Siga por e-mail

Seguidores

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Se preparando para Samhain



Como vocês sabem, em Samhain, festejamos o fim que representa que um ciclo se encerrou para que outro comece. É preciso refletir sobre cada passo dado, verificar o que foi feito e o que foi deixado de lado. Analisar se eu dei o melhor de mim, se foi satisfatório. Contabilizar as alegrias, as tristezas e tudo mais que eu tornei possível em minha caminhada… É o momento de saber o resultado final. De verificar se eu aprendi alguma coisa e se eu fui capaz de retribuir esse aprendizado (por menor que tenha sido) com algum ensinamento…
Também é chegado o momento de recolher meus objetos mágicos, guardando-os todos em um canto. Como dizia minha nona “é preciso recolhe-los as sombras”. Durante os próximos dias serei apenas eu, sem a presença de todos os símbolos místicos. É algo simples, mas quando você está acostumado a agradecer as forças naturais todas as manhãs, a entender o canto do pássaro que anuncia o crepúsculo quando caí a tarde, a ouvir o coaxar do sapo ao regar as plantas, a colher galhos e folhas por onde passa, a sentar-se na sombra de uma árvore para escrever em folhas em branco, a guardar sementes para no momento certo semeá-las… Fica tudo muito difícil.
Mas enfim, é preciso.
Porque ser pagão, é ter consciência que você precisa se renovar sempre. E esse é o tempo da renovação porque é exatamente isso: constante renovação. E a gente precisa deixar que as coisas escorram por entre nós para cultuar o desapego, afinal, o que é que a gente leva no final? A maioria das coisas ficam…
Então, para todos aqueles que se dedicaram a magia durante treze luas e um dia, esse é o momento da resposta: da certeza de que esse é o seu caminho que você vai seguir daqui pra frente ou não. Continuar seja para qual direção for é sua meta; e se continuar na magia é a sua opção, a iniciação é o próximo passo… Agora, para aqueles que fizeram sua iniciação há 13 luas, esse é o momento de afirmar seu desejo de continuar sendo parte de toda essa magia natural.   



No último Ritual da Lua Cheia acendemos as nossas velas que foram feitas em Samhain.
Para aqueles que não conhecem a “tradição” – em Samhain a gente reúne todos aqueles restos de velas que sobram durante o ano e que devem ser guardadas para no dia de Samhain fazer uma vela nova que vai representar todas as nossas energias, pensamentos, emoções, ou seja, tudo que passou por nossas vidas. São os nossos pretéritos reunidos nessa vela que deve ser acesa no primeiro ritual de lua cheia depois de Samhain.
O ritual foi muito agradável: muita energia, muitas sensações e uma meditação deliciosa com as energias que vibram intensamente a nossa volta.  E por fim a chama da vela finalizando tudo que passou e já nos preparando para o que virá: que venha Yule.

Atividades Mágicas 

Em busca de pedras…
imageTudo que vem da Natureza, em algum momento a ela deve retornar, esta é apenas uma das suas máximas… Por isso, nesta noite de Samhain, devolvemos a ela as pedras que recolhemos ou ganhamos no decorrer do ano… Todas as pedras que usamos para formar nosso círculo mágico durante os Rituais em nome da Deusa Mãe…
Por isso, é nesse momento que aproveitamos para sair em busca de novas pedras que nos farão companhia no decorrer do novo ano…
É tempo de renovação…
Banho de purificação…
Começo a preparar meu banho de purificação com água de chuva, sal marinho e pedras… O local para o ritual já foi escolhido e agora é chegado o momento de preparar meu corpo para a celebração.
Depois do banho, vou me sentar a mesa e finalizar meu jejum com um chá de ervas e biscoitos de aveia. Selecionei uma prece para esse momento:
Porque teu olhar veio ao meu encontro
e eu me deixei iluminar pela sua magia
Porque os outros vão a sombra das ilusões
e tu me apresentastes a tua verdade
Então escurece lá fora e as sombras se formam pelo jardim
onde tuas sementes repousam até o momento do despertar…
Porque em Tu, todas as coisas se encerram
para que então o recomeço seja uma grande festa
E a tua chegada seja enfim celebrada
Porque Tu és o começo, o meio e o fim
e todas as coisas também são assim…
E tudo termina e recomeça nessa dança mágica
Que celebra a tua partida
para em breve celebrar a tua chegada.


 - é o momento de fazer uma reflexão sobre as coisas feitas durante o ano inteiro. O que se deixou de fazer e o que foi feito.
- escrever uma carta para o ano seguinte, onde você narra as suas vontades, os seus desejos, as suas conquistas e tudo que achar necessário. Essa carta deve ser escrita a meia noite do dia 31 de outubro e deve ser destinada a você mesmo.
- um outro costume é a queima de pedidos: reúna alguns pedaços de papéis e escreva nele tudo aquilo que você deseja pra si mesmo e para outras pessoas próximas a você.
- uma antiga tradição é a confecção da Jack O´Lantern, que são aquelas abóboras com caretas que servem para espantar os espíritos que desejam continuar presos a matéria e se recusam a seguir com suas vidas… Essa não é uma tradição Celta, ao contrário do que muitos dizem. É algo mais recente, que foi incorporado ao paganismo por Gardner…
- um costume muito agradável é a oferenda de pães e frutas no jardim para seus ancestrais. É uma forma de você mostrar que não se esqueceu deles e que de alguma forma eles continuam com você.
- fazer máscaras que expressem a sua sombra. É muito comum o uso de máscaras durante o ritual de Samhain.
- confeccionar uma vassoura magica que serve para fazer a limpeza astral de sua casa e do local onde serão realizados os rituais mágicos.
- colher um galho que será seu Bastão Mágico que irá auxiliar você em algumas atividades magicas junto a natureza.
- confeccionar uma Witch´s Cord (corda da Bruxa) que irá proteger sua casa durante o ano seguinte.
- acender uma vela laranja a meia noite na janela de sua casa.
- confeccionar um álbum de fotografias para que você coloque suas fotos no decorrer do novo ano que se inicia.
- confeccionar uma “vela de salomão” através daqueles restos de velas que sobraram no decorrer do ano. Você estará reunindo diversas energias na confecção de uma vela que terá um significado muito especial para você.
- para aqueles que estão apenas estudando a Grande Arte, esse é o momento de decidir se irá ou não dar continuidade com a sua caminhada.
- colher galhos junto a natureza para a fogueira de Samhain.

 Samhaim (lê-se souên) é o festival da morte e da alegria do renascimento. O Deus morreu e a Deusa vai até a Terra do Verão para encontrar-se com seu amado. É o ritual da descida do qual muitos já ouviram falar, inclusive é um dos mais belos mitos da mitologia grega em que Perséfone vai é conduzida até o inferno.
No caso de Samhain, a Deusa segue para a Terra do Verão e lá encontra com o guardião dos dois mundos que se encanta com sua beleza e pede para que ela fique com ele. Mas ela o nega, porque sua alma pertence ao seu amado que encontra-se sozinho. Seu desejo e amor é tão imenso que convence o guardião e ele a deixa ir ao encontro de seu amado, mas informa a ela que apenas um dos dois poderão sair.
A Deusa e o Deus se encontram, se amam e se tornam um só. A vida prevalece e a Deusa passa pelo guardião que acredita que o Deus ainda está no outro mundo, mas não, ele está no ventre de sua amada, que representa a chama da vida, a continuidade, o renascimento.

A cor deste sabbat é o negro, sendo que o altar deve ser adornado com uma maçã que é o símbolo da vida eterna. O vinho é substituído pela sidra ou pelo suco de maçã. O nome de pessoas que já fizeram a travessia devem ser queimados no caldeirão, mas nunca com conotação de tristeza porque eles cumpriram com o destino deles que é o mesmo de cada um de nós…
A magia desse ritual está justamente em compreender que a morte também é uma forma de aprendizado porque quantas pessoas seguem com suas vidas, mas há tempos não fazem ideia do real significado da palavra “viver”? A morte não representa o fim, ela também representa o começo de tudo…
A natureza em sua infinita sabedoria nos apresenta as estações do ano e nos mostra que depois do inverno, a luz retorna no verão e que o primeiro dia do inverno é o primeiro dia de um novo começo, por essa razão é que a criança da promessa nasce do ventre da Deusa em Yule porque a Terra descansa e o sol começa sua lenta caminhada para voltar aquecer a terra e seguir com seu destino e esta é sem dúvida uma das mais importantes formas de magia na vida.
E para entendermos isso tudo, é preciso um estudo lento e atento junto a natureza e a cada uma de suas estações do ano, para que assim possamos apreciar os diferentes ciclos. É também preciso respeitar (algo raro nos dias atuais) os momentos de descanso e de despertar da terra.
Independe do ritmo que os habitantes do planeta seguem nos dias atuais, se você optar pela filosofia pagã, deve fazer a sua parte, respeitando os muitos momentos da natureza  para se integrar a ela e sentir sua plenitude em sua alma, em sua pele.
E nunca é tarde para perceber essa magia que nos abraça desde o despertar do dia… Comece plantando uma semente e acompanhe seu ciclo: nascer, crescer, reproduzir e morrer para então renascer…
 Fonte: 
http://caminhospagao.blogspot.com.br/


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.