Siga por e-mail

Seguidores

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Valor Pagão

Ver fonte abaixo



"O condicionamento da cultura ocidental, especialmente a religião cristã, fez com que as pessoas rejeitassem coisas como sexo, prazer, mas há formas positivas e saudáveis de trabalhar com estas energias e com sua beleza natural inerente. 

Trabalhar com os Pentáculos significa conhecer as energias que movimentam tudo e todos, trazendo estas energias para dentro de conceitos éticos e mágicos. Conceitos como Sexo, Orgulho, Lei, Ambição, Medo tornam-se então agente do que é bom e enriquecedor, individualmente ou em grupo.

Atualmente, muitos dos conceitos presentes nos Pentáculos também estão presentes, de forma negativas, na lista dos 7 pecados capitais e há uma razão para isso. Os 7 pecados capitais provém de um contexto religioso cuja meta é a submissão, subordinação do indivíduo e do coletivo para as regras da hierarquia autoritária. O uso dos Pentáculos é um dos caminhos Pagãos utilizados para recuperar nossa auto-estima e o real entendimento de sentimentos e conceitos extremamente humanos, porém necessários.

Amor, sexo, orgulho, poder, sabedoria,são qualidades, habilidades ou estados que ocorrem naturalmente no ser humano ou qualquer outro animal, quando ele é saudável. De qualquer forma nossa cultura, como muitas outras ao redor do mundo, ensinam seu povo a controlar ou limitar estas qualidades de forma a reduzir o conflito. As qualidades opostas como virgindade, humildade, submissão, abnegação são altamente prezadas.

As qualidades dos Pentáculos, quando completamente integradas dentro de uma pessoa, pode gerar inevitáveis conflitos entre uma pessoa e uma comunidade baseada em “poder sobre”, uma comunidade patriarcal, um trabalho, uma comunidade religiosa baseada em sacerdotes cujos poderes são vistos como diferentes ou mais importantes que os de seus fiéis.

Resgatar o poder de cada ponta do Pentáculo é entender que esta guerra terminou, ou melhor, nunca começou. Pois matéria e Espírito são Unos. Esta é a característica de todas as religiões de bases xamanísticas, religiões que procuram através de suas práticas nos aproximar do divino não como transcendente, mas imanente, de forma que percebamos a Divindade como onipresente.

O uso dos Pentáculos visa unir carne e espírito como sagrados, isso nos lembra de que somos animais divinos. O animal que existe dentro de nós não é impuro, menos espiritual, corrupto ou menos limpo, ele é sagrado, divino, natural, uma parte integrante do divino, do mundo. Nós somos partes inseparáveis da natureza. Devemos retornar a seguir as leias da natureza e para a reintegração de nós mesmos como a grande riqueza da natureza.

O Pentáculo é a representação do complexo envolvimento dos 5 poderes que operam na natureza, na psique e na cultura humana. Nós o usamos para representar os 5 elementos básicos: Terra, Ar, Fogo, Água e Espírito, como forma de resgatar os componente metafísico de todas as coisas. Estes elementos são vias de classificação de energia e não se referem somente a manifestações físicas literalmente falando.
O Pentáculo permanece sobre ele mesmo e é um símbolo visual ou uma experiência de energia e integridade de nossos corpos. Ele simboliza o sagrado corpo humano com seus quatro membros e cabeça, circulado pela Terra. O Pentáculo nos ensina a demonstração e interconexão de certas idéias e princípios, o caminho pelo qual fluem juntos como 5 elementos no interior da personalidade. Entender estes princípios e suas relações é um importante componente para “Conhecer a si mesmo” com os quais um Pagão trabalha.

Para muitos Pagãos modernos o símbolo do Pentáculo tem representado as forças dos 5 elementos naturais do universo trabalhando em harmonia. Isto nos remete ao fato destas forças existirem uma em relação à outra, cada uma servindo à um único propósito e independente uma da outra.

Misturar os princípios das 5 pontas do Pentáculo nos auxilia a compreender o nosso pensamento dualístico convencional, no qual usamos apenas duas polaridades (como bom e mal, matéria e espírito, cabeça e coração). Quando usado desta forma, o Pentáculo é algo como um eneagrama. Como uma ferramenta apenas conceitual, o Pentáculo é capaz de nos fornecer mais complexas e acuradas representações que simplesmente um pensamento sobre polaridades.

O Pentáculo é uma forma de começar a entender o universo e à nós mesmos, abrindo os portões dos mistérios, nos dando acesso à Estrela da Deusa, o primordial estado de ser.

O Pentáculo é a fundação de um Bruxo, a base na qual ele se estende. Cada uma de suas pontas é a parte fundamental de nossa humanidade que têm sido forçada a serem negadas, reprimidas, coibidas. Na Bruxaria elas são sagradas e devem ser abraçadas com alegria e prazer. Elas são as 5 virtudes cardinais da Arte.
O uso do Pentáculo como um Instrumento contemplativo na recuperação do nosso self, corpos, poder pessoal. Sua meta é a formar um ser pleno e completo.

Rejeitar as 5 pontas do Pentáculo é rejeitar partes fundamentais do Eu, partes que não irão simplesmente desaparecer, necessidades que não irão embora enquanto insatisfeitas. Isso resulta em uma guerra interna contra nós mesmos no espírito. Se fechar em uma guerra contra partes de nós, nas quais somos mais nós mesmos, nos torna menos poderosos, incapazes de agir.

Reivindicar as pontas do Pentáculo é começar a recuperar as feridas em nós para começar a desaprender a longa, difícil e destrutivas lições da vergonha e culpa.

By: Mavesper Cy Ceridwen Vinagre 

(O texto acima é uma tradução minha da pagina da tradição feri desculpem mas perdi a referencia da web da fonte, acho que traduiz isso ha mais de dez anos. )

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.