Siga por e-mail

Seguidores

sábado, 3 de março de 2012

Resumo da Roda do Ano HS


Datas da roda do ano wiccan

Os feriados wiccans são baseados nas colheitas e em outros eventos astronômicos, tais como solstícios e equinócios. Metade deles tem a data fixa, mas a outra metade varia de ano para ano.
Sabás fixos
   Imbolc: 2 de fevereiro (original) e 1º de agosto (para quem inverte a roda estando no hemisfério sul)
      Beltane: 1º de maio (original) e 1º de novembro (para quem inverte a roda estando no hemisfério sul)
    Lammas/Lughnasadh: 1º de agosto (original) e 2º de fevereiro (para quem inverte a roda estando no hemisfério sul)
     Samhaim: de 31 de outubro a 2 de novembro (original) e 1º de maio (para quem inverte a roda estando no hemisfério sul)

 Sabás móveis

     Ostara (Equinócio de Primavera): 20 de março (hemisfério norte) e 23 de setembro (hemisfério sul)
      Litha (Solstício de Verão): 21 de junho (hemisfério norte) e 21 de dezembro (hemisfério sul)
     Mabon (Equinócio de Outono): 22 de setembro (hemisfério norte) e 20 de março (hemisfério sul)
      Yule (Solstício de Inverno): 21 de dezembro (hemisfério norte) e 21 de junho (hemisfério sul)

(É importante lembrar que, dependendo da tradição, as datas podem se alterar. Outro fator importante a ser considerado é que os sabás chamados de “maiores”, que são os sabás com datas fixas, podem ser celebrados em sua época, e não necessariamente no dia, como os sabás móveis, que são eventos astrológicos. Porém, obviamente existe uma egrégora maior no dia exato).


* A Deusa dá a luz ao Deus
(YULE) se pronuncia (yool): Essa é a hora do renascimento, quando as velas são acesas para dar as boas-vindas ao Deus, o sol do solstício de inverno que está retornando. O rei sagrado que está de partida, oferece presentes (principalmente as crianças)

* Aponta a recuperação da Deusa, após o parto, nos dando dias mais longos
(IMBOLC) se pronuncia (Em-bowl/g) O Deus  é um jovem cheio de vida, É tempo de purificação e dedicação.

* A Deusa cobre a Terra com seu manto de fertilidade, enquanto o Deus amadurece
(OSTARA EQUINÓCIO DE PRIMAVERA) se pronuncia  e (Oh-star-ah) Momento em que a Deusa e o Deus caminham pelos campos induzindo a reproduzindo

* O Deus chega na sua virilidade. Ele deseja a Deusa e assim se deitam. A Deusa fica grávida
(BELTANE)

* A Terra está totalmente encoberta pela fertilidade da Deusa e seu Consorte  - Litha
(SOLSTÍCIO DE VERÃO)

* O Deus perde suas forças enquanto o Sol. A Deusa observa a morte do Deus, mas ao mesmo tempo o renascimento dele - lAMMAS





* O Deus se prepara para abandonar seu corpo
(MABON)

* O Deus dá seu adeus, mas um adeus temporário. Ele não está envolto em trevas eternas, mas prepara-se para renascer no Yule
(SAMHAIN)

No hemisfério norte o calendário segue o ciclo da natureza de tal hemisfério. No sul, ocorre à mesma coisa e devido a isso, as datas são adaptadas a nossa realidade. Por exemplo: o solstício de verão é comemorado aqui em 21 de dezembro, enquanto que lá se comemora em junho, etc.
Aqui, você verá as datas originais e adaptadas para o hemisfério sul:
*Adaptadas: 1ª
*Originais: 2ª

SAMHAIN - 31 DE OUTUBRO / 01 DE MAIO
Marca o final e o início do ano no calendário das bruxas. Quando as folhas começam a cair é quando começa o ano novo pagão. É época da última colheita. A Terra despede-se do Deus e sabemos que mais uma vez ele renascerá através da Deusa e o ciclo da Grande Mãe Natureza continuará. Esta época, é um período de reflexão, tempo de reverenciar e homenagear nossos ancestrais, mestres astrais e entes queridos que atravessaram para o outro lado. Quando contemplamos a roda do ano, reconhecemos que também somos parte no eterno ciclo da vida. Esta é uma noite onde o limite entre nosso mundo e o outro mundo, o dos espíritos, torna-se muito tênue. Facilmente eles transitam no nosso mundo como se um portal estivesse aberto.Em muitas tradições, preparam-se alimentos, principalmente bolos, para dar as boas vindas a seus entes queridos. Para quem não sabe, esse sabá acabou virando o que hoje chamam de Halloween, mas que no hemisfério norte é comemorado em 31 de outubro, e que coincide com o 2 de novembro, dia dos mortos, que todos conhecem (de novo, as adaptações sem considerar o ciclo diferente da natureza neste hemisfério sul). 




A Roda do Ano
Samhain (pronuncia-se Sau-in) — 31 de outubro (30 de abril)

A Roda do Ano começa com Samhain, que também é conhecido como Hallowe'en ou All Hallows Eve (Véspera do Dia de Todos os Santos). Esse é o Ano Novo celta, quando o véu entre os mundos da vida e da morte fica aberto. Samhain é o festival dos mortos, quando os Pagãos lembram daqueles que partiram antes e reconhecem o mistério da morte. Como Pagãos, nós celebramos a morte como uma parte da vida.

(Nota: 1. "sau-in" é uma adaptação da pronúncia de "sow-in", sendo esta para falantes da língua inglesa.
2. as datas entre parênteses referem-se ao hemisfério sul.)

Yule (pronuncia-se Yula; forma arcaica de Geola) — 21 de dezembro (21 de junho)

Yule é a época do Solstício de Inverno, quando a Criança do Sol renasce, a qual é uma imagem do retorno de toda nova vida através do amor dos Deuses. Os escandinavos tinham um Deus chamado Ullr, e dentro da Tradição Nórdica, Yule é considerado o Ano Novo.

Imbolc — 2 de fevereiro (2 de agosto)

Imbolc, também chamado Oilmec e Candlemas ("Candelária"), celebra o despertar da terra e o crescente poder do Sol. Muitas vezes, a Deusa é venerada em seu aspecto de Virgem da Luz e seu altar é decorado com galanto (Galanthus nivalis, cujas flores surgem quando ainda há neve no chão — N. T.), que anuncia a primavera.

Equinócio de Primavera — 21 de março (21 de setembro)

Agora noite e dia são iguais. O Sol aumenta em poder e a terra começa a florescer. Na época do Equinócio de Primavera, os poderes da fase de armazenamento do ano são iguais aos da escuridão do inverno e da morte. Para muitos Pagãos, o jovem Deus, com seu chamado de caça, mostra o caminho com dança e celebração. Outros dedicam essa época do ano a Eostre, a Deusa anglo-saxão da fertilidade.

Beltane — 30 de abril (31 de outubro)

Os poderes da luz e da nova vida agora dançam e movem-se através de toda a criação. A Roda continua a girar. A primavera dá lugar à primeira floração plena do Verão e os Pagãos celebram Beltane com a dança da fita, simbolizando o Sagrado Casamento entre Deusa e Deus.

Solstício de Verão — 21 de junho (21 de dezembro)

No Solstício de Verão ocorre o festival de Midsummer, algumas vezes chamado Litha. O Deus em seu aspecto de luz está no auge de seu poder e é coroado como o Senhor da Luz. É uma época de fartura e celebração.

Lughnasadh (pronuncia-se Lu-nassa) — 1º de agosto (1º de fevereiro)

Lughnasadh, também chamado Lammas, é o tempo da colheita do trigo, quando os Pagãos colhem o que plantaram, quando celebram os frutos do mistério da Natureza. Em Lughnasadh, os Pagãos dão graças pela generosidade da Deusa em seu aspecto de Rainha da Terra.

Equinócio de Outono — 21 de setembro (21 de março)

Dia e noite tornam-se iguais. À medida que as sombras aumentam, os Pagãos vêem as faces mais sombrias de Deus e Deusa. Para muitos, esse rito honra a velhice e a aproximação do inverno.

Samhain — 31 de outubro (30 de abril)

A Roda gira e volta a Samhain, o festival dos mortos, quando encaramos os Deuses em seus aspectos mais terríveis. Essa não é uma época de medo, mas um tempo para entender, de forma mais profunda, que vida e morte são parte de um todo sagrado.



Epipetos dos Deuses da Roda Sazonal da Bruxaria

Epítetos da Deusa Tríplice e do Deus Cornífero na Roda do Ano: Direto dos Ensinamentos dos Mistérios, especialmente para vocês.

1- Samhain
Lady of Shadow
Lord of Shadow

(Quando a Deusa engravida do Deus, que é o Senhor da Morte, e passa a esperar... ele mesmo)

2- Yule
Lady of the Womb
Lord of Rebirth

(A Deusa dá à luz o Deus, que é a Criança da Promessa e bebê solar. Três dias depois do parto, ela assume a forma de uma menininha.)

3- Imbolc
Lady of Fire
Lord of Ice

(O fogo da jovem Deusa derrete o gelo do jovem Deus)

4- Ostara
Lady of the Lake
Lord of the Reeds
(Os lagos são passagem do Outro Mundo para o nosso e, nesse Sabá, a jovem Deusa retorna do mundo dos mortos)

5- Bealltainn
Lady of the Green
Lord of the Green

(A Deusa e o Deus da máscara de folhagens têm apimentadas noites de sexo)

6- Feill Sheathain
Lady of the Flowers
Lord of the Woods
(No Solstício de Verão, finalmente se casam. A Deusa engravida do Deus, e carrega em seu ventre os frutos da terra)

7- Lughnasadh
Lady of the Fields
Lord of the Barley

(A Deusa dá à luz campos cobertos de trigo.)
8- Mabon
Lady of the Harvest
Lord of the Sheaf
(O Deus é morto, ceifado e colhido. A Deusa se prepara para ir atrás dele, no mundo dos mortos. Ela nunca morre, ela é eterna. Ela é a Eternidade, Ele é a Forma, que perece. Ela é a Alma imortal, Ele é o Corpo, que morre. Juntos são o equilíbrio do mundo.)

A "Tradição dos Mistérios", ou seja, aquele material oculto que está no cerne da Bruxaria, velha e nova. Bibliografia: "Witchcraft, a Mystery Tradition", do Grimassi, sem tradução disponível.


Nomes alternativos para a palavra: "Sabá" (não vem do hebraico, mas do grego "Evoi Sabai"):
Akhelarre (País Basco), Lanne de Bouc (França), Prado del Cabrón (Espanha), Ritual dos Quatro Tempos (Portugal), Treguenda (Itália).


Nomes alternativos para os Sabás:
-Samhain ou Samhuinn (pronuncie Sou-en), Hallowmas, Martinmas, All Hallows Eve, Mischief Night, Festa della Ombra.

-Yule, Feill-Fionnain, Alban Arthuan, Midwinter, Carr Gomm, Retorno do Sol, Dia de Fion, Nollaig (pronuncie (Núll-ig).

-Imbolc ou Imbolg, Oimelc, Candlemas, Dia de Lupercus, Disting, Brigit's Day.

-Ostara, Eostar, Alban Eilir, Dia da Senhora.

-Beltane ou Bealltainn, Whitsun, Rudemas, Giamonios, Giornata di Diana.
-Litha (nome criado por Tolkien), Feill-Sheatainn, Alban Heflin, Midsummer.

-
Lammas, Lughnasadh (pronuncie Lunássa), Elembios, Harvest Tide, Tealtain, Laa Luanys.

-Mabon, Alban Elfed, Winter Finding, Colheita do Vinho, Cornucópia.


Os celtas, originalmente, tinham apenas o que chamamos de os quatro sabás maiores: Samhuinn, Imbolc, Bealltainn e Lughnasadh. Vieram de Roma os outros quatro, dos solstícios e equinócios. Assim se formou a nossa Roda do Ano, com oito raios. E ela corresponde a algo real: oito vezes ao ano, os portais das estações se abrem, deixando que o fluxo de sua energia banhe a terra. Como a Roda do Ano e nosso Círculo Mágico se sobrepõe, podemos sentir esse fluxo de energia extra, vindo da direção correspondente ao Sabá.

As datas exatas dos sabás variam a cada ano, mas os portais das estações começam a abrir três dias antes, até estarem escancarados no dia do sabá, e então começam a se fechar, ficando completamente fechados três dias depois. O período em que os portais das estações permanecem abertos é chamado Ember Days ou Dias de Ember. Pode ser um período difícil, quando parece que tudo está virando de cabeça pra baixo, devido ao fluxo de energia extra e à reorganização das coisas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.