Siga por e-mail

Seguidores

quinta-feira, 27 de março de 2014

Eles são reais???

Uma das perguntas mais comumente feitas que ouço com relação ao trabalho espírita, e sobre bruxaria em geral, é: "Isso é real"?





Espíritos e guias, fadas e outros elementais... Deuses...as pessoas estão sempre se questionando o que é ou não real? (Nossa, eu mesma já me questionei tanto quanto comecei. E uma das coisas além da paixão pela bruxaria, que me fez ficar foi entender de uma vez por todas que a nossa religião não é baseada na fé, mas sim na experiência, na vivência. E eu precisava dessa comprovação em meu caminho.) Bem, essa dúvida acontece principalmente em se tratando de guias espirituais. Sempre terá alguém se perguntando se realmente isso ou aquilo aconteceu ou se inventou essa experiência. E essa é a pergunta de 1 milhão de dólares. rs.. Porque a resposta será manifestada à você através da experiência. Somente pela prática você encontrará a resposta para todas as suas dúvidas.


E então você verá se está imaginando coisas, se eles existem além das pessoas que os recebem, se você não está passando por um desequilíbrio psicológico em está conversando com seres que acredita serem reais...





Bem você em essência, estará conversando consigo mesmo,porque na maioria das vezes  é através da sua mente que as respostas virão. Você pode os visualizar, e isso vai ocorrer, não se preocupe! Porém na maioria das vezes as respostas virão como se fosse um outro de você falando pra você mesmo,  porém essa parte de você é mais inteligente e superior.




Quando começarem a surgir respostas, você se surpreenderá com a veracidade dos fatos. Só então saberá que a voz era do seu guia e não sua.






(Em uma meditação, o mesmo guia se apresentou para duas pessoas diferentes (relata Christopher P.) Conforme caminhávamos ao redor da sala uma pessoa descreveu o guia, e quando falou com ele, o guia disse: "Eu não estou aqui para você. Estou aqui para uma outra pessoa". Então eu notei o olhar surpreso quando o outro aluno percebeu que aquele era o guia que ele tinha visto através da descrição do outro.


Eu vi o mesmo guia e descrevemos juntos detalhes.... e essa experiência os convenceu que os guias são reais.)



( Em um outro determinado momento quando eu estava duvidando de mim mesmo e da bruxaria, sentindo-me oprimido pela pressão de colegas e da sociedade, pedi a meus guias que me dessem alguma prova, algum sinal de que isso era tudo real e que eles eram de verdade: "Se não estou conversando com uma outra parte de mim mesmo me fale alguma coisa que eu não saiba. (relata Christopher P.) Um dos meus guias mentalmente me disse: A mãe de Steve está cega. Então meses depois em uma de minhas viagens para palestrar reencontrei um amigo chamado Steve e ele me contou sobre a sua mãe. Ela tinha sido declarada cega. Imediatamente meditei com meus guias espíritas para me desculpar. Um deles apenas riu e eu achei aquilo apropriado para mim no momento.)




( Já comigo, minha primeira experiência com um guia foi com um  espírito corredor, uma fada quando eu tinha apenas 6 anos,  Nicnevin. Depois já iniciada aos 20 anos com uma Deusa que eu não fazia ideia da sua existência: A Mulher Búfalo Branco. Ela me apareceu em uma meditação em Mabon de 94 e em várias outras ocasiões daquele fim de ciclo. Só nos meados de Ostara que vim descobrir de quem se tratava através de um livro. Ela estava lá imensamente linda naquelas páginas bem diante dos meus olhos e eu quase tive um derrame,rs... foi então que tive a certeza de que não era criação da minha mente. Como eu poderia ter visto essa Deusa sem antes tê-la conhecido? Da mesma forma aconteceu com a fada de cabelos vivos, hora tão gigante, hora tão pequena.) Elas são meus guias permanentes. Ao menos até hoje. Outros vem e vão mas elas sempre ficam e eu tenho aprendido muito com elas.

"Tudo tem seu tempo certo e a sua razão de ser."







Muitas pessoas (eu sou uma) relatam ter conhecido deuses e deusas diferentes que jamais sabiam existir, mas que posteriormente encontraram em um livro. Isso é uma forma de você perceber que não está criando nada... aliás existirão milhares de outras formas de você perceber que eles são reais.




"Quando você deixar de buscar provas para tudo, terá a chance de viver experiências mais dignas."






"Vários guias aparecerão para você em seu caminho espiritual. E cada experiência é única, cada uma delas é de fato a que você estava precisando viver naquele determinado momento. Quando esta necessidade muda, suas experiências mudam."





Ao compreendermos que o misticismo em parte é baseado em um ponto de vida pessoal, nós criamos um fundamento melhor para o nosso trabalho espiritual. Nós também nos tornamos mais tolerantes quanto às crenças de outras pessoas, chegando à conclusão de que tudo não passa de um ponto de vista.




Para encontrar os seus guias você precisa aprender a se desligar do seu mundo exterior viajando para o interior, e eu não vejo outra forma disso acontecer há não ser pela disciplina, com práticas diárias de meditação.


Você não precisa sentir medo em encontra-los. Algumas pessoas temem que, ao começar a falar com espíritos, o espírito jamais deixará de falar e poderá enlouquecê-las. Mas não é assim que acontece. Você sempre será capaz de se desligar e retornar a sua vida cotidiana. Embora a pessoa deva exercitar com cuidado quando estiver empenhada em um trabalho espiritual, ele não é mais perigoso do que uma viagem física ou a interação com pessoas reais.
A maioria dos guias não tem intenções malignas. Para aqueles que não tiverem as melhores intenções em seus corações, com um pouco de prática, você pode evitar os espíritos prejudiciais por completo.



Quando estiver trabalhando com um novo espírito ou guia use o seu discernimento. Intuitivamente isso lhe parece correto, em seu coração, mente e corpo? Se algo estiver deixando-o pouco à vontade, veja o que pode ser isso? Você sentirá uma sensação pesada e um desconforto. Então pare tudo e use o pentagrama de liberação, pedindo para que todos os espíritos que não estejam em "amor e confiança perfeita desapareçam".




Fonte: Christopher Penczak



"Os únicos demônios com os quais você deve se preocupar são aqueles que você mesmo cria, os vícios pessoais e atitudes nocivas que traz para dentro de sua vida."


Então vamos fazer contato?
(Continua no próximo post...)

Um comentário:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.