Siga por e-mail

Seguidores

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Abrindo e fechando o terceiro olho - Como ver o outro lado.

IMPORTANTE: Veja o autor do texto e a fonte sempre que for ler. Bênçãos

Autor do texto: Raijjin



Vejo muitos ocultistas pedindo exercícios de treinamento,iniciação,ataques e defesas... 
Mas raramente vejo nas comunidades de ocultismo algo sobre como VER o outro lado.
Os iniciantes andam negligenciando partes importantes e determinados "ocultistas" que falam de evocações (com aquela velha preferencia especial a goétia) dizendo terem visto as entidades a sua frente cara a cara.

Bom,a verdade é que ninguém está protegido realmente daquilo que não consegue "ver". "Ver" aqui entre aspas mesmo. Raramente um magista verá com os olhos uma entidade. 
Entidades são energia vibrando em frequência diferente daquela em que está o plano físico. Plasmar-se é um trabalho cansativo e energeticamente esgotante,então é um recurso raro e utilizado em casos extremos de necessidade,por entidades poderosas. 

Para que tanto trabalho em criar uma "concha" e preenche-la,quando é muito mais fácil simplesmente manipular a chama de uma vela do altar? Ou soprar palavras com o vento?Possuir uma pessoa em transe ou aparecer em um sonho?
Aqueles que dizem que a entidade apareceu PESSOALMENTE e a viu com os olhos físicos tem grandes chances de estar mentindo. 

Mas não é isso que importa aqui. O que de fato importa é que a prática da mentalização,perscrutação (vulgo Skrying) e as técnicas de abertura da terceira visão são de importância crucial a qualquer ocultista que se preze. 

Mentalização - Está tudo na sua cabeça Começaremos pelo mais simples. Presumo que todos vocês possuam cérebro. E que todos vocês utilizem seus cérebros para pensar e imaginar coisas. 
A mentalização nada mais é do que treinar sua mente para que você a controle e não o contrário. Nada estraga mais um ritual do que pensar no almoço de ontem ou na vizinha gostosa enquanto tenta entrar em contato com forças superiores. 

Darei aqui 3 dicas para treinamento exclusivo da mente,concentração/focalização e criação.

1- Concentração e Foco.
Nós devemos aprender a esquecer nossos sentimentos,emoções e sensações desnecessários do dia a dia, tais como euforia,amor,excitação,decepção,preocupação;durante nossos rituais para não sermos influenciados. 

Para esta prática,comece traçando um círculo a seu redor,para que os pensamentos não atraiam entidades que possam influenciar. 
Sente-se confortavelmente,de preferencia em posição de lótus. Comece imaginando a sua frente um pequeno ponto negro. Fixe bem esta imagem simples durante alguns segundos. Imediatamente imagine que ele aumenta de tamanho até tornar-se um grande vórtice em espiral,como um buraco negro. 
A partir daí pare de forçar a sua mente. Apenas mantenha a visualização. Se algum pensamento alheio vier a cabeça,não lute contra ele,mas atire-o simbolicamente para dentro do vórtice. Imagine a situação ou objeto que a representa (ou individuo) sendo tragado pela escuridão. Naturalmente o praticante irá começar a deixar de se focar em assuntos desnecessários,ou meramente atira-los no esquecimento momentâneo automaticamente. 
Quando conseguir se manter por cerca de dez minutos em Lótus,sem mais nenhum pensamento e apenas olhando o vórtice a sua frente sem ser incomodado,passe para o próximo exercício. 
Esta prática é recomendada a iniciantes diariamente para aprenderem a manter a concentração no que estão fazendo. 

ps: Sobre Focos Mágikos.

Objetos consagrados podem ajudar a manter o magista preso a uma intenção durante o momentos do ritual. Um "foco" mágico como um sigilo,fotografia da vítima,objeto que faça menção a Vontade na qual o rito se baseia são de grande ajuda. Nada complicado,apenas símbolos óbvios ou que façam sentido pro magista. 
Concentrar-se nestes objetos por dias antes de um ritual ou evocação pode ser de grande ajuda. 

2- Tornando-se Criador

Esta é uma prática bem divertida. Ajuda a estimular sua criatividade e ajuda a diferenciar o plano mental do plano Astral. 
É aconselhável que antes de que se tente viajar até o plano astral,se acostume primeiro em estar dentro unicamente da própria cabeça. Isto para não terminar confundindo o que é puramente o SEU plano mental e pessoal do plano astral coletivo,onde várias mentes estão presentes,incluindo entidades. (embora seja possível invocar entidades para dentro de seu plano mental.

Tendo conseguido uma boa prática no exercício anterior,e estando relaxado e em um dia tranquilo,sente-se novamente e trace seu círculo. Mantenha-se no controle de sua mente desta vez. Deixe-a totalmente limpa,como uma página em branco e comece a criar. Imagine um lugar. Pode ser uma floresta,um cemitério,uma ilha,um deserto,o que quer que seja,desde que seja um local onde você se sinta confortável. Foque-se dentro desta paisagem. Fixe não só a imagem,mas também os cheiros presentes,a temperatura,as sensações,luz e sombra,tato... tudo. 
Repita esse processo até que a paisagem esteja bem fixada. Então comece a imaginar uma casa vazia. Algo pequeno,com um comodo apenas. Pode ser um casebre de madeira ou uma casinha de tijolos. 
Prossiga da mesma forma que anteriormente. Quando fixar a casa,coloque móveis.Objetos. Animais. 
Povoe sua mente e crie seu local seguro,seu refúgio em sua mente. Quando for meditar,imagine-se primeiramente neste local,sempre da mesma forma como o imaginou primeiramente,em detalhes. Com o tempo,quem o fizer descobrirá ser bem útil para muita coisa,inclusive realização de rituais no plano mental sem componentes físicos... 
Lembre de imaginar o local protegido e infinitamente seguro. 

ps:Isso cria o local apenas na sua mente. Este local não existirá no plano astral. Este exercício é para exploração da mente e auto conhecimento.

3-Explorando o inimaginável
Quando seu local próprio estiver totalmente pronto e seguro ele estará pronto para uso. 
Para continuar a expansão da mente,saia de seu local de segurança,dentro de sua mente. Caminhe pela paisagem que primeiramente imaginou. Simplesmente siga para o horizonte ou para além das árvores,montanhas,lápides ou o que quer que seja. 
Enquanto se imagina (vê,sente) caminhar,deixe a imaginação fluir livremente. Não retenha,não force nada,ainda que não pareça fazer sentido encontrar uma estrela do mar na mata densa e escura,procure interpretar o porque disto. 
Imagine outras pessoas,outros seres. Eles são frutos da sua mente,e você deve interagir com eles. 
Quanto mais fundo for,mais de si mesmo você conhecerá. Mais de sua própria mente você poderá interpretar,e este é um passo grande para um ocultista,antes que ele lide com forças externas. 
Talvez durante a travessia do local,você se depare com energias internas as quais você não fazia sequer ideia de que possuía em seu interior... 

Lembre-se de encerrar cada sessão de exploração voltando a seu local de origem - seu refúgio em segurança. Há coisas dentro de você que com toda certeza não devem ser deixadas livres por aí. Pro seu próprio bem. 

Para se "ver" o indesejável
"Se pudessem ser vistos todos os demônios que habitam a mente humana,a vida seria impossível."


Acho que a frase era essa. Bem,não importa. A grande questão aqui é: Você REALMENTE quer "ver" (assim mesmo-entre aspas) o outro lado? Tenha consciência de que quanto mais você estiver vendo eles,mais atenção deles você irá chamar. 
E não falo apenas de fantasminhas,loira do banheiro e coisas do estilo. Ter uma "mente aberta" pode ser mais inconveniente do que parece,se você não souber como se fechar e evitar visões desagradáveis,alucinações e afins. 

Então,tenha bem certeza de onde está metendo a mão,para não chorar caso chegue a perde-la. 

1-Iniciando:
Não é legal começar estes trabalhos chamando uma entidade,a menos que você esteja acompanhado de um ocultista mais experiente ou conheça intimamente uma entidade que não se tornasse um incomodo posteriormente. 
Simplesmente vá "de passagem" a um local que com toda certeza seja habitado por entidades. Tenha certeza de saber traçar um círculo decente e realizar um banimento ainda melhor depois. 
Casas abandonadas, Cemitérios e hospitais são locais interessantes,se você souber se proteger. Apenas olhe lá para dentro por alguns minutos. Não,não precisa ser a noite. Mas é necessário se concentrar. 
Não procure ver com os olhos,mas deixar que imagens livres cheguem a sua "tela mental" (como chamam alguns autores de livros). 

2-Prática diária:
A perscrutação ou Skrying é uma prática importante para esses trabalhos. Água,cristais,espelhos,não importa a superfície,desde que seja refletora. 
Posicione uma vela atrás da superfície de forma que a luz não interfira na lâmina refletora,mas torne possível a você distinguir imagens no espelho. Simplesmente fixe sua visão em um ponto qualquer do espelho. Evite piscar e mantenha seu foco de atenção unicamente no espelho. 
Depois de 10 minutos por dia dessa prática você pode começar a "ver" coisas que só você vê durante o dia a dia. As vezes ouvir também

Ao fim destas práticas você terá trabalhado um canal de comunicação com o astral,que torna mais fácil o acesso a comunicação com entidades e delas com você. 
É sempre bom lembrar de buscar proteção,porque estas práticas se feitas de forma irresponsável podem ocasionar em loucura. Para evitar a insanidade causada por contatos e presenças indesejáveis procurem uma BOA proteção extra antes,durante e depois de cada exercício aqui postado. 

Eu não me responsabilizo por NADA que ocorra por uso indevido das práticas aqui mencionadas,nem nenhum membro da moderação..




PROTEÇÃO PSÍQUICA 

por Ramona Ferreiro - ramonaferreiro@yahoo.com.br
Dando continuidade ao tema Proteção Psíquica, hoje vamos falar sobre a importância de se fechar os chakras quando formos trabalhar com o outro (trabalhos energéticos) ou quando formos a locais onde podemos perder energia como hospitais e velórios.

Os chakras fazem a ligação entre os corpos sutis e o corpo físico. Quando os chakras não estão saudáveis corremos o risco de sofrermos invasão energética. Outra coisa que pode ocorrer, aliás com freqüência, é absorvermos o estado emocional de outra pessoa. Intuitivamente tentamos nos proteger quando nos sentimos ameaçados ao cruzarmos os braços na altura do plexo solar. O plexo solar bloqueado ou aberto demais nos deixa suscetíveis a vampirismo (roubo de energia); já com o terceiro olho aberto em demasia ficamos vulneráveis a níveis astrais e pensamentos de terceiros. Se o chakra básico estiver bloqueado e o da coroa aberto, podemos nos sentir aéreos e desorientados. Fechar os chakras e protegê-los deve ser um hábito como tomar banho e escovar os dentes.

Depois de recebermos Reiki ou praticarmos meditações ficamos com os chakras abertos e com o fluxo de energia aumentado; protegê-los nos garante manter a energia por mais tempo ao invés de sair distribuindo-a por aí indevidamente, ou melhor, deixando que seja sugada.

Após cada trabalho realizado com o outro devemos desobstruir os nossos chakras. Os exercícios devem ser feitos em local silencioso, em posição confortável e livre de interrupções.

Exercício para abertura e fechamento dos chakras:

1) Sente-se em posição confortável, feche os olhos, realize algumas respirações lentas e profundas.
2) Volte a atenção para a base da coluna e visualize uma flor de lótus vermelha fechada que abre-se lentamente até desabrochar completamente, reluzindo energia.
3) Quando a flor estiver aberta volte a atenção para o segundo chakra (4 dedos abaixo do umbigo); visualize uma flor de lótus laranja fechada que vai se abrindo lentamente como a anterior e também cheia de energia.
4) Agora volte a atenção para o plexo solar (altura do diafragma) e visualize a flor de lótus amarela mais uma vez se abrindo e expandindo energia.
5) Siga para o chakra cardíaco (entre os mamilos), visualize o botão de lótus rosa aninhado no coração. Veja ele se abrindo e transformando-se numa linda flor reluzente de energia.
6) Passe ao chakra da garganta. Veja o botão de lótus azul claro se abrindo lentamente até se transformar num lindo lótus brilhando de energia.
7) Dirija a atenção para o terceiro olho (entre as sobrancelhas) e visualize uma flor de lótus azul escuro fechada que se abre lentamente até reluzir de energia.
8) Agora dirija a atenção para o chakra da coroa (no topo da cabeça); visualize um grande botão de lótus na cor violeta que se abre em mil pétalas que recebe energia cósmica para o seu centro.
9) Quando terminar a meditação faça o caminho inverso, começando pelo chakra da coroa veja a flor de lótus se fechando em botão.
10) Agora veja o lótus do terceiro olho se fechando.
11) Volte a atenção para o chakra da garganta e veja o lótus se fechar.
12) Desça para o chakra do coração e veja o lótus se fechando.
13) Dirija a atenção para o plexo solar e veja o lótus se fechar.
14) Visualize agora o chakra sexual se fechando em botão.
15) E finalmente o chakra básico se fechando.

Obs.: Ao abrir os chakras eles se enchem de energia; ao fechá-los você protege sua energia.

Exercício de proteção de chakras:

1) Em pé, olhos fechados, faça algumas respirações lentas e profundas até sentir que entrou em alfa (um estado alterado de consciência onde se sente mais calmo(a).
2) Coloque sua mão dominante na frente do chakra básico (na altura do órgão sexual) e imagine que do centro da palma da mão sai uma energia vermelha que penetra no chakra, movimente a mão lentamente no sentido horário, fazendo círculos.
3) Quando sentir que foi o suficiente suba a mão para o segundo chakra (4 dedos abaixo do umbigo) e transfira da sua mão uma energia laranja (repetindo os movimentos do tópico 2).
4) Quando achar que foi suficiente passe ao plexo solar; transfira agora energia amarela (repetindo os movimentos do tópico 2).
5) Quando achar que foi suficiente passe para o cardíaco e transfira agora energia verde (repetindo os movimentos do tópico 2).
6) Quando achar que foi suficiente passe para a garganta e transfira agora energia azul clara (repetindo os movimentos do tópico 2).
7) Quando achar que foi suficiente passe terceiro olho; transfira agora energia azul índigo (repetindo os movimentos do tópico 2).
8) Quando achar que foi suficiente passe para o chakra da coroa e transfira agora energia violeta (repetindo os movimentos do tópico 2).
9) Quando achar que foi o suficiente volte a mão para o primeiro chakra para dar continuidade ao exercício, agora fechando os chakras e intencionando protegê-los de ataques energéticos e perda de energia;
10) Imagine que seu chakra é uma linda rosa aberta e com suas mãos feche suas pétalas, de modo que a rosa se feche em botão.
11) Repita o procedimento em todos os chakras.

Namastê.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.