Siga por e-mail

Seguidores

segunda-feira, 26 de março de 2012

Dúvidas sobre planetas que pouco se fala



O que é movimento Retrógrado?


Aparentemente, os planetas giram em torno do Sol em velocidades diferentes. Do ponto de vista de quem está na Terra, pode até parecer que um planeta está "andando para trás", mas isso é mera ilusão. Para a astrologia, a arte que interpreta o simbolismo natural dos fatos e objetos celestes, um planeta que "anda para trás" está retrogradando, ou seja, está indicando uma possibilidade de reavaliação de um tema, geralmente ligado ao signo em que o planeta retrograda. Assim, o planeta Mercúrio retrograda algumas vezes durante o ano e, de acordo com o signo em que isso ocorre, podemos dizer que estamos vivendo uma segunda chance de entender ou reaver obejtos perdidos, pois este planeta tem a ver com comunicação e mente prática. Assim também indicamos cuidado dobrado no trato com assinaturas e acordos, processos e abertura de sociedades, acertos verbais e tudo que é escrito, pois quando Mercúrio retrograda, pensamos estar corretos mas cometemos pequenos erros de distração. Em alguns países, os astrólogos publicam pequenos calendários onde os dias em que Mercúrio está retrógrado constam em vermelho, como se fosse domingo.




Qual o significado desse planeta no nosso Mapa?


Considerando nossa visão da Terra, ou seja, na conjugação da órbita do planeta com a órbita da Terra, há períodos em que temos a impressão de que o planeta em sua trajetória ao redor do Sol está se movendo para trás. Este movimento aparente é chamado de retrogradação.

Mesmo sendo o movimento retrógrado aparente, sua influência sobre a atuação do planeta é notável e deve ser examinada. O movimento direto simboliza o impulso para frente, para fora. Já o simbolismo do movimento retrógrado é de recuo, de volta para trás, para dentro. Podemos portanto concluir que as qualidades representadas pelo planeta retrógrado atuam de forma lenta e sutil, ou nas palavras de Bill Tierney, "nos bastidores", dificilmente podendo ser observadas na superfície.


Tierney associa ao planeta retrógrado traços de Peixes, Casa 12 e Netuno, porque a retrogradação estimula as facetas da personalidade que são menos acessíveis, sua natureza é introspectiva, sendo difícil de ser reconhecida objetivamente e retardando sua expressão plena durante os primeiros anos da vida. Segundo Tierney, o planeta retrógrado indica uma questão que não está terminada, seus recursos são adquiridos no inconsciente profundo, podendo manifestar-se melhor através da reflexão.

Virginia Ewbank e Joanne Wickenburg formularam uma teoria diferente acerca do tema. Para estas autoras, o caráter do planeta retrógrado opera como se funcionasse por meio do seu segundo signo ou de sua co-regência. Assim temos: Júpiter/Peixes, Saturno/Aquário, Vênus/Libra, Mercúrio/Virgem. Tomando como exemplo Mercúrio, segundo essa idéia, estando retrógrado, este seria mais descritivo da natureza de Virgem (seu segundo domicílio), uma vez que este signo tende a estudar e analisar com cuidado o que Gêmeos agrega e propaga com mais facilidade. Como outro exemplo poderíamos pensar em Marte, que retrógrado, atuaria mais de acordo com Escorpião, isto é, menos ativo externamente que em Áries.

Em ambas as teorias, de qualquer forma devemos ressaltar que no caso de Urano, Netuno e Plutão, a retrogradação não tem o mesmo peso, pois além de serem geracionais, no caso da teoria de Ewbank e Wickenburg, não têm um signo de co-regência. Aliás, a questão da retrogradação será sempre mais relevante para os planetas pessoais, já que a partir de Júpiter, planetas sociais e geracionais, é comum encontrarmos pelo menos dois planetas em movimento retrógrado simultâneamente.

Quando um mapa possui quatro ou mais planetas retrógrados (sendo pelo menos dois pessoais, de acordo com o que vimos), temos um indicador de que a personalidade pode florescer tardiamente e só manifestar talentos e capacidades na maturidade. Pode indicar ainda, que a pessoa é menos moldada pelas estruturas externas da sociedade, desenvolvendo-se segundo suas próprias inspirações. Só quando aprende a conhecer-se é que sua verdadeira naturezaemerge.




Um grande número de planetas retrógrados também pode ser indicador de um início de vida difícil, já que a natureza introspectiva da retrogradação retarda a expressão plena dos planetas. Assim, devemos estar especialmente atentos para o momento em que um planeta retrógrado no mapa natal muda de direção pela progressão secundária, passando ao movimento direto. Nas palavras de Sophia Mason, "o planeta retrógrado funciona como "uma torneira pingando" que finalmente se abre quanto este passa para o movimento direto".

No caso dos planetas retrógrados estarem em aspecto difícil com os pessoais e especialmente se estes envolverem o Ascendente ou o seu regente, a pessoa pode sentir-se como que exilada, desconectada de seu meio e portanto solitária.

Também devemos ressaltar a importância do movimento retrógrado numa análise de Trânsitos, especialmente para Júpiter ou Saturno. Se um deles por retrogradação volta a transitar um ponto do mapa, os efeitos do trânsito poderão se extender por meses, até que o planeta faça a sua última e definitiva passagem pelo ponto em questão. Nesse caso, um trânsito de Júpiter ou Saturno tem sua importância consideravelmente aumentada.

Devemos olhar com atenção um planeta lento (à partir de Júpiter) que se encontre retrógrado na Revolução Solar. No caso, devemos observar o momento em que, por trânsito direto, o planeta em questão volta a tocar aquele grau e minuto. Quando isso ocorrer, a pessoa poderá experimentar marcadamente algum fato ou circunstância correspondente ao significado do planeta em questão.

Para concluir, relacionamos algumas das palavras-chave citadas por Tierney para os planetas retrógrados:

Construtivos: profundo, sutil, reformador, reflexivo, força interior.
Não construtivas: inibido, bloqueado, reprimido, inadaptado, esquivo.

Ainda dentro do tema Retrogradação faz-se necessário abordar a questão do estacionamento.

Uma condição muito importante durante a trajetória dos planetas é a que corresponde ao momento imediatamente precedente àquele em que o planeta muda do movimento direto para retrógrado, e vice-versa. Essa fase é marcada por uma diminuição notável da velocidade do planeta, quando ele se encontra virtualmente imóvel. O planeta nessas condições recebe a designação de estacionário.

O critério para considerar o planeta estacionário pode variar, mas nos parece sensato considerar no caso de Mercúrio, Vênus e Marte, quando estes se encontram em uma velocidade inferior a 1/10 de sua média, entretanto há quem os considere estacionários quando permanecem no mesmo grau. No caso de um planeta lento, este é considerado estacionário quando permanece


no mesmo grau e minuto. Devido ao fato de estar ainda que ilusoriamente parado, podemos concluir que o planeta estacionário funciona como especialmente concentrado. Ele é uma força poderosa e indica um interesse marcante de acordo com seus significados. Em geral, é fixado na sua

orientação, rígido, não adaptável, atuando de forma compulsiva, especialmente com relação à área do mapa em que se encontra. É importante ressaltar que o planeta estacionário estará sempre a ponto de tornar-se retrógrado ou direto.


No caso do planeta estacionário para retrógrado, este tenderá a um caráter ainda mais subjetivo, pois a pessoa se concentra sobre suas implicações. Seu impacto interiorizante é ainda mais forte que o retrógrado normal. O planeta estacionário para direto, por sua vez, está prestes a emergir e utilizar o que desenvolveu podendo parecer mais empreendedor e manifestando o mesmo grau de urgência daquele em movimento direto. Entretanto, para ambos os casos, a utilização do planeta estacionário deve ser parte de uma a

Também faz-se necessário observar que os graus de estacionamento dos planetas lentos em trânsito, muito utilizados na Astrologia Mundial. Quando um lento estacionou em um dado grau, qualquer outro planeta em trânsito passando pelo referido grau, inclusive um planeta rápido, deflagrará situações de acordo com o significado do planeta que ali estacionou. É como se o grau permanecesse com a marca do planeta. Do mesmo modo, na eleição de um mapa devemos evitar aspectos difíceis dos planetas significadores da questão com os graus de estacionamento, especialmente os de Saturno, Urano, Netuno e Plutão.




Quando um planeta está debilitado?


Quando um planeta ingressa em um signo em que sua força diminui, ele se encontra debilitado. As funções que o planeta representa ficam comprometidas.O planeta "opera" de uma forma "aflita" ou constrangida, como quando vestimos uma roupa que nos faz sentir tolhidos e constrangidos. Desde a mais antiga era, os planetas foram distribuídos em signos nos quais se encontram mais ou menos "à vontade", mais fortes ou mais fracos. Os termos antigos empregados são planeta em domicílio, exaltação, exílio ou queda. Os dois últimos termos aplicam-se quando o planeta transita um signo em que está debilitado, enquanto que as duas primeiras situações ocorrem quando os planetas transitam signos em que estão fortalecidos, em "dignidade". Em muitas ocasiões, um planeta debilitado torna os assuntos relacionados a ele mais difíceis, com mais obstáculos e com resultados duvidosos. Nos rumos da astrologia horária e eletiva, a dignidade dos planetas é tema de atenção constante, enquanto que na astrologia voltada para análise da carta astrológica de nascimento, a "fraqueza" planetária pode ser "compensada" e "trabalhada" ao longo da vida, minimizando seus fatores complicadores.


No signo de Domicílio, o planeta está puro e independente de outras influências pois não tem dispositor. Segundo Alcabitius (Séx. XII ) o planeta nessa condição tem liberdade e autoridade em sua expressão.
Em Exaltação o planeta encontra-se em posição de melhor utilização de sua força. Segundo Alcabitius comanda do alto como os reis.
Assim podemos concluir que o planeta em sua Exaltação é capaz de utilizar seu potencial da melhor forma um bom exemplo é o caso de Marte no disciplinado e concentrado signo de Capricórnio em comparação com o impulso por vezes desgovernado de um Marte domiciliado em Áries).
Ainda a respeito de Domicílio e Exaltação, Charles Carter faz uma consideração interessante, para ele um planeta em seu domicílio se beneficiaquantitativamente ao passo que o planeta em sua exaltação se beneficia qualitativamente.
O signo de Queda de um planeta, oposto ao da Exaltação, é aquele em que o planeta tem sua expressão corrompida. A Queda prejudica o planeta ,provocando alteração ou rejeição.
Em Exílio o planeta está oposto ao signo de sua regência e portanto é onde tem sua força reduzida.
Se o planeta não se encontra em nenhuma dignidade ou debilidade é chamado Peregrino


 O que é dignidade planetária?  

O Sol, a Lua e os cinco planetas vistos a olho nu "regem" um ou dois signos. A regência planetária determina a força do planeta, onde ele se encontra mais à vontade e provoca os melhores resultados. O Sol e a Lua regem apenas um signo cada, enquanto os outros cinco planetas visíveis a olho nu regem dois. O fator de maior força é o domicílio, em seguida a exaltação. No domicílio, o planeta está em sua "própria casa", ou seja, faz o que quer livremente. Na exaltação, é como um rei que governa, mas não é dono de sua agenda, a quem se deve honrar, mas não é livre o bastante para dispor das condições anteriores. Quando o planeta está em exílio, ele perde a força, fica mesmo "em exílio", como se estivesse viajando em um país estranho. Quando está em queda, sua força está consideravelmente diminuída. Nem sempre os 12 signos do zodíaco apresentam as quatro situações. Outra forma de verificar a força ou a fraqueza de um planeta é observar se ele está ou não na triplicidade, um conceito antigo que também pode se aplicar na análise da situação dos planetas.


Confira a tabela abaixo e conheça as dignidades e debilidades planetárias de cada signo.
 Signo
 Domicílio/
 Regência
 Exaltação
 Queda
 Exílio/
 Detrimento 
 Áries
 Marte
 Sol
 Saturno
 Vênus
 Touro
 Vênus
 Lua

 Marte
 Gêmeos
 Mercúrio
 Cabeça Dragão 

 Júpiter
 Câncer
 Lua
 Júpiter

 Saturno
 Leão
 Sol


 Saturno
 Virgem
 Mercúrio
 Mercúrio
 Vênus
 Júpiter
 Libra
 Vênus
 Saturno
 Sol
 Marte
 Escorpião
 Marte

 Lua
 Vênus
 Sagitário
 Júpiter
 Cauda Dragão

 Mercúrio
 Capricórnio  
 Saturno
 Marte
 Júpiter
 Lua
 Aquário
 Saturno


 Sol
 Peixes
 Júpiter
 Vênus
 Mercúrio 
 Mercúrio

 

O que é o planeta regente?


Cada um dos planetas visíveis a olho nu recebe o comando ou o domínio de dois signos zodiacais, desde tempos antigos. Além desses, o Sol e a Lua, dois luminares que representam a força vital e a emoção, respectivamente, dominam apenas um signo. Leão é regido pelo Sol e Câncer pela Lua. O planeta regente tem a importância do dono de uma casa. Dependendo de como ele é, poderá ou não fazer tais reformas em seu lar. Conforme ele se apresenta, sabemos como lida com sua propriedade. Um planeta que está transitando um signo no qual não tem a menor relação, é chamado de planeta peregrino, o que dá bem a idéia de alguém que está de passagem por algum lugar onde não detém nenhum comando. A astrologia considera que um signo cujo planeta regente esteja forte e bem colocado no mapa é indício de que a pessoa domina aquele significado ou assunto de sua vida.

A regência astrológica é a associação dos planetas com os signos, através da relação de semelhança entre suas características básicas. Também se utiliza a expressão planeta regente para um conjunto de objetos e atividades, por exemplo: Urano rege a eletricidade e Mercúrio rege as atividades e meios de comunicação.

No contexto do mapa astrológico, um planeta também pode ser regente ou "senhor" de uma casa astrológica, sendo indicado pelo signo que está no início (cúspide) dessa casa. Alguns astrólogos se referem, ainda, a um regente do mapa astrológico. Em geral se diz que o planeta que rege o signo que está no Ascendente é o regente do mapa. De fato, é bastante importante o planeta regente do Ascendente, assim como o regente do signo onde se localizam o Sol (posição que popularmente chamamos de "nosso signo"), a Lua e de outros posicionamentos significativas do nosso mapa.

Entretanto, deve-se ter o cuidado de não reduzir toda a complexa configuração astrológica de um mapa a um único astro. Da mesma forma, ao analisarmos a posição de um astro, é necessário observar como ele se insere no contexto global. Todos somos uma mistura de muitos fatores e não apenas do Signo Solar, Ascendente, Lua e seus respectivos regentes, mas de uma gama imensa das combinações de astros, signos, casas e ângulos entre os vários pontos de nosso mapa astrológico.




Signos e Planetas Regentes:
  Áries - Marte
  Touro - Vênus
  Gêmeos - Mercúrio
  Câncer - Lua
  Leão - Sol
  Virgem - Mercúrio
  Libra - Vênus
  Escorpião - Plutão (co-regente Marte)
  Sagitário - Júpiter
  Capricórnio - Saturno
  Aquário - Urano (co-regente Saturno)
  Peixes - Netuno (co-regente Júpiter)





Dignidades e Regências

Planeta     Domicílio     Exílio     Exaltação     Queda
--------        ------------       -------         ------------       -------
Marte          Áries           Libra       Capric.          Câncer
Vênus      Libra/Touro    Áries       Peixes          Virgem
Mercúrio   Gêmeos       Sagitário  Virgem          Peixes
Lua             Câncer         Capric.      Touro            Escorp.
Sol               Leão           Aquário     Áries               Libra
Júpiter       Sagitário      Gêmeos     Câncer          Capric.
Saturno      Capric.         Câncer       Libra             Áries
Urano        Aquário          Leão         Escorp.         Touro
Netuno       Peixes         Virgem       Leão              Aquário
Plutão        Escorp.          Touro       Sagitário       Gêmeos




O que é um trânsito planetário?


Quando um planeta desenvolve sua trajetória pelo Sol, aparentemente descreve uma rota no zodíaco, ou seja, a faixa de constelações que ficam na área da eclíptica. Esta faixa eclíptica tem cerca de 16 graus de largura e ocupa a zona celeste por onde os planetas parecem transitar nas constelações, que deram origem aos signos zodiacais. Passados muitos séculos, signos e constelações já não têm mais relação uns com os outros, por causa da precessão dos equinócios. Assim, quando um astrólogo diz que Vênus está transitando Peixes, ele está dizendo que o planeta Vênus está naquele momento passando na região celeste do signo de Peixes.

Os planetas evoluem em torno do Sol em tempos diferentes. Isso depende de uma série de fatores que a física explica. A Lua, por exemplo, transita um signo inteiro de 30o em dois dias. Já Plutão, o planeta mais longínquo do sistema solar, chega a demorar anos em um mesmo signo.
A observação dos trânsitos planetários faz parte do trabalho diário do astrólogo, pois é com base neles que são escolhidos os dias mais favoráveis para empreender esta ou aquela atividade. Além disso, o estudo dos trânsitos planetários com referência ao mapa natal confere o timing (regulação de tempo, de velocidade, de ritmo) dequado aos momentos de focalização neste ou naquele assunto da vida. Por isso, os trânsitos dos planetas são um recursoimportante no trabalho do astrólogo.


Por que o horário, dia e local do nascimento são tão importantes para os astrólogos? 
Sem esses dados fica impossível realizar o cálculo correto da carta astrológica. Qualquer que seja o ramo de aplicação da astrologia, esses dados são fundamentais. Só para se ter uma idéia, apenas quatro minutos na diferença de horário de nascimento pode comprometer em um ano as análises de prognóstico. Em duas horas, o signo ascendente muda, assim como a Lua move-se cerca de um grau nesse mesmo intervalo de tempo.

Quanto à localidade de nascimento, as diferenças de fuso horário alteram o ascendente e as demais casas astrológicas. Assim, alguém que nasceu em Campinas, mas que fornece como local de nascimento Barretos, ambas no estado de São Paulo, apresentam diferenças na montagem da carta, o que compromete a análise. Por isso, todo astrólogo responsável e que preza sua reputação exige dados corretos para efeitos de cálculo da carta. Quando esses dados não são conhecidos, impõe-se o uso de outras técnicas menos exatas ou apela-se para o trabalho de retificação do horário de nascimento, uma especialidade só realizada por profissionais experientes e qualificados.



O que é Sinastria? 
Uma das técnicas empregadas para a análise de compatibilidade entre duas ou mais pessoas é a sinastria, onde as cartas de nascimento são avaliadas com vistas a medir qualitativamente o grau de facilidade do relacionamento das pessoas envolvidas e as áreas que precisam ser trabalhadas. Para fins de uma análise sinástrica, é necessário que o astrólogo esteja de posse dos dados de nascimento das pessoas envolvidas. Após uma cuidadosa averiguação da carta individual de cada um, procede-se à análise da comparação das cartas, que é a sinastria. Existem algumas outras técnicas de análise de compatibilidade. Uma delas torna possível a análise de um grupo maior de pessoas, como a análise de grupo de Davison. Também existe a técnica do mapa composto, muito útil na avaliação de compatibilidade entre pessoas. Essas técnicas se aplicam às sondagens de qualquer tipo: parentais, profissionais e amorosas.

É muito comum na visão popular da Astrologia analisar se um signo combina ou não com o outro, mas esta prática nada tem a ver com a análise elaborada de relacionamentos que o estudo dos astros proporciona.


Cada aspecto deve ser levado em conta para a realização de uma Sinastria. Podendo-se saber como os planetas do seu mapa ativam a personalidade da pessoa com a qual voce está se relacionando.

O princípio é simples: verifique a posição dos seus planetas natais e os coloque no mapa da outra pessoa. Por exemplo: se você tem o Sol a 18º do signo de Libra, verifique em qual casa este Sol estaria se estivesse colocado no mapa do outro. Se o ponto 18º de Libra estiver na casa 1 do parceiro, então você levará características solares para este setor prático da sua vida, iluminando e energizando a sua personalidade, temperamento e comportamento.

Quais são os sinais astrológicos básicos de compatibilidade entre duas pessoas?


A compatibilidade básica e espontânea entre duas pessoas depende dos seguintes fatores: o Sol, a Lua e o ascendente de cada uma delas precisam estar posicionados em signos de elementos afins. Desta forma, não basta dizer que Leão e Peixes "não se dão bem". É preciso verificar as cartas. Se a pessoa cujo Sol natal está em Leão tem a Lua natal em Peixes ou Câncer, e/ou o ascendente em um signo como Sagitário ou Áries, já são indícios de compatibilidade. Se a pessoa de Peixes (Sol natal neste signo) possui a Lua em, digamos, Leão, e o Ascendente em um signo afim, como Libra ou Sagitário, já existem sinais que facilitam que um complete o outro. Na comunicação, a posição mais importante é a da Lua e Mercúrio nas cartas individuais e depois comparadas entre si.No aspecto sexualidade, as posições de Vênus e Marte são as mais importantes.




Abaixo, disponibilizaremos o papel de cada um dos planetas em Sinastria. Leve em consideração que a pessoa A é aquela que coloca o planeta no mapa do outro e a B é aquela que recebe.



SOL


O Sol provê entusiasmo, ação criativa, propósito, dinamismo e auto-expressão e o indivíduo A sempre pode ajudar B a ser mais autoconfiante, se a sua posição solar no mapa do outro trouxer bons aspectos. Caso contrário, se este Sol fizer aspectos difíceis com os outros planetas de B, pode haver confronto de ego e conflitos de vontade.

Exemplo - O Sol bem aspectado de A cai na casa 4 de BA vai iluminar os sonhos e a vida doméstica de B, trazendo a ela mais alegria, vida e brilho.



LUA


As influências da Lua de A no mapa de B indicam os meios pelos quais as respostas habituais e automáticas, a origem e influência familiar e os condicionamentos do indivíduo A afetarão a relação. Influências harmônicas proverão ao parceiro da Lua compensar e nutrir emocionalmente o outro. Aspectos difíceis da Lua podem ocasionar desentendimentos emocionais. Exemplo - Lua de A cai na casa 10 de B: A compreenderá, instintivamente o que Bdeseja da vida e qual é a sua meta social. A carreira e status de B afetarão as emoções e condições domésticas de A, favorável ou desfavoravelmente, conforme os aspectos da Lua.



MERCÚRIO


Mercúrio qualifica a comunicação entre os indivíduos, a troca de idéias e informação. O indivíduo mercurial estimula o outro intelectualmente. É o aspecto que pode aprofundar muito a relação e os seus pontos de afinidade. Se o Mercúrio estiver mal aspectado, pode gerar conflito de idéias, pontos de vista, discordâncias e dificuldade de comunicação.


Exemplo - Mercúrio mal aspectado de A na casa 6 de B: há no relacionamento muita impaciência e nervosismo. As conversas do dia-a-dia ou que acontecem no trabalho passam a ser irritantes e chatas. As críticas são mal compreendidas e mal aceitas.





VÊNUS

É um fator que indica como duas pessoas interagem quando estão envolvidas em questões de afeto, romance, casamento e, por outro lado, contatos sociais, finanças, negócios e valores estéticos. Também indica como duas pessoas vão se relacionar afetivamente, quando envolvidas em relacionamento próximo.

Exemplo: Vênus bem aspectado de A na casa 7 de BA leva beleza, charme e amor para B. Nesta relação, existe muita afeição, harmonia, aspectos de refinamento e beleza. Eles interagem harmonicamente e gostam de estar juntos.


MARTE

Fator que indica como os indivíduos estimulam os desejos e as ações do outro. Os aspectos deste planeta indicam como um age em relação ao parceiro e como é o seu ritmo dentro da relação.

Exemplo: Marte de A na casa 3 de B: essa combinação indica comunicação mental rápida e energética entre os parceiros. Se Marte estiver bem aspectado, os nativos irão inspirar-se mutuamente em assuntos ligados à escrita, investigação científica, estudos, aprendizado, troca de idéias e informações.

JÚPITER

Traz boa fortuna e crescimento para o parceiro, podendo elevar a sua noção de moral, ética e filosofia. Em bom aspecto, tem um efeito benéfico e expansivo. Em aspectos tensos, pode promover a arrogância no relacionamento, o que dificulta a afinidade entre os envolvidos.

Exemplo: Júpiter de A na casa 8 de B: enfatiza as coisas mais profundas e íntimas de B, quer seja seu estado psicológico ou suas emoções. A também pode ser o instrumento para que B tome consciência de facetas de sua personalidade até então negligenciadas.

SATURNO

Área onde os parceiros têm sérias tarefas e responsabilidades um com o outro. É indicador da seriedade e durabilidade da relação. O Saturno mal aspectado indica que o parceiro traz problemas, dificuldades e responsabilidades pesadas demais para o outro. Em aspecto favorável, sugere paciência, disciplina para permanecerem juntos e cooperarem um com o outro nos tempos difíceis.

Exemplo: Saturno mal aspectado de A na casa 12 de B: A pode esperar que B seja confiável e auto-suficiente nas áreas em que provavelmente será mais vulnerável, o que pode causar frustração ou insegurança.



Ciclos planetários e idades  

Tudo no mundo funciona em ciclos. Assim como as estações do ano, as fases da lua e as marés seguem movimentos periódicos, os planetas se deslocam ciclicamente, simbolizando, no macrocosmo, as fases da vida humana (microcosmo).


A idade e o amadurecimento tem uma íntima correspondência com os ciclos planetários e, apesar de cada ser humano reagir de forma diferente a estes ciclos, podemos delimitar as fases de desenvolvimento como entrada na adolescência, vida adulta, crise da meia idade, dentre outras.


Para determinar estas fases, a astrologia tem como base o estudo do mapa natal dos indivíduos e os trânsitos astrológicos, ou seja, o movimento dos planetas em cima deste mapa natal. Como os astros se movimentam em ciclos periódicos e geralmente invariáveis, pode-se determinar qual a idade que, por exemplo, um planeta em trânsito fará oposição a um planeta natal de uma pessoa.


Para a análise das fases do desenvolvimento de cada um, são usados os ciclos dos planetas mais distantes, que levam mais tempo para dar uma volta completa no Sol, ou, falando em termos astrológicos, para fazer uma revolução. Júpiter, quinto planeta do sistema solar, por exemplo, leva 12 anos para efetuar uma volta completa em torno do Sol, percorrendo um signo por ano. Por isso, os astrólogos identificam nas pessoas uma importante fase de Júpiter aos 12 anos, 24 anos, 36 anos e assim por diante, que é a época em que o planeta passa no mesmo ponto onde estava na hora do nascimento daquela pessoa. Também são levados em conta outros aspectos que o planeta em trânsito forma com o planeta natal, como trígonos, quadraturas e oposições.


A mesma técnica é usada em relação a Saturno, que dá uma volta em torno do Sol a cada 29 anos, Urano, 84 anos e Netuno, 164. Plutão é mais difícil de ser analisado, já que tem uma órbita bastante irregular, passando às vezes 20 anos em um signo e 10 anos em outro.


Cada período da vida de um indivíduo é distinto e requer habilidades, posturas e atitudes condizentes com este momento. Não há nada mais triste do que estar inadequado a idade que se está vivendo. Tudo isso deveria vir naturalmente, se o homem estivesse em harmonia, em sintonia com seus processos biológicos, psíquicos e mentais para encarar seus ciclos com naturalidade.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.