Siga por e-mail

Seguidores

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Bruxaria Verde 2

Quem escolhe o caminho verde geralmente são bruxas associadas as ervas e cura, o uso do termo verde como um elemento essencial de Bruxaria procede de várias fontes facilmente identificáveis no Paganismo moderno. O verde é a cor usada para descrever o culto à natureza e o uso das ervas, ambos partes integrantes da humanidade desde os tempos remotos. Relaciona-se ao Senhor e à Senhora da Floresta Verde, o Pai Primordial e a Mãe Prirelemordial, a Mãe-Terra e o Senhor do Bosque.





Sim, magia não tem cor. Usamos o verde, a cor verde para nos relacionarmos a Terra, assim como usam a cor rosa para o amor e a vermelha para o sexo. Simples assim...


Os povos Celtas e gaélicos usavam essa cor para denotar os Espíritos da Terra, as fadas... A verdadeira natureza da pessoa envolvida.


O Verde também era uma cor importante para as pessoas das Ilhas Britânicas, que mantinham uma regra específica para usar a tintura verde em seus ritos e feitiços.


Após a Morte da minha avó, sou uma praticante solitária por 39 anos nesta tradição que vos falo.
Já conheci pessoas nesse caminho em que nos unimos e estudamos, Mas a morte nos distanciou e até hoje sigo o meu caminho sozinha.
Estou no segundo ano hoje de Bruxaria (Wicca) eclética,, mas meu grande amor é a Bruxaria verde. Não a chamo de "Tradição", prefiro me dirigir a Bruxaria verde como 'Costume' ou 'prática' .

A bruxa verde não precisa de instruções detalhadas sobre a aproximação com o divino, pois bruxa e Divino conectam-se como Um. A Bruxa aqui não trabalha com a Terra, a Bruxa é a Terra, o que a Terra é a Bruxa É., Somos uma parte integrante do Todo.

As formas de criação são sempre multantes, pois a mudança é um sinal de vida e não algo a temer. A vida é uma energia imortal.

As conexões encontradas por meio dos elementos Verdes da Arte colocam seu praticante em harmonia não só com a Senhora e o Senhor (Que são considerados iguais), a terra, as estrelas o Universo, mas também com outras formas de vida e com os elementais.


Reverenciamos a Senhora e o Senhor ( mas não como uma crença em ambos), pois sua imanência torna a fé desnecessária.


A Arte aqui é aprendida realmente por intuição, portanto a bruxa mais experiente só pode oferecer o benefício dessa experiência, cabendo ao buscador aceitar ou descartar. Afinal é o buscador que deve se conectar pessoalmente à Senhora e ao Senhor. A Aprendizagem contudo é uma estrada sem fim.


Em sua maioria, os elementos Verdes da Arte, desde suas origens, são considerados uma prática solitária, ainda que tenham elementos públicos.


A Bruxaria Verde não depende de uma série de iniciações, apenas uma Dedicação, uma iniciação e uma rededicação quando quiseras tu reafirmar seus votos. (Isso se achar necessário), Pois como sendo um seguimento muito antigo, não se usava de graus para se denominar Uma bruxa. Isso tudo é uma escolha pessoal não uma regra.


A Bruxaria verde é mais uma "Herança da Avó"  por isso muitos a veem como Fraudulenta

É uma Arte com base em curas, sim das antigas curandeiras e benzedeiras e seu modo como trabalhavam com a natureza, claro que, com o envolvimento dos rituais da Roda do ano e Esbats, criamos nossos próprios ritos, mas de uma forma cerimonial porque não se trata apenas do Natural, mas com bases também em fontes Wiccanianas e assim a Wicca o É. O que a torna Natural e Eclética como citada acima.



Uma Bruxa não nasce pronta, embora Uma vez Bruxa sempre Bruxa, é no agora que dependendo de suas práticas e estudos seu poder é despertado.

Respeitamos as tradições cerimonialistas, mas enxergamos que o respeito não é recíproco, ao perceber que eles se dizem "verdadeiros" e nós não. Mas acredito eu que fingir que nunca houve outros bruxos no mundo que não segue esta mesma tradição é manter uma visão míope da verdadeira história dos antigos.



Quem praticava o nível verde da Arte eram as pessoas comuns, o povo que vivia perto da Terra e conhecia os ciclos da Natureza em seu giro no tempo e os padrões de crescimento, Seus utensílios eram da natureza, a minha avó mesmo, morreu sem saber o que era um athame, ;) as capas dos rituais ou eram cobertos de céu (nús) ou as mesmas dos vestiários diários, não tinham nada escritos por que eram analfabetos, e transmitiam sua arte por meio de vários mitos e práticas diárias.

A minha avó era alfabetizada, mas todo o meu aprendizado veio por via oral. E o que está em mim está guardado por toda a vida. Hoje posso repassar ao meu marido e filho.




As Deidades do verde são as antigas da história da humanidade, as margens de nossa percepção de 2 mil anos atrás,e por tanto não usamos nomes. ( mas se quiseres usar, esteja a vontade) Aqui ocorre uma comunicação aberta com os antigos e à medida que praticar esse diálogo, seus poderes serão aumentados pelo uso, e em nossos ritos, somente o praticante deve decidir o que deve ser usado ou descartado. É sempre uma questão de escolha pessoal.

Alana Alencar







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.