (observe a semelhança do nome Eostre com Easter = Páscoa, em inglês), e o Sabbat do Equinócio da Primavera ganhou o nome de Ostara em sua homenagem. O Cristianismo absorveu muito dos costumes e folclores Pagãos de Ostara, pois no hemisfério Norte e atual data pascal ocorrem próximo à data de Ostara.

Eostre, que significa “a Deusa da Aurora”, é uma Deusa anglo-saxã da Primavera, da ressurreição e do renascimento. Estava associada à fertilidade e aos grãos, e oferendas de pão e bolo eram feitas nessa época a Ela.

A primeira e mais preservada Tradição Pagã de Ostara é a pintura e decoração dos ovos. Se realmente analisarmos com cautela, por que os Cristãos têm o costume de se presentearem com ovos na Páscoa?

A resposta é simples, não acha?

O ovo simboliza a fertilidade da Deusa e do Deus, o símbolo de toda a criação. Ao decorá-los, estamos carregando-os como objetos mágicos, de acordo com as cores que utilizarmos. É uma Tradição também esconder os ovos, e achá-los simboliza que a pessoa alcançará suas metas. Outro simbolismo é o coelho da Páscoa. Muitos nem sequer percebem que o coelho é um dos maiores símbolos de fertilidade da Deusa, pois eles levam um período de 28 dias para gestarem e darem à luz os filhotes, e 18 dia é o ciclo de uma lunação.

Além disso, a lenda do coelho da Páscoa tem uma estreita relação com a referente à Deusa Eostre, na qual um gentil coelhinho pedia favores a Deusa e em troca botava ovos, decorava-os e presenteava a Deusa com eles. Segundo a lenda, Eostre ficou maravilhada com a beleza dos ovos e ficou tão contente que desejou que toda a humanidade pudesse partilhar de tamanha beleza e alegria. Assim, o coelho começou a viajar por todo o mundo na época do Equinócio da Primavera, presenteando a todos com seus ovos decorados.

Os símbolos desse Sabbat são as flores e os ovos coloridos. Esses ovos enfeitam o Altar e depois são colocados aos pés das árvores ou em vasos com plantas.

Nesse dia, os antigos europeus iam até o campo para colher flores e as levavam para casa, pois acreditavam que as flores colhidas no Equinócio da Primavera eram mágicas e, através delas, seriam capazes de conectarem a energia de toda a Natureza. Essas flores eram secas e com elas eram feitos ornamentos para enfeitar as casas, até Ostara do ano seguinte, em que eram trocadas por novas flores, assegurando assim a continuidade de sorte, saúde e felicidade.
Ostara é o tempo da renovação, o momento ideal de passear por jardins, parques, bosques, florestas e outros lugares verdes, fazendo do passeio um verdadeiro ritual, uma celebração da Natureza e da vida.

Correspondências de Ostara

Cores: verde, amarelo, branco.

Nomes Alternativos: Equinócio da Primavera, Easter, Dia da Senhora.

Deuses: Deuses jovens e da fertilidade e a Deusa, no seu aspecto de Virgem Primavera.

Ervas: tanchagem, lavanda, manjerona, alecrim, lilás, violetas, limão, bálsamo, madressilva, musgo de carvalho, rosas, sabugueiro, salgueiro, açafrão, narciso, junquilho, tulipa, cravos, verbena.

Pedras: quartzo branco, quartzo rosa, ágata, lápis-lazúli, amazonita, citrino.

Atividades:

  • Caminhar pelo campo para colher flores. Enfeitar toda a casa com elas.
  • Celebrar a Natureza fazendo uma oferenda aos elementais, agradecendo pela beleza proporcionada pela Primavera.
  • Plantar uma árvore ou flores.
  • Fazer um jardim.
  • Colorir ovos e enfeitá-los com símbolos de fertilidade.
  • Levar um buquê de flores a uma nascente em homenagem ao Espírito da Primavera.

Comidas e Bebidas Sagradas do Sabbat: ovos, cremes e leite, pães, saladas, bolos de mel, vinho, ponche, leite e iogurte.

Fazendo Ovos de Ostara

Os ovos coloridos são os maiores símbolos desse Sabbat. Os povos primitivos acreditavam que o mundo teria surgido a partir de um grande Ovo Cósmico botado pela Deusa Pássaro e fertilizado pelo Deus Sol. Então percebemos que os ovos são o símbolo máximo da criação e da fertilização.

Pagãos de todo o mundo pintam ovos no Equinócio da Primavera e seus altares são decorados com esses poderosos símbolos de fertilidade, proteção e boa sorte. Faça também o seu Ovo de Ostara e projete nele todos os sonhos e desejos que quer ver realizados.

Para fazer os Ovos de Ostara você vai precisar de:

  • Ovos;
  • Tintas de várias cores, dando destaque às cores amarela, verde e branca (cores sagradas de Ostara);
  • Pincéis de várias espessuras;
  • Uma cesta de vime.

Cozinhe os ovos e espere que esfriem. Pinte-os usando toda a sua criatividade. Coloque neles símbolos como o Sol, a Lua, as Estrelas, as Runas, entre outros símbolos. Se desejar, você poderá pintar símbolos que representem os seus desejos como, por exemplo, um carro, uma casa, etc.

Coloque-os na cesta de vime e então consagre os Ovos, traçando um Pentagrama Invocante sobre eles, dizendo:

Em nome da Deusa da Primavera e do Deus Sol, pelos poderes dos quatro elementos, Terra, Ar, Fogo e Água, eu consagro estes Ovos de Ostara.

Coloque-os sobre o seu Altar e deixe-os lá durante todo o seu rito de Sabbat. Presenteie os amigos, parentes e pessoas queridas com um ovo, orientando-os a colocá-lo nos pés de uma planta ou árvore.

Ritual de Ostara

Material necessário:

  • Caldeirão com água;
  • Flores do campo;
  • Nove velas amarelas;
  • Uma taça com água;
  • Um Ovo de Ostara.

Procedimento:

Coloque o caldeirão com a água no meio do altar. Circunde-o com as nove velas amarelas. Trace o Círculo Mágico e então diga:

Abençoada seja a Primavera que chegou.
Agora as flores mostram toda a sua vida através das cores.
A estação da Esperança e da alegria chegou.
Que a Deusa e o Deus abençoem a Terra com equilíbrio e renovação.

Acenda as velas ao redor do Caldeirão, dizendo:

Eu acendo estavas velas em homenagem à Rainha da Primavera para que a luz do Sol possa trazer alegria e vida.

Coloque algumas flores dentro do seu caldeirão com água e lave as suas mãos mentalizando os seus desejos e fazendo seus pedidos.

Depois, pegue o Ovo de Ostara e refaça seus pedidos. Diga:

Abençoada seja ti, Deusa fertilizadora, que abençoa a Terra com a tua bondade através de tua união com o Deus fertilizador. Que este Ovo represente a semente do meu desejo.

Eleve a Taça e diga:

Abençoada seja a Primavera que regressou. Que a Roda da Vida sempre gire. Que assim seja e que assim se faça!

Beba um gole da água e faça uma libação à Deusa e ao Deus.

Cante e dance em homenagem aos Deuses.

Guirlanda para Ostara


Muitas pessoas gostam de tradições pagãs das guirlandas, com origem da coroa de Yule e mais tarde na época do Império Romano usadas inicialmente como adorno de cabeça.
Gradualmente, a guirlanda (coroa) foi retirada da cabeça e tornou-se um adorno de parede.
Após a morte de Jesus, os cristãos converteram a coroa de espinhos como um dos símbolos de seus missionários para identificar-se uns aos outros as portas de suas casas competindo com os Druidas a atenção dos europeus.
Hoje nós apreciamos guirlandas porque nos lembram que é tempo para abrandar e desfrutar a família e ter o divertimento de decoração para uma refeição festiva. As grinaldas renovam a paz e o desejo de tranquilidade dentro de nós.
Uma guirlanda, Primavera ou de qualquer data sazonal, transmite aos transeuntes, suas visitas ou à própria família deste Lar, a harmonia de como os moradores aguardam a próxima data.
Também é uma forma de desejar à todos, muita paz e amor nesta temporada.
Uma coroa de flores em nossa porta é o nosso costume mais antigo, mas é válido qualquer modelo que se adaptar mais com o espírito da comemoração.
Em suma, guirlandas se identificam bem com as famílias, elas são atraentes, são um item da especialidade da época. E para atrair bons fluidos pela porta da frente, pode ser feitas quantas quiser durante todo ano.
Lembre-se, você está se conectando com 100 gerações!

Desde os tempos mais antigos, lebres e coelhos serviram como símbolos da nova vida abundante na época da primavera devido à seus freqüentes nascimentos múltiplos.
Sendo uma Festa celebrada no primeiro domingo que ocorre após a primeira lua cheia ou após o equinócio vernal, é associada à Lua que é associado ao hábito noturno das lebres.
No entanto, há várias explicações para essa associação entre a lebre, o coelho e a lua.
Uma das associações famosas é a de que a lebre é noturna e uma parente do coelho.
A lebre era símbolo das aberturas de ciclos pelos egípcios, estando assim relacionada com a renovação e o renascimento, abrindo um novo ciclo.
Assim, a lebre passou a ser representada pelo coelho, que popularmente se tornou um símbolo para a periodicidade, pois a lebre por ser selvagem, não tinha tanto contato no plano humano como o coelho.
Coelhinho da Páscoa, ou seja, a lebre é também associada à deusa pagã “Eostre”. A terrena símbolo da deusa anglo-saxã da Primavera “Eastre”, foi lebre.
E ela foi adorada como símbolo na terra representando a deusa fértil na lua cheia e em comemoração a sua gravidez e o nascimento de sua prole.
Eastre era representada pelo símbolo da lebre e do ovo. Ambos hoje são símbolos do renascimento.
Dicas para enfeitar seu altar







Ovos decorativos.
Esta magia é maravilhosa para as energias de sua casa, é terapêutico cultivar, e decorativo aos olhos.Você vai precisar de ovos (quantidade que quizer), suporte para ficarem de pé (pode ser feito com a própria caixa de ovos), terra, areia, húmus e sementes de ervas pequenas.
Com uma faca, bata bem devagar na parte mais fina do ovo, tirando uma tampinha, com muito cuidado para não quebrar todo o ovo.
Feito a abertura de cima, vire o ovo e fure bem de leve com um alfinete, uns três furinhos ou tire uma pequena casca para ajudá-lo a ficar de pé. Esvazie o ovo, lave e deixe secar.
Depois de secos, coloque um pouco da mistura de terra, areia e húmus, em partes iguais, algumas sementes (poucas), e cubra com a mistura de terra.
Deixe num local bem iluminado e ventilado, mas que não bata sol direto, molhe duas vezes por semana.
Quando já tiver brotado, passeie com eles pela casa, deixando cada dia num cômodo, para equilibrarem as energias da casa.




Ostara é o primeiro dia da Primavera.
 Festival Solar – Fertilização da Terra
Sabat Móvel – sua data varia de acordo com a chegada da estação.

 É o momento do ano em que o Sol está diretamente acima do equador, fazendo com que noite e dia tenham igual duração.

Nesse dia, escuridão e luz são precisamente iguais; então, esse Sabbat traz os sentimentos de equilíbrio e interação.

Após esse dia em diante o dia dominará a noite, ou seja, os dias serão maiores que as noites e a Terra explodirá com vida.

Ostara é celebrado no hemisfério Norte por volta de 21 de março e no hemisfério Sul por volta de 21 de setembro. 

Este é o tempo em que as sementes são plantas e começam o seu processo de crescimento.

Ostara é tido como um momento de união e amor entre a Deusa (Lua) e o Deus (Sol), pois é um período de igualdade e equilíbrio entre as forças da Natureza, e isso indica também que é o momento ideal para fortalecer a energia de complementaridade entre homem e mulher.

Segundo as crenças Wiccanas, em Ostara o Deus (Sol) cresceu, tornando-se um jovem adulto.(que nada mais é que a vegetação) Ele está passando pela puberdade e suas forças são refletidas na vitalidade e no crescimento das plantas.
Dele vem o calor da Primavera  e o futuro plantio das futuras colheitas.

 A Deusa não é tida mais como a Mãe nutridora, mas como uma bonita Virgem da Primavera.
 Assim como em relação à Natureza esse é o momento de plantar, essa também é a hora de cultivarmos nossas “sementes” (metas e objetivos). É o período de celebrar as mudanças de nosso corpo, pois nessa estação do ano ficamos mais ativos, dormimos menos, comemos menos e gastamos mais tempo ao ar livre.

Nesse dia, os antigos Pagãos de Europa acendiam Fogueiras, pois acreditavam que o brilho do fogo seria capaz de tornar a terra frutífera e manter suas casas em segurança. O fogo aceso também simbolizava iluminar os caminhos para que o Sol pudesse retornar à Terra.





A Deusa reverenciada nesse dia é Eostre (observe a semelhança do nome Eostre com Easter = Páscoa, em inglês), e o Sabbat do Equinócio da Primavera ganhou o nome de Ostara em sua homenagem.
O Cristianismo absorveu muito dos costumes e folclores Pagãos de Ostara, pois no hemisfério Norte e atual data pascal ocorrem próximo à data de Ostara.

Eostre, que significa “a Deusa da Aurora”, é uma Deusa anglo-saxã da Primavera, da ressurreição e do renascimento. Estava associada à fertilidade e aos grãos, e oferendas de pão e bolo eram feitas nessa época a Ela.

Deusa Eostre segura um ovo em sua mão e observa um coelho, símbolo da fertilidade, pulando alegremente em redor de seus pés nus.
A deusa e o ovo que carrega são símbolos da chegada de uma nova vida.

Ostara associada à fertilidade e aos grãos equivale, na mitologia grega, a Perséfone.
Na mitologia romana, é Ceres. Surge o delicado amarelo do Sol e o encantador verde das matas.
A lenda do coelho da Páscoa tem uma estreita relação com Eostre, pois um gentil coelhinho pedia favores a Deusa e em troca botava ovos, decorava-os e presenteava a Deusa com eles.
Segundo a lenda, Eostre ficou maravilhada com a beleza dos ovos e ficou tão contente que desejou que toda a humanidade pudesse partilhar de tamanha beleza e alegria.
Assim, o coelho começou a viajar por todo o mundo na época do Equinócio da Primavera, presenteando a todos com seus ovos decorados.
Por isso, os símbolos desse Sabbat são as flores e os ovos coloridos.
Esses ovos enfeitam o Altar e depois são colocados aos pés das árvores ou em vasos com plantas.


A primeira e mais preservada Tradição Pagã de Ostara é a pintura e decoração dos ovos. Se realmente analisarmos com cautela, por que os Cristãos têm o costume de se presentearem com ovos na Páscoa?

A resposta é simples, não acha?

O ovo simboliza a fertilidade da Deusa e do Deus, o símbolo de toda a criação. Ao decorá-los, estamos carregando-os como objetos mágicos, de acordo com as cores que utilizarmos.
É uma Tradição também esconder os ovos, e achá-los simboliza que a pessoa alcançará suas metas os encontrando-o. Outro simbolismo é o coelho da Páscoa. Muitos nem sequer percebem que o coelho é um dos maiores símbolos de fertilidade da Deusa, pois eles levam um período de 28 dias para gestarem e darem à luz os filhotes, e 18 dias é o ciclo de uma lunação.

Além disso, a lenda do coelho da Páscoa tem uma estreita relação com a referente Deusa Eostre, na qual um gentil coelhinho pedia favores a Deusa e em troca botava ovos, decorava-os e presenteava a Deusa com eles. Segundo a lenda, Eostre ficou maravilhada com a beleza dos ovos e ficou tão contente que desejou que toda a humanidade pudesse partilhar de tamanha beleza e alegria. Assim, o coelho começou a viajar por todo o mundo na época do Equinócio da Primavera, presenteando a todos com seus ovos decorados.





Explicando a Páscoa

Explicando a Páscoa: Como a maioria dos antigos festivais pagãos, Ostara - Equinócio da Primavera (no Hemisfério Norte ocorre na data de 21 de março, próximo á Páscoa) foi cristianizado pela Igreja na Páscoa, que nesta ocasião celebra a ressurreição de Jesus Cristo.
Em inglês "Easter" é um nome derivado da deusa Eostre, (Deusa da Aurora), Deusa anglo-saxã da Primavera, da ressurreição e do renascimento.
Todos os nomes estão relacionados etimologicamente com antigas palavras que significavam "amanhecer" e "sol que se eleva".
Depois, Easter passou de "sol que se eleva" para "filho que se eleva", quando foi adotado pelos costumes cristãos.
Até hoje, o Domingo de Páscoa é determinado pelo antigo sistema do calendário lunar, que estabelece o dia santo no primeiro domingo após a primeira lua cheia, no ou após o Equinócio da Primavera!!!
(Formalmente isso marca a fase da "gravidez" da Deusa Tríplice, atravessando a estação fértil.) A Páscoa, como quase todas as festividades religiosas cristãs, é enriquecida com inúmeras características, costumes e tradições pagãos, como os ovos de Páscoa e o coelho.
Os ovos, como mencionado, eram símbolos antigos de fertilidade oferecidos à Deusa. A lebre era um símbolo de renascimento e ressurreição, sendo animal sagrado para várias deusas lunares, tanto na cultura oriental como na ocidental, incluindo a deusa Ostara, cujo animal era o coelho.
(O coelho é um dos maiores símbolos de fertilidade da Deusa, pois eles levam um período de 28 dias para gestarem e darem à luz os filhotes, e 28 dias é o ciclo da Lua!! )
No mundo Mágico: Quando o tempo começa a melhorar, algumas fadas boas abandonam seus refúgios invernais e se tornam mais ativas.
Elas se despojam de suas peles de inverno e adotam uma indumentária mais leve e mais de acordo com a proximidade do verão.
É época de veneração dos elfos, fadas e duendes.
Muitos duendes estão associados com a vegetação e possuem o poder da favorecê-la ou esgotá-la. Portanto, é nessa época que devemos lhes oferecer oferendas de leite, mel, nata ou manteiga. Durante este equinócio, muitos duendes de banhavam nos rios e arroios.
É prudente que os homens se mantivessem afastados desses lugares, pois caso contrário, corriam o risco desses espíritos se apoderarem deles e os afogarem nas águas.

Convém lembrar no entanto que os cristãos celebram nesta época  a morte e a ressurreição. Da mesma forma, diz que Jesus morreu como filho, tendo ressuscitado como Deus. O que tem um inegável paralelo com a situação descrita para o Deus pagão que nesta época deixa de ser filho Divino da Deusa e torna-se seu futuro Deus Consorte.
Nesta época também existem inúmeras comemorações no Brasil que remetem a antigos ritos pagãos como o próprio costume em eleger-se nas escolas uma rainha da primavera.



Os símbolos desse Sabbat são as flores e os ovos coloridos. Esses ovos enfeitam o Altar e depois são colocados aos pés das árvores ou em vasos com plantas.
Nesse dia, os antigos europeus iam até o campo para colher flores e as levavam para casa, pois acreditavam que as flores colhidas no Equinócio da Primavera eram mágicas e, através delas, seriam capazes de conectarem a energia de toda a Natureza. Essas flores eram secas e com elas eram feitos ornamentos para enfeitar as casas, até Ostara do ano seguinte, em que eram trocadas por novas flores, assegurando assim a continuidade de sorte, saúde e felicidade.
Ostara é o tempo da renovação, o momento ideal de passear por jardins, parques, bosques, florestas e outros lugares verdes, fazendo do passeio um verdadeiro ritual, uma celebração da Natureza e da vida.

COLHENDO FLORES...
Nesse dia, os antigos europeus iam até o campo para colher flores e as levavam para casa, pois acreditavam que as flores colhidas no Equinócio da Primavera eram mágicas e, através delas, seriam capazes de conectarem a energia de toda a Natureza.
Essas flores eram secas e com elas eram feitos ornamentos para enfeitar as casas, até o festival de Ostara do ano seguinte, onde eram trocadas por novas flores, assegurando assim a continuidade de sorte, saúde e felicidade.
Ostara é o tempo da renovação, o momento ideal de passear por jardins, parques, bosques, florestas e outros lugares verdes, fazendo do passeio um verdadeiro ritual, uma celebração da Natureza e da vida.
Plantar uma árvore ou flores:
O primeiro passo é plantar uma semente que simbolize seu desejo (pesquise as correspondências).
Abençoe as sementes durante todo o ritual de Ostara e depois plante e observe atentamente seu crescimento.
A planta que cresce da semente simboliza aquilo em que você está trabalhando.
Da mesma forma que a planta dá frutos na colheita, assim seu desejo deve se manifestar na prática.







Cores: verde, amarelo, branco.

Nomes Alternativos: Equinócio da Primavera, Easter, Dia da Senhora.

Deuses: Deuses jovens e da fertilidade e a Deusa, no seu aspecto de Virgem Primavera.

Ervas: tanchagem, lavanda, manjerona, alecrim, lilás, violetas, limão, bálsamo, madressilva, musgo de carvalho, rosas, sabugueiro, salgueiro, açafrão, narciso, junquilho, tulipa, cravos, verbena.

Pedras: quartzo branco, quartzo rosa, ágata, lápis-lazúli, amazonita, citrino.

Incensos: violeta africana, jasmim, rosa sálvia e morango.
Cores das velas: dourada, verde, amarela.
Símbolos: buquês de flores amarrados com fitas coloridas, colar de flores silvestres, sementes e pacotes de sementes amarrados com fitas, ovos pintados
Comidas e Bebidas: Os alimentos tradicionais são os ovos cozidos, os bolos de mel, cremes, leite e iogurte, pães, saladas, as primeiras frutas da estação em ponche de leite.





Atividades:


·                     Caminhar pelo campo para colher flores. Enfeitar toda a casa com elas.
·                     Celebrar a Natureza fazendo uma oferenda aos elementais, agradecendo pela beleza proporcionada pela Primavera.
·                     Plantar uma árvore ou flores.
·                     Fazer um jardim.
·                     Colorir ovos e enfeitá-los com símbolos de fertilidade.
·                     Levar um buquê de flores a uma nascente em homenagem ao Espírito da Primavera.





Ovos decorativos.
Esta magia é maravilhosa para as energias de sua casa, é terapêutico cultivar, e decorativo aos olhos.Você vai precisar de ovos (quantidade que quizer), suporte para ficarem de pé (pode ser feito com a própria caixa de ovos), terra, areia, húmus e sementes de ervas pequenas.
Com uma faca, bata bem devagar na parte mais fina do ovo, tirando uma tampinha, com muito cuidado para não quebrar todo o ovo.
Feito a abertura de cima, vire o ovo e fure bem de leve com um alfinete, uns três furinhos ou tire uma pequena casca para ajudá-lo a ficar de pé. Esvazie o ovo, lave e deixe secar.
Depois de secos, coloque um pouco da mistura de terra, areia e húmus, em partes iguais, algumas sementes (poucas), e cubra com a mistura de terra.
Deixe num local bem iluminado e ventilado, mas que não bata sol direto, molhe duas vezes por semana.
Quando já tiver brotado, passeie com eles pela casa, deixando cada dia num cômodo, para equilibrarem as energias da casa.




Os ovos coloridos são os maiores símbolos desse Sabbat. Os povos primitivos acreditavam que o mundo teria surgido a partir de um grande Ovo Cósmico botado pela Deusa Pássaro e fertilizado pelo Deus Sol. Então percebemos que os ovos são o símbolo máximo da criação e da fertilização.

Pagãos de todo o mundo pintam ovos no Equinócio da Primavera e seus altares são decorados com esses poderosos símbolos de fertilidade, proteção e boa sorte. Faça também o seu Ovo de Ostara e projete nele todos os sonhos e desejos que quer ver realizados.

Para fazer os Ovos de Ostara você vai precisar de:


·                     Ovos;
·                     Tintas de várias cores, dando destaque às cores amarela, verde e branca (cores sagradas de Ostara);
·                     Pincéis de várias espessuras;
·                     Uma cesta de vime.

Cozinhe os ovos e espere que esfriem. Pinte-os usando toda a sua criatividade. Coloque neles símbolos como o Sol, a Lua, as Estrelas, as Runas, entre outros símbolos. Se desejar, você poderá pintar símbolos que representem os seus desejos como, por exemplo, um carro, uma casa, etc.

Coloque-os na cesta de vime e então consagre os Ovos, traçando um Pentagrama Invocante sobre eles, dizendo:
Em nome da Deusa da Primavera e do Deus Sol, pelos poderes dos quatro elementos, Terra, Ar, Fogo e Água, eu consagro estes Ovos de Ostara.

Coloque-os sobre o seu Altar e deixe-os lá durante todo o seu rito de Sabbat. Presenteie os amigos, parentes e pessoas queridas com um ovo, orientando-os a colocá-lo nos pés de uma planta ou árvore.



Material necessário:


·                     Caldeirão com água;
·                     Flores do campo;
·                     Nove velas amarelas;
·                     Uma taça com água;
·                     Um Ovo de Ostara.

Procedimento:

Coloque o caldeirão com a água no meio do altar. Circunde-o com as nove velas amarelas. Trace o Círculo Mágico e então diga:
Abençoada seja a Primavera que chegou.
Agora as flores mostram toda a sua vida através das cores.
A estação da Esperança e da alegria chegou.
Que a Deusa e o Deus abençoem a Terra com equilíbrio e renovação.

Acenda as velas ao redor do Caldeirão, dizendo:
Eu acendo estavas velas em homenagem à Rainha da Primavera para que a luz do Sol possa trazer alegria e vida.

Coloque algumas flores dentro do seu caldeirão com água e lave as suas mãos mentalizando os seus desejos e fazendo seus pedidos.

Depois, pegue o Ovo de Ostara e refaça seus pedidos. Diga:

Abençoada seja ti, Deusa fertilizadora, que abençoa a Terra com a tua bondade através de tua união com o Deus fertilizador. Que este Ovo represente a semente do meu desejo.

Eleve a Taça e diga:
Abençoada seja a Primavera que regressou. Que a Roda da Vida sempre gire. Que assim seja e que assim se faça!

Beba um gole da água e faça uma libação à Deusa e ao Deus.

Cante e dance em homenagem aos Deuses.







Guirlanda para Ostara



Muitas pessoas gostam de tradições pagãs das guirlandas, com origem da coroa de Yule e mais tarde na época do Império Romano usadas inicialmente como adorno de cabeça.
Gradualmente, a guirlanda (coroa) foi retirada da cabeça e tornou-se um adorno de parede.
Após a morte de Jesus, os cristãos converteram a coroa de espinhos como um dos símbolos de seus missionários para identificar-se uns aos outros as portas de suas casas competindo com os Druidas a atenção dos europeus.
Hoje nós apreciamos guirlandas porque nos lembram que é tempo para abrandar e desfrutar a família e ter o divertimento de decoração para uma refeição festiva. As grinaldas renovam a paz e o desejo de tranquilidade dentro de nós.

Uma guirlanda, Primavera ou de qualquer data sazonal, transmite aos transeuntes, suas visitas ou à própria família deste Lar, a harmonia de como os moradores aguardam a próxima data.
Também é uma forma de desejar à todos, muita paz e amor nesta temporada.
Uma coroa de flores em nossa porta é o nosso costume mais antigo, mas é válido qualquer modelo que se adaptar mais com o espírito da comemoração.
Em suma, guirlandas se identificam bem com as famílias, elas são atraentes, são um item da especialidade da época. E para atrair bons fluidos pela porta da frente, pode ser feitas quantas quiser durante todo ano.
Lembre-se, você está se conectando com 100 gerações!


Desde os tempos mais antigos, lebres e coelhos serviram como símbolos da nova vida abundante na época da primavera devido à seus freqüentes nascimentos múltiplos.
Sendo uma Festa celebrada no primeiro domingo que ocorre após a primeira lua cheia ou após o equinócio vernal, é associada à Lua que é associado ao hábito noturno das lebres.
No entanto, há várias explicações para essa associação entre a lebre, o coelho e a lua.
Uma das associações famosas é a de que a lebre é noturna e uma parente do coelho.
A lebre era símbolo das aberturas de ciclos pelos egípcios, estando assim relacionada com a renovação e o renascimento, abrindo um novo ciclo.
Assim, a lebre passou a ser representada pelo coelho, que popularmente se tornou um símbolo para a periodicidade, pois a lebre por ser selvagem, não tinha tanto contato no plano humano como o coelho.
Coelhinho da Páscoa, ou seja, a lebre é também associada à deusa pagã “Eostre”. A terrena símbolo da deusa anglo-saxã da Primavera “Eastre”, foi lebre.
E ela foi adorada como símbolo na terra representando a deusa fértil na lua cheia e em comemoração a sua gravidez e o nascimento de sua prole.
Eastre era representada pelo símbolo da lebre e do ovo. Ambos hoje são símbolos do renascimento.


  

Simbolismo nos Ovos:

Abaixo estão alguns símbolos tradicionais usados nos ovos, e você pode perceber que muitos desses símbolos têm significados universais.
- Círculos: Proteção, a vida eterna, continuidade e completude. O Sol, e os ciclos de vida.
- Triângulos: Os elementos do ar, fogo e água. Ou apenas fogo. A Trindade. Sol, Lua e das estrelas.
- Sol: Doador da vida, especialmente quando o Sol é visto como o Deus.
Fogo e calor, encantamento, prosperidade, boa sorte.
É o símbolo mais antigo e significativo.
- Tripés: homem, mulher e criança. Nascimento, vida e morte.
- Estrelas e Rosas: símbolos populares de pureza, vida, dá a luz, o olho de Deus, o amor de Deus pela humanidade. Também sucesso, conhecimento, beleza, elegância e perfeição.
- Nós: Normalmente representa estrelas ou as lágrimas de Maria.
- Curvas: Proteção.
- Espirais: mistério da vida e da morte, a divindade e a imortalidade.
- Cruzes: Representa as quatro direções, as quatro idades do homem, os quatro elementos, e do renascimento e vida eterna.
- Frutas : Popular no pysanky tradicionais, estes elementos eram importantes para uma sociedade que dependia dos campos.
- Peneiras: Separando o bem do mal.
- Redes e cestas: Contendo o conhecimento, a maternidade, dando vida e presentes.
- Escadas: Busca, elevando-se acima dos mesquinhos, subindo ao céu.
- Pentes: Colocando as coisas em ordem.
- Plantas: Renascimento da natureza.
- Árvores: Força, renovação, criação, unidade orgânica, o crescimento e a vida eterna.
- Folhas: Imortalidade, amor eterno ou puro, força e persistência.
- Flores: beleza, crianças, os princípios feminino da sabedoria e elegância.
- Girassol: Maternidade, a vida, o amor do Divino.
- Trigo: safra Abundância.
- Ondas: riqueza, chuva.
- Cavalos: riqueza, prosperidade, resistência, velocidade e movimento do sol.
- Carneiros: Liderança, força, dignidade e perseverança.
- Chifres: simbolizam uma forte liderança, dignidade, perseverança, mobilidade, sabedoria, maturidade, triunfo sobre os problemas.
- Patas de urso: um espírito guardião, bravura, sabedoria, força e resistência, a chegada da primavera.
- Aves: todas as espécies, são mensageiros do Sol e céu, afastando o mal, trazendo a fertilidade, a satisfação dos desejos.
- Galo: Boa sorte, masculinidade, vinda do amanhecer.
- Galinhas: Fertilidade. Pés de galinha oferecem proteção para os jovens, e orientação.
- Pés de pato: Símbolos da alma ou espírito.
- Borboletas: Subida da alma, o prazer e a frivolidade da infância.
- Aranhas: Paciência, arte, indústria, cura e boa sorte.
- Peixes: Abundância, sacrifício e regeneração.

(colocar foto de ovos coloridos)

Simbolismo das cores nos Ovos:
- Branco: Pureza, o nascimento, a virgindade, e da ignorância.
- Amarelo: Juventude, a luz, pureza, felicidade e sabedoria.
- Vermelho: A cor mais usada para paixão, amor, entusiasmo.
- Laranja: resistência, força,.
- Verde: renovação, frescor, esperança, vitória da vida sobre a morte.
- Marrom: Terra, materialidade, firmeza
- Azul: Céu, boa saúde derivados do ar.
- Roxo: Paciência, confiança.
- Preto: Memória, a eternidade, constância e morte.
A combinação preto e branco indica proteção contra o mal e o respeito pelos mortos.
Simbolismo na tradição Mágica:
- Naipe de Paus = elemento Terra, a humanidade.
- Caldeirões = renascimento e da sabedoria.
- Naipe de Copas = Taças para representar a água: a emoção, cura e adaptabilidade.
- Naipe de Espadas= elemento Ar: o pensamento claro, inteligência e aprendizagem.
As possibilidades são infinitas.
Projete nele todos os sonhos e desejos que quer ver realizados.
Coloque os ovos pintados no altar, simbolizando a fecundidade e a renovação.
Depois do ritual, presenteie os amigos, parentes e pessoas queridas com um ovo, orientando-os a colocá-los nos pés de uma planta ou árvore enquanto mentalizamos nossos pedidos e desejos.



RECEITAS DE OSTARA:
Compota de Frutas
- Ingredientes:
- 2 xícaras (chá) de damascos;
- 1 xícara (chá) de uvas-passas;
- 1 xícara (chá) de ameixas-pretas;
- 1 laranja;
- 1 limão;
- 1 maçã-verde;
- 1 pêra;
- 3 canelas em pau;
- 4 cravos-da-índia;
- 2 xícaras (chá) de açúcar;
- água.
Lave muito bem sob água corrente a laranja, o limão, a maçã-verde e a pera.
Sobre uma tábua, corte a laranja e o limão em rodelas finas.
Retire os caroços. Reserve.
Com uma faquinha afiada, descasque a pera e a maçã e corte-as em cruz (quatro fatias cada). Retire os miolinhos onde ficam os caroços.
Numa panela média, coloque a maçã, a pera, o limão, a laranja, as uvas-passas, as ameixas, os damascos, o cravo, a canela e o açúcar.
Adicione água o suficiente para cobrir as frutas (não exagere: não deve haver nem um pouquinho de água acima das frutas).
Misture tudo com uma colher de pau.
Leve a panela ao fogo médio e deixe cozinhar por aproximadamente 25 minutos ou até que as frutas amoleçam e a calda fique um pouco espessa.
Tome cuidado: as frutas não devem se desmanchar.
Desligue o fogo.
Deixe a compota esfriar e sirva em tigelinhas.


SORVETE DA DEUSA OSTARA
Ingredientes:
- 1 lata de leite condensado
- a mesma medida de leite comum
- 4 gemas
Para o outro creme:
- 1 lata de creme de leite sem soro
- 6 colheres de açúcar
- 4 claras
Ingredientes para a calda:
- 6 colheres de chocolate em pó
- 6 colheres de água e passas e ameixas picadinhas
Modo de preparar:
Faça o primeiro creme levando ao fogo, mexendo bem, mas sem ferver; tire do fogo e faça o segundo creme e misture os dois, batendo bem na batedeira.
Depois, misture a calda que é feita sem ir ao fogo; e por último, acrescente as frutas.
Antes de misturar os dois cremes, deve-se bater bem as claras em neve com o açúcar, para que não fique cheiro do ovo.
Sirva bem gelado.
Esta receita é para pedir filhos e uma primavera constante para seu relacionamento, pois os ovos simbolizam a fertilidade e Ostara é a própria pri

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.