Siga por e-mail

Seguidores

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

As Oito Características Básicas dos Vampiros Energéticos



1. A Vítima

Os pobrezinhos nunca imaginam que têm poder suficiente para enfrentar o mundo e passam o dia todo reclamando sobre seus problemas e infortúnios. O mundo inteiro está contra eles, e sempre há alguém para culpar por sua desgraça e tristeza.

Pessimistas, sempre chamam a atenção com expressões faciais preocupadas, suspiros, agitação, choro, olhares vagos, respostas lentas e histórias repetidas de dramas e crises, trazendo assim o consumo de energia simpatia para com eles.

A vítima conquista pela sua vulnerabilidade e necessidade de ajuda. Mas realmente não procura soluções, porque então eles perderiam sua fonte de energia.

Seu comportamento vai desde convencer os outros defendendo-se, dando desculpas, explicando várias vezes, falando demais, até tentar resolver problemas que não são de sua alçada.

Deixa que alguns o considere como objetos, e depois se ofende por não lhe valorizarem e cada conselho que recebe de suas amizades bem-intencionadas, é descartado com vários argumentos.
i

2. O Intimidador

Os intimidadores chamam a atenção através da força de gritos, de força física, ameaças, manter todos longe por medo de desencadear comentários irritantes, raiva, e, em casos extremos, a fúria.

A energia vai para eles, porque os outros se sentem assustados e ansiosos. Intimidadores querem ser sempre os centros das atenções.

Basicamente, o comportamento egocêntrico pode variar entre dar ordens para aqueles em torno dele, falando constantemente, sendo inflexível, autoritário e sarcástico, até ser violento.

3. O Questionador

Questionadores minam o ânimo e a vontade, questionando mentalmente qualquer atividade e motivação. Eles são críticos hostis, à procura de maneiras de fazer os outros se sentirem mal. Ao fazer esforços para provar o seu valor a eles, mais energia ruim enviam. É provável que tudo que você diz vá ser usado contra você em algum momento. Eles são extremamente vigilantes, seu comportamento pode variar de ser cínico, cético, sarcástico, exigente, perfeccionista, hipócrita, até ser violentamente manipulador. Inicialmente, atraem outros com o seu saber, sua lógica infalível, fatos e do intelecto (esse eu conheci de perto!).

4. Culpador Profissional
Estão sempre em atitude de ataque, em busca de culpados para as situações que eles próprios geram. Eles tendem a ser verbalmente agressivos, abusivos e atacam até mesmo os seus entes queridos. Não é o mundo contra eles, mas você é contra ele.

5. Os Reis do Drama

Começam cada frase com um “não sei o que aconteceu comigo agora”. Sua vida sempre flutua em fins positivos ou negativos, navegando de crise em crise e alimentando o caos com o gerenciamento de suas vidas. Cada uma das suas experiências parece ser um coquetel de emoções intensas.

6. O Distante

Os distantes estão presos em suas lutas interiores, medos e questões não resolvidas. Inconscientemente, acreditam que se mostrando misteriosos e distantes, os outros virão ao seu encontro. Muitas vezes solitários, mantém sua distância por medo que os outros imponham sua vontade ou questionem as suas decisões.

Acham que tem que fazer tudo sozinhos, não procuram ajuda. Normalmente, consideram que o seu principal problema é a falta de alguma coisa (dinheiro, amigos, contatos sociais, educação).

Seu comportamento vai de não se mostrar interessado, nunca estar disponível, não cooperar  para ser condescendente, rejeitar, resistir até ser evasivo. É hábil na gestão de indiferença como defesa.

Inicialmente atraente por sua personalidade misteriosa e inacessível.

7. Locutor Constante

Você tem amigos que levam duas horas para dizer que mudou o volante do carro, ou amigos que interromperam um evento da família para narrar a conversa intensa que teve com a manicure ou recitam a agenda de eventos para o dia? Para Orloff, essas pessoas estão ligadas apenas com o que acontece com eles, são incapazes de ouvir os outros e usam os seus entes queridos como espectadores de seus monólogos eternos.

8. O viciado pela  jugular

Eles são as pessoas comuns que, quando eles estão ouvindo um problema,  tendem a interromper o interlocutor dizendo que sua situação é pior. Para qualquer evento, o que sentem ou já experimentou é melhor ou maior. E se for parceiros e amigos próximos, normalmente são descobertos quando tentam atrapalhar as aspirações ou os planos de seus entes queridos: por exemplo, se alguém quiser comprar uma casa,  ele vai te lembrar que se leva anos para reembolsar um empréstimo, se quiser viajar, lembra do que não funcionou nas últimas férias ou apenas dá a entender que a pessoa é incapaz de realizar seus desejos porque lhe falta atitude.

Quando você estiver com qualquer um destes tipos, proteja a sua energia e não caia em seu vampirismo.

E se você se vê em qualquer uma dessas atitudes:

“Acorde,
observe a si mesmo
E mude!”

Uma dica: “use a sua intuição”.

Mario Rodriguez Adolfo
Silvia M. Osorio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.