Siga por e-mail

Seguidores

segunda-feira, 5 de março de 2012

Introdução aos Panteões



Escrito por Morgaine Argante de Gorlois   


Vou falar aqui um pouco sobre esse fascinante assunto que são os panteões, mas já aviso que é bastante difícil fazer uma abordagem não-enciclopédica desse assunto. Portanto, vou tentar resumir ou explicar em linguagem mais simples as definições e colocar um toque de experiência viva com o assunto.
Mitologia Antes de falar sobre os panteões é necessário voltar a outro assunto tão interessante quanto: a mitologia. A mitologia é o estudo dos mitos (histórias) de uma cultura que acredita-se serem verdadeiras e que terminam por constituir um sistema religioso ou de crenças. Os mitos são normalmente histórias criadas para explicar fenômenos como a criação universo e do mundo, fenômenos naturais, sociais ou qualquer outra situação que não possa ser explicada de forma simples ou comprovada cientificamente. A maioria dos mitos inclusive envolvem uma força sobrenatural que costumamos identificar como uma divindade. Alguns exemplos bem comuns de mitologia derivam de sociedades antigas como a romana, grega, egípcia e os povos nórdicos, ainda tem grande representatividade social e cultural, sendo que outras como a sumeriana e a etrusca foram quase extintas junto com seus respectivos povos. Os termos mito e mitologia são usados constantemente no sentido de descrever religiões criadas pelas sociedades antigas, cujos ritos estão totalmente ou quase extintos. Muitas pessoas no entanto não consideram essas 'histórias' como mitos e vêem seus textos sagrados como revelações de verdades religiosas, inspiradas divinamente. Outros usam o termo para se referir a histórias que, irrelevante se são verdadeiras ou falsas, revelam verdades fundamentais e pensamentos sobre a natureza humana, através do uso de arquétipos. Também é importante salientar que os mitos discutidos expressam pontos de vista e crenças de um local, um período no tempo ou cultura de onde surgiu. Na atualidade podemos observar a influência das antigas mitologias (especialmente as chamadas 'clássicas': greco-romanas) em livros, filmes, séries de televisão e animes. Elas aparecem de várias formas, seja utilizando-se de nomes dos personagens mitológicos, ou desenvolvendo seus temas nos mesmos princípios filosóficos ou psicológicos dos mitos. Tomamos como exemplo os livros/filmes do Harry Potter com nomes como Hermione (forma feminina do nome de Hermes, deus da sabedoria da mitologia grega e nome da filha de Helena de Tróia, tb da mitologia grega) e Parvati (deusa hindu, considerada a 2ª consorte de Shiva e mãe de Ganesha) e Cavaleiros do Zodíaco (onde quase todos os personagens tem nome contelações ou deuses: Atena, Poseidon, Hades, Hypnos, Thanatos, Artemis, Apollo, Cronos, etc...). Livros como os de J.R.R.Tolkien também mostram muitas figuras que se referem aos mitos celtas e nórdicos como os elfos e também mostram o desenvolvimentos de temas filosóficos como a 'Jornada do Hérói', também vista nos filmes da série Star Wars.

Panteões
Panteão significa, etimologicamente, TODOS OS DEUSES. Esse termo deriva de pan (todo) e théos (deus), ambos termos da língua grega. Num tempo remoto dizia respeito aos templos dedicados a todos os deuses. Vide os panteões (construções) espalhadas pela Europa, sendo o mais famoso deles o Panteão de Roma, que mais tarde foi transformado em mausoléu e está totalmente descaracterizado no sentido deste artigo. É interessante notar que um panteão se forma da tendência de unificar os cultos de diversos deuses com a finalidade de sincretizar atributos até então distribuídos entre vários deles. Em resumo, Panteão significa um conjunto de deuses de uma mitologia.

Que assim possa ser!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.