Siga por e-mail

Seguidores

sexta-feira, 2 de março de 2012

Deuses Celtas


DEUSA FLIDIAS

Flidias é a Deusa celta da Sensualidade e Senhora das Florestas. Ele reúne os atributos da deusa Àrtemis com a sensualidade de Afrodite. A combinação é perfeita!
Como Senhora das Florestas, ela cuida de todas as coisas silvestres e indomáveis da natureza e está associada ao Homem Verde. Para aqueles que destroem indiscriminadamente bosques e árvores, o Homem Verde é um espírito maligno. Para aqueles que amam e usam de modo sábio as árvores, le é a tímida entidade que encoraja o crescimento da árvore.

Mas Flidais também está associada aos animais, em especial ao gado e muitas vezes surge conduzindo uma carruagem puxada por oito cervos e chamava todos os animais da floresta de "seu gado". As acepções simbólicas do cervo (gamo) são numerosas, sendo a mais notável, a que o associa a Árvore do Mundo. Por seus chifres longos, que se renovam periodicamente, é comparado à Árvore da Vida. Assim, simboliza a fecundidade (à qual o ardor sexual não é estranho) e os ritmos do crescimento e renascimento. Um dos símbolos desta deusa é a corça, que está intimamente ligada com o feminino. Na mitologia grega ela era consagrada a Ártemis, que a caçava ou a usava para puxar sua quadriga. A beleza da corça vem do brilho extraordinário de seus olhos e este olhar é comparado muitas vezes ao de uma jovem. Além de sua graça e beleza, a corça simboliza a virgindade e pureza. Flidias tinha como símbolos também, a grama verde, as árvores e as nascentes das terras das florestas.

Flidais era descrita como uma mulher altiva, forte e muito bela que apresentava cabelos dourados. O dourado não apenas define seu esplendor, mas também faz a consciência despertar. O domínio do consciente em Flidais não é espiritual e sim terreno, uma exaltação da mais alta pureza, que reluz como ouro. A deusa exemplifica os aspectos da natureza feminina que se manifestam na matéria. Beleza física, consciência integrada no corpo e capacidade de conectar emoções profundamente sentidas com relacionamentos. Todos estes atributos, como já dissemos, provém da associação de Flidias com as deusas Àrtemis e Afrodite.

Panteões- Divindades Pagãs

Panteão é o termo que damos ao conjunto de nomes das divindades de um povo, ou seja, quando falamos de Deuses Gregos estamos falando sobre o Panteão Grego, e assim temos o panteão Egípcio, Nórdico, Celta, Romano, Hindu, dentre outros.

Etimológicamente deriva de "Pan" (todo) e "Théos" (deus), significa literalmente um conjunto de Deuses de determinada religião. Quanto a escolha, o Magista e livre para decidir, pois é necessário que se sinta uma plena afinidade. Esses Deuses que agradaram serão os elos de ligação da sua fé, e serão através Deles que seus desejos se concretizarão.

Os Panteões podem ser correlacionados, criando-se uma lista de referencia, por exemplo, como foi citado Ísis corresponde a Cerridween, que corresponde a Hera e por ai vai, e é importante compreender que apesar destas duas Deusas possuírem atividades singulares, seus mitos e suas crenças são diferentes. São somente unidas pelo elo do sagrado Feminino, uma energia única, assim como para os Deuses ligados pela essência Masculina.

Hoje é muito comum se ter dúvidas em relação a panteões, e sem querer influenciar ninguém, porém somente a título de conhecimento falarei sobre um panteão que é bastante comum a alguns seguidores da Magiah, o Panteão Celta.

Estudar o panteão celta é adentrar um mundo vasto e desconhecido. Este panteão foi transmitido através das gerações de forma oral. Eis, pois, o motivo real da dificuldade, a transmissão oral tem muitíssimas falhas. A maior parte do conhecimento que se tem de tal panteão se deve principalmente à "ajuda", digamos assim, do imperador romano Júlio César.

Roma conquistou os povos celtas da Gália (atualmente França) depois de muitos anos de batalha. Para os romanos, os galos (celtas da Gália) tinham uma grande virtude, a valentia, mas era só isso. Eram vistos como seres primitivos que impediam a expansão do mundo civilizado (Roma). É certo, portanto, estudar o que foi legado pôr Roma, mas tendo sempre em vista que os romanos não gostavam dos celtas. Os relatos são, pois, cheios de exageros e preconceitos.

Os relatos mais fiéis, entretanto, sobre a mitologia celta estão presentes na literatura irlandesa e galesa. A primeira vem desde o século VII, enquanto a segunda remonta do séc. XIV em diante. Essa literatura (poesias épicas) vai versar principalmente sobre a Irlanda medieval, assim como a tradição Artúrica derivada em Gales, Bretanha e Inglaterra.Um observador mais atento verá rapidamente que as informações são limitadas, pois só compreendem a zona ocidental do reinado celta.


"Felizmente, os ciclos mitológicos da Irlanda são extensos e estão repletos de incidentes. A propósito, somente foi publicada metade das 400 narrações que hoje em dia se sabe que existem. Os estudiosos modernos dividiram estes relatos em quatro ciclos principal.

O primeiro ciclo compreende o povo da deusa Danann, os "tuatha de Danann". A grande deidade deste ciclo é Dagda, filho da deusa sobrecitada. Dagda possui um caldeirão mágico que tinha o poder de reviver os mortos. Alguns mitólogos dizem que esse objeto é o protótipo do Santo Graal. "Dizia-se que o Graal era o cálice do qual Jesus e os seus discípulos beberam durante a última ceia; também recolheu sangue que brotou da ferida de lança sofrida pôr Jesus na Crucificação".

O segundo ciclo retrata principalmente Cuchulainn, um dos vários heróis do Ulster. Era uma espécie de semi-deus guerreiro protetor da Irlanda. O terceiro ciclo fala das histórias dos reis lendários, que lutavam freqüentemente entre si, dando a oportunidade a Morrigam - deusa da guerra - de semear a morte nos campos de batalha. Morrigam era vista como uma ave e estava presente em tudo o que fosse verdadeiramente selvagem e maléfico nas forças sobrenaturais.

Os duelos entre os heróis celtas são contados no quarto e último ciclo. São conhecidas as aventuras de Finn mac Cumhaill, líder dos Fianna, grupo de guerreiros fortíssimos.

O panteão celta vai influenciar diretamente a cavalaria cristã. "A Igreja medieval sempre se preocupou pelo Graal que, conforme se supõe, José de Arimatéia levou à Grã-Bretanha. No entanto, os clérigos pouco podiam fazer para esfriar o entusiasmo diante das narrações legendárias dos Cavaleiros da Távola Redonda. Inclusive tiveram de aceitar o relato de acordo com o qual somente foi concedida a visão do Graal a sir Galahad em virtude de sua pureza". O interesse pôr Artur e seus cavaleiros ainda existe até hoje.



Panteão Celta:


Angus Mac Og

Deus do Amor, da beleza e da juventude, na Irlandaantiga. Um dos Tuatha de Dannan, Angus possuia uma harpa dourada que reproduzia música de irresistível doçura. Os seus beijos transformavam-se em pássaros que transportavam mensagens de amor.
Uma das lendas conta que Angus se apaixonou por uma jovem que apenas viu em sonhos. Decidido a encontrá-la acaba por descobrir que é filha de Ethal Anbuais, um Sidh que morava em Connaught. Angus acaba por encontrar a sua amada perto de um lago como sendo a mais alta de um grupo de 150 jovens. Ethal conta a Angus que a sua filha é vítima de um encanto que faz com que ela se transformasse em cisne a cada dois anos (durante um ano permanecia mulher e durante o ano seguinte permanecia cisne). Assim, para poder desposá-la, Angus precisava transformar-se em cisne, durante a noite do próximo Samhain. Assim foi, nessa data, Angus deslocou-se ao lago onde se encontrava a sua amada. Ao mesmo tempo que sua futura esposa se transformava em Cisne, juntamente com as restantes jovens, também Angus se transfigurou num belo cisne. Os dois, juntos, voaram então, ao redor do lago por três vezes, cantando uma melodia que fez o mundo adormecer por três dias e três noites.



Anu/ Dana/ Dannan

Deusa Mãe da abundância, sendo a maior de todas as Deusas do Panteão irlandes. Aspecto Virginal da Deusa Tríplice,formada com " Babb" e "Macha", guardiã do gado e da saúde. Deusa da fertilidade, da prospéridade do conforto.
















Arawn

Regente do Submundo, "Annwn", na tradição galesa representa a vingança, o terror e a guerra.



















Arianrhod


Seu nome significa "Roda de Prata", ou "Grande Mãe Frutosa". Arianrhos é a face Mãe da Deusa tríplice, honrada na Lua Cheia. Ela é a Guardiã da Roda de Prata, simbolo do tempo e do Karma. Senhora da Reencarnação.
Ela é retratada em Math, son of Manthonwy, e novamente devemos olhar além do que sua lenda conta. Ela é chamada a corte de Math por seu irmão Gwydion, é convocada a ser "Math's Footholder" (algo como: A que segurava o pé de Math - isso é estranho mesmo). Para realizar essa tarefa, ela deveria provar sua virgindade, pois Math, exceto durante a guerra,si poderia viver se mantivesse seus pés no ventre de uma virgem. Pede-se que ela pise na varinha de Gwydion para verificar se ela de fato era virgem. Ela pisa sobre a varinha, e imediatamente da á luz a seus dois filhos. Dylan rasteja-se e escapa para o mar, enquanto a outra criança é capturada por Gwydion. A furiosa Arianrhod jura a seu irmão que a criança em seus braços nunca terá um nome, nunca empunhará uma espada e nunca possuirá uma mulher da Terra - e que essas coisas só poderiam ser concedidas pela mãe da criança. Com o passar do tempo, através de mentiras, Gwydion consegue enganar Arianrhod, e da um nome e arma á seu filho, mas apenas com a criação de Blodeuwedd que o jovem Llew pode ter uma esposa. 



Badb-( Baíd)
Traduzido como "Corvo de Batalha" que representa o caldeirão da vida. conhecida como "Cauth Bodva". Badb, Deusa da Guerra é esposa de "Net", também Deus da Guerra. Irmã de "Macha", "Morrigu", e de " Anu.Aspecto maternal da Deusa Triplice. Associada ao caldeirão, aos corvos e as gralhas, Badb rege a vida, a sabedoria, a inspiração e a iluminação.



Campos de batalha eram chamados de a terra de Badb, e com frequência era dito que Badb aparecia neles sob a forma de um corvo ou de um lobo. Badb é associada à beansidh, e diz-se que foi crucial na batalha contra os formorianos.
Badbs também eram as vítimas de sacrifícios. Em The Destruction of Da Derga's Hostel, entre os quartos da hospedaria e seus moradores observados por Lomna Druth, filho de Donn Desa, o qual informa à Fer Rogain que depois dos quartos dos cavalariços, juízes, conjuradores e satiristas, vinha o Quarto dos Badbs:
Observei um trio, nu, pendendo do telhado da casa: jatos de sangue irrompendo deles e as cordas do morticínio em seus pescoços.' 'Destes eu sei,' disse ele, 'três .. . de horrível presságio. Aqueles são os três que são assassinados todas as vezes.'"
No registro mitológico da segunda batalha de Mag Turied, onde os Tuatha Dé Danann derrotaram os fomorianos, foi dito que Badb recitou a seguinte profecia sobre o fim do mundo:
Verão sem flores,
gado sem leite,
mulheres sem modéstia,
homens sem valor;
cativos sem um rei,
bosques sem nozes,
mar sem frutos
— (Ó Cuív 37)

Banba

Deusa irlandesa que, juntamente com "Fotia" e "Eriu", usava a magiah para repelir os invasores.
De acordo com Seatrún Ceitin, ela reverenciava Macha, que também é às vezes citada como filha de Ernmas. Logo, as duas deusas podem ser equivalentes. Céitinn também refere-se à tradição de que Banba foi a primeira pessoa a pôr o pé na Irlanda antes do Diluvio, numa variação da lenda de Cessair.













Bel/Belenus/ Belimwar.
Seu nome significa"Brilhante", sendo o Deus sol e do fogo. Belenus da seu nome
ao festival "Beltane", festa de purificação e fertilidade. Belenus Ligado a ciência, cura, fontes térmicas, sucesso, prosperidade, colheita e vegetação.













Blodweed


Seu nome significa "Flor Branca" e "Coruja" nos dias de hoje,sendo representada como um lírio branco nas cerimônias de Iniciação. Criada por " Math" e "Gwydion", o Druida, para ser esposa de "Lleu" , foi transformada em coruja por causa de adultério e da conspiração para a morte de seu marido. Aspécto Virginal da Deusa. Blodweed tinha por símbolo uma coruja. Seu somínio é o das flores, sabediria, mistérios lunares e iniciações.










Boann/Boynne


Deusa do rio Boynne na Irlanda, Mãe de "Angus Mac Og" com o " Dagda".
Boann criou o rio Boyne. Embora proibida por seu marido, Nechtan, Boann aproximou-se da mágica poço de Segais (também conhecido como Poço também conhecido como o Poço da Sabedoria), que estava circundado por árvores da avelã. Nozes das avelãs eram conhecidas por cair dentro do poço, onde eram comidas pelo salmãopintado (que, com as nozes de avelã, também incorporam e representam sabedoria no mito irlandês). Boann desafiou o poder do poço ao caminhar entorno dele contra o sentido do relógio; isto causou às águas se engrossarem violentamente e correrem abaixo para o mar, criando o rio Boyne. Nesta catástrofe, foram varridas junto nas águas apressadas, e perderam um braço, perna e olho, e basicamente sua vida, na inundação. O poema a iguala a rios famosos em outros países, incluindo o Severn,TiberJordãoTigris e Eufrates.




Bran


O Abençoado. Bran ea irmão do poderoso "Manawydan Ap Llyr" e de "Branwen", sendo filho de "Llyr". Associado aos corvos Bran é o Deus das profecias, das artes, dos chefes, da guerra, do sol,da música e da escrita.










Branwen

Irmã de "Brann", e esposa do Rei Irlandês "Matlowtch". Vênus dons mares do norte, filha de "Llyr", uma das três matriarcas da Grã Bretanha. Branwen é chamada de " Dama do Lago" sendo a Deusa do amor e da beleza mo panteão Galês.
Ela foi uma das três Matriarcais da ilha, linda donzela no mundo Ela era!"
A incrível Deusa Branwen, a personificação da soberana, é a Deusa Suprema de Avalon. Há um capítulo inteiro do Mabinogion que carrega seu nome, Branwen, a filha de Llyr. O Corvo Branco, a irmã de Bran, o Abençoado Bran. Tornou-se Rainha da Irlanda e posteriormente, foi extremamente maltratada por seu marido.
Então, enviou estorninhos, uma espécie de pássaro que ela mesma treinou, para chamar seu irmão Bran, que era Rei da Ilha da Grã-Bretanha, para socorrê-la das crueldades do marido Matholwch.
Matholwch, temendo a guerra, tentou conciliar-se com Bran, mas os irlandeses entraram em guerra assim mesmo e depois das batalhas, houve o aparecimento do Caldeirão da Abundância para restaurar a vida e a decapitação de seu irmão. Branwen retorna para a Bretanha, onde morre de tristeza por ver tanta morte e destruição em seu reino. Branwen é a Deusa da justiça e da compaixão.




Brigit/ Brgith


Seu nome significa " Flecha de Poder". Brigit é filha do " Dagda", sendo chamada "A Poetisa". Outro aspecto de "Danu" associada a Imbolc.Tinha ordem dedicada a ela formada só por mulheres, em Kildare na Irlanda, que se revezavam para manter a chama do Fogo Sagrado sempre aceso.Deusa do Fogo, fertilidade e lareiras, todas as artes e ofícios femininos e ocultismo.
As lendas mais antigas dão conta que num distante dia primaveril dois sóis despontaram no horizonte para iluminar o mundo. Um deles era o velho Astro-Rei que como sempre emergiu do Leste para iniciar sua caminhada costumeira pelo céu até encontrar seu descanso no Oeste, enquanto o outro anunciava o nascimento de uma filha dos Tuatha Dé Danann.
Como fosse uma revelação do que seria o destino daquela menina no mundo e marca de sua força a casa onde nasceu ardeu até alcançar o céu numa chama de brilho imperecível nunca desfeita em pó , competindo em pé de igualdade com a luz do Sol durante o dia e até mesmo vencendo as trevas na noite .


Os que presenciaram o nascimento deste bebê de mística beleza puderam relatar de que no lugar de cabelos saiam de sua cabeça um pilar de fogo perpétuo solidificado em uma massa pétrea de cor vibrante que era como uma coroa de rubis a enfeitar ainda mais a face daquela criatura de ares sobrenaturais. Ela foi chamada de Brigindo pelos gauleses, Brigantia pelos britânicos e Brigith pelos gaélicos, sendo consagrada o seu culto pelos celtas principalmente como deusa do fogo.

Cernunnos

Deus cornudo, consorte da Grande Mãe, Deus da natureza, senhor do mundo. Representado por um homem na posição de lótus, portando um torque e chifres. Os seus símbolos eram o veado, o carneiro, o touro e a serpente. Deus da virilidade, fertilidade, natureza e guerreiros.










Cerridween


Deusa da lua, sendo chamada de Grande Mãe e a Senhora, Deusa da Natureza. Cerridween é esposa do gigante "Tegid" e mãe de um alinda donzela "Creirwy", e de um feio rapaz "Avagdu". Os ladrões Galeses se chamavam "Cerddorion". Há uma lenda que diz que " Taliesin" Druida da corte do Rei Arthur nascera de Cerridween e se tornara Mago após tomar uma poção do caldeirão Dela. Cerridween é ainda Deusa da morte, da fertilidade, regeneração, inspiração, Magiah, astrologia, ervas, poesia, encantamentos e conhecimento.


Dagda 


O bom Deus. Grande Senhor, pai dos Deuses e dos homens, o Arqueduída. Deus da Magiah da Terra. Rei supremo dos "Tuatha de Dannan", mestre de todos os ofícios, senhor de todos os conhecimentos. Teve vários filhos, entre eles "Brigith, Angus, Midir, Ogma e Badb". O Dagda tem uma harpa de carvalho vivo que faz as estações mudarem. Deus dos magos e sacerdotes, senhor dos artesões, da música e das curas.


Dama Branca


conhecida em todos os países Celtas como " Macha", Rainha dos mortos, a forma idosa da Deusa. Simbolizava a morte e a destruição. Algumas lendas chamam-na de "Banshee", aquela que traz a morte.

















Danu/ Dannan/ Dana


Principal Deusa do panteão Celta, a Grande Mãe dos Irlandeses, as vezes identificada como "Anu". Mãe dos "Tuatha de Dannan", povo de Dana, o povo magicko descendente dos Deuses, que se escondeu com a chegada dos cristãos as terras Celtas. Outro aspecto da Morrigu, Danu é a patrona dos feiticeiros, dos rios, das águas, dos poços, da prosperidade e da abundância, da sabedoria e da Magiah.




























Druantia


Rainha dos Druidas, Deusa ligada a fertilidade, as atividades sexuais, as árvores,a proteção,ao conhecimento e a criatividade.























Dylan


Filho da Onda, Dylan é o Deus do Mar para os povos antigos galeses, sendo filho de "Gwydion" e "Arianrhod". Seu simbolo é um peixe prateado.

























Elayne 


Aspecto virginal da Deusa Tríplice no panteão galês.




































Epona 


Seu nome significa "Grande Cavalo", sendo homenageada em Gales como Deusa dos cavalos. Deusa da fertilidade, maternidade, prosperidade, animais, cura e da colheita.






























Eriu/ Erin


Filha do Dagda, Erin é uma das três rainhas dos Tuatha de Dannan.




































Flidais


Flidais é a Deusa celta da Sensualidade e Senhora das Florestas. Ele reúne os atributos da deusa Ártemis com a sensualidade de Afrodite. A combinação é perfeita! 
Como Senhora das Florestas, ela cuida de todas as coisas silvestres e indomáveis da natureza e está associada ao Homem Verde. Para aqueles que destroem indiscriminadamente bosques e árvores, o Homem Verde é um espírito maligno. Para aqueles que amam e usam de modo sábio as árvores, é a tímida entidade que encoraja o crescimento da árvore.
Flidais era descrita como uma mulher altiva, forte e muito bela que apresentava cabelos dourados. O dourado não apenas define seu esplendor, mas também faz a consciência despertar. O domínio do consciente em Flidais não é espiritual e sim terreno, uma exaltação da mais alta pureza, que reluz como ouro. A deusa exemplifica os aspectos da natureza feminina que se manifestam na matéria. Beleza física, consciência integrada no corpo e capacidade de conectar emoções profundamente sentidas com relacionamentos. Todos estes atributos, como já dissemos, provém da associação de Flidias com as deusas Ártemis e Afrodite.




Goiniu/ Goffanon/Govannon


É o Grande Deus ferreiro do povo Irlandês, semelhante a " Vulcano" Foi ele quem forjou todas as armas dos Tuatha de Dannan. Estas armas sempre atingem o alvo e todo aquele que for atingido por elas perecerá. Deus dos ferreiros, dos fabricantes de armas de fogo, da ourivesaria, fabricação de cerveja, fogo e trabalhos com metal.












Gwydion 


O Grande Druida. feiticeiro e bardo do norte, seu simbolo é um cavalo branco. Rege a ilusão e as mudanças, a magiah, o céu, as curas.













Gwynn ap Nudd


Rei das Fadas e do submundo na tradição galesa.





















Gwythyr


Oposto de Gwynn ap Nudd. Senhor do Mundo superior.















Nenhum comentário:

Postar um comentário