Siga por e-mail

Seguidores

quinta-feira, 22 de março de 2012

As Bruxas e as Tradições



{Em seguida, há uma pequena descrição da Lois Bourne, uma iniciada de Gerald B. Gardner que foi conduzida, para uma Tradição mais conservadora, por Margo - uma Alta-Sacerdotisa, onde permanece como membro ativa. Atualmente, ela - Lois Bourne - é Magistra de seu Coven e, recentemente, proferiu essas palavras...}




"Há Bruxas de diferentes Tradições. Por esta razão, os rituais e as metas variam um pouco. Cada Coven é autônomo, não existe nenhuma organização central, não é uma monarquia e, em geral, aqueles que reivindicam esses títulos são geralmente vistos com certa diversão e como algo ansioso para legitimar. 

Já houve tentativas para organizar a Bruxaria, mas por razões diversas, não funcionou. Tem sido dito que a memória do tempo é o jogo e a causa. No passado, era preferível que cada Coven não soubesse da existência de outros, por isso, se eles foram presos e torturados, as bruxas não podia admitir que eles não sabiam.

Bruxas solitárias podem fazer magia quando quiser, mas a regra é que os Covens se reunissem uma vez por mês na Lua Cheia. Além disso, eles celebram os Quatro Grandes Festivais - 01 de fevereiro, Candlemas; Beltane ou May-Eve; Lammas, vésperas de agosto; e Hallowe'em, dia 31 de Outubro. E, alguns Covens celebram também mais os Solstícios, de Inverno e Verão, e os Equinócios.

A estrutura bruxa religiosa pode ser visto como uma religião pagã, panteísta e mística. É uma religião que celebra a vida e a vida é personificada pela Mãe Terra e seu consorte - o Deus Chifrudo, o qual não deve ser confundido com o símbolo cristão do mal: o diabo. O Deus Chifrudo das Bruxas pode ser em muitos pontos, em comparação com Pan. Alguns adoram a Deusa Mãe, como sempre foi em diferentes partes do mundo, mesmo se dando muitos nomes diferentes, é sempre a mesma Deusa."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.